Kombi Pick Up 1975, a cabrita customizada, simplesmente fantástico

Compartilhe

A famosa Kombi Pick Up, ou Kombi cabrita, como ficou popularmente conhecida. Após a aposentadoria ganhou uma legião de fãs e muito respeito, como a da nossa matéria, que recebeu uma customização de muito bom gosto.

A unidade aqui da matéria é um Volkswagen Kombi Pick Up 1975, equipada ainda com o motor original 1500 de 52 cv brutos, apenas o dínamo foi substituído por um alternador, e o sistema de platinado por ignição eletrônica.

O modelo recebeu um processo de restauração de primeira linha, com pintura estilo saia e blusa, azul e branco, rodas de alumínio Empi Sprintstar, além do lindo para-brisa, bipartido basculante.

Se existe um carro na indústria automobilística brasileira, que foi literalmente escravizado, durante a década de 1980, foram os modelos de Kombi Pick Up da década de 1970, que chegaram aos anos 80, praticamente sem valor de mercado, e em sua grande maioria sucateadas.

As unidades que ainda rodavam, se tornaram burros de carga de lojas de materiais de construção e empresas de construção civil. Era bastante comum ver a carroceria carregada de pedra, areia ou cimento, literalmente arrastando no chão.

Mas já no início da década de 1990, colecionadores e restauradores, começaram a ver um mercado bastante interessante para a Kombi Pick Up, e nossa querida cabrita, passou de sucata a colecionável de alto custo. Uma unidade devidamente restaurada ou ainda em estado de zero km, pode chegar fácil a R$ 130.000,00.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, era eficiente para cumprir o papel de um utilitário com tecnologia para a década de 1970.

Motor –  Utilizando o motor Volkswagen 1500 de 52 cv, era confiável, porém pouco elástico, as trocas de marchas deveriam sempre serem feitas, proporcionalmente a velocidade do veículo, para evitar a diminuição do tempo de vida útil do motor.

Câmbio –  O câmbio de 4 velocidades era eficiente, mas após 12 ou 24 meses, a alavanca do câmbio apresentava folga, encaixes imprecisos ou impossíveis, era necessário manutenções preventivas, regulares.

Retomadas e ultrapassagens – Para um utilitário da década de 1970, cumpria seu papel, mas com carga máxima de 970 kg, era bom negociar bem as ultrapassagens.

Consumo –  Na teoria era a mais econômica entre as picapes médias, mas na prática a história era outro, o consumo era em média 5 km/l na cidade, conforme ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes boleadas, embutidos em uma moldura cromada.

Setas dianteiras – Embutidas posicionadas acima dos faróis;

Para – choques –  Em aço carbono estilo cabide;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Entrada de ar forçado, pela lateral traseira;

Retrovisor Externo – Cromado de haste;

Frisos – Friso cromado, com centro emborrachado, tradicional Kombi Corujinha;

Rodas – De alumínio;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “VW” na frente;

Lanterna Traseira – Bicolor;

Bagageiro – Opção para carroceria de aço, ou de madeira;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em metal na cor da carroceria;

Volante – De plástico injetado de dois raios;

Sistema de som – Não – O atual foi instalado pelo proprietário;

Ventilador – Não;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Não;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Sim;

Acendedor de cigarros – N/D;

Cinzeiro – N/D;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em courvin;

Acabamento das portas – Em madeira curtiça;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Não;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Carroceria em madeira ou aço;

Ficha Técnica – Kombi Pick Up 1975

Carroceria – Picape;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor – VW 1500 Boxer;

Cilindros – 4 opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Peso Torque – 123,08 kg/kgfm;

Tração – Traseira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Tambor nas quatro rodas;

Peso – 1100 kg – Sem carroceria;

Comprimento – 4300 mm;

Distância entre-eixos – 2400 mm;

Potência – 52 cv;

Cilindrada – 1493 cm³;

Torque máximo – 9,1 kgfm a 2600 rpm;

Potência Máxima – 4200 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 46 Segundos;

Velocidade máxima – 109 km/h;

Consumo: Cidade 5 KM/L – Estrada 6,6 km/l;

Autonomia: Cidade 215 km – Estrada 283,8 km;

Porta malas – 1974 Litros;

Carga útil – 970 kg;

Tanque de combustível – 43 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 119.990,00 – Sem carroceria instalada.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi

Deixe um comentário