Fusca 1600, versão Última Série a álcool, com rodas e calotas cromadas de Porsche

Compartilhe

O Volkswagen Fusca 1600, aqui da matéria, recebeu alguns itens de customização, sem mexer com a originalidade estrutural do modelo, deixando o carro simplesmente fantástico.

A unidade aqui da matéria, é um Volkswagen Fusca 1600 na versão Última Série 1986, era a versão top de linha, que recebeu alguns itens que o deixaram com um visual diferenciado, rodas e calotas cromadas da família Porsche, volante da geração Fusca Itamar e retrovisor cromado.

Como citei na matéria de ontem sobre o Volkswagen Fusca 86 luxo, para abrir espaço para o produção do Voyage Fox, que seria exportado a partir de 1987 para os Estados Unidos, e a montadora receberia valores em dólar, muito mais interessante que a venda do Fusca aqui no Brasil, o besouro é descontinuado pela primeira vez.

Quanto ao motor do Fusca 1600, que equipa a unidade, recebeu seu primeiro upgrade significativo em 1981/82, quando passou a ser denominado como 1.6 Tork, deixou os 65 cv brutos para trás e passou para 52 cv líquidos, a gasolina, basicamente a mesma potência, com uma pequena diferença para o motor a álcool, a maior diferença, ficou para o giro em altas rotações, que se tornou bem mais estável.

Em 1984 recebeu seu último upgrade significativo antes de ser descontinuado em 1986, novas válvulas de escape maiores, capela de refrigeração com radiador deslocado, válvula de aquecimento de partida a frio (Termac), o carro passa a contar também com freios a disco na dianteira, mais eficientes. Cinto de segurança de 3 pontos, bancos dianteiros com encosto de cabeça, e todas as versões passam a serem equipadas com Carburador Solex H30/31 PICT.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão, já estava desatualizado para a época, mas para um modelo popular, em um país de terceiro mundo, ainda cumpria bem o seu papel.

Motor – O motor Volkswagen Boxer Tork 1.6, era de manutenção descomplicada, porém o custo das manutenções de um modelo zero km, não eram tão popular como pensamos.

Câmbio – O câmbio 4 marchas era eficiente de engates precisos, e exigia pouca manutenção.

Retomadas e ultrapassagens – Atendia as expectativas para um compacto popular da década de 1980.

Consumo – Para um motor 1.6 a álcool de um modelo compacto, 6,8 km/l na cidade estava dentro do esperado, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes planas;

Setas dianteiras – Posicionadas sobre os para-lamas;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono cromados;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Entrada de ar forçada sobre a tampa do motor;

Retrovisores Externos– Em plástico, o modelo da matéria foi customizado com retrovisor cromado;

Frisos – Metálico em toda a extensão lateral;

Rodas – Rodas de aço tradicionais da família VW, com calotas de plástico;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “Fusca” na tampa do motor;

Lanterna Traseira – Tricolor “Estilo Fafá – Nome popular”;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala quadrada;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em aço e vinil;

Volante – Espumado da geração Fusca Itamar;

Sistema de som – Opcional;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – N/D;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Sim;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em tecido aveludado;

Acabamento das portas – Em vinil;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros com regulagem de altura, nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Fusca 1600, a álcool 1986

Carroceria – Sedã;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor –  Volkswagen Boxer Tork 1600;

Cilindros – 4 opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Álcool;

Potência – 55 cv potência líquida;

Peso Torque – 94,7 kg/kgfm;

Cilindrada – 1584 cm³;

Torque máximo – 13 kgfm a 2600 rpm;

Potência Máxima – 4200 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 801 kg;

Suspensão dianteira – Independente, braços arrastados – Barra de torção;

Suspensão traseira – Independente semi-eixo oscilante – Barra de torção;

Comprimento – 4050 mm;

Distância entre-eixos – 2400 mm;

Largura – 1540 mm;

Altura – 1500 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 16 Segundos;

Velocidade máxima – 132 km/h;

Consumo: Cidade 6,8 km/l – Estrada 10,9 km/l;

Autonomia: Cidade 279 km – Estrada 447 km;

Porta malas – 141 Litros;

Carga útil – Não informado;

Tanque de combustível – 41 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 67.890,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi

Deixe uma resposta