Escort XR3 1985 Conversível inovou o mercado

O mercado brasileiro já estava acostumado com os conversíveis fora de série, como Puma e Miura, a Ford foi a primeira montadora a lançar um modelo em série

Escort XR3 Conversível 1985, chegou ao mercado no mês de abril, para muitos uma aposta extremamente arriscada da montadora americana, produzir em série um modelo que tinha a aprovação, apenas parcial do público, e custando quase o dobro do preço da versão tradicional.

Mesmo assim a Ford foi corajosa, em junho de 1985, o modelo chega a novela Roque Santeiro, como o carro de Tânia, filha de sinhozinho Malta, uma ótima jogada de marketing, a novela bateu os maiores picos de audiência da história da televisão brasileira, e o Escort XR3 1985 conversível, virou o sonho de consumo de uma grande fatia do mercado, que eram fãs de modelos esportivos.

No primeiro ano de produção, o número de unidades emplacadas foram modestos, mas o lucro para a montadora foi bastante real, os modelos eram feitos sob encomenda, de alto custo, para um público bastante específico, apenas no ano de 1986, que se tornou mais comum ver uma versão conversível nas ruas.

Curiosidade: 

Se a mesma carroceria que equipava o Escort XR3 conversível 1985, tivesse uma capota metálica, teríamos um Verona da década de 1980, observando atentamente o hatch na versão conversível ficou com cara de sedã.

Desempenho

Com já sitado em outros posts, um dos pontos fortes do carro, era a incrível qualidade da vedação da capota em vinil, mesmo exposto a ventos muito fortes e chuvas torrenciais, o sistema de vedação era impecável, algo que dificilmente acontecia com os modelos fora de série.

Com 64 KG a mais que a versão tradicional, o Escort XR3 conversível recebeu 1,3 CV de força a mais no motor CHT, mas no geral não fez muita diferença o desempenho de ambos eram bem parecidos;

Outro ponto forte era o conforto, os pedais do acelerador, breque e embreagem eram extremamente macios, o baixo nível de ruído em médias e baixas rotações, com a capota fechada era digno de um carro de luxo.

Na estrada o desempenho era de um modelo 1.6 convencional, alcançava bons 162 KM/h reais, mas acima de 135 KM/h o motor passava vibração para a carroceria, um ponto negativo para um carro tão caro;

O câmbio era de engates precisos, mas com relações muito longas para um esportivo;

Em curvas de alta era sempre bom ficar atento, se na versão tradicional o modelo tendia em sair de traseira, com o conversível o problema ficava mais evidente.

Acabamento Externo

Frente com faróis chanfrados, embutidos em um mesmo conjunto com as setas;

Grade de ar com frisos na horizontal na cor preto;

Para – choques em lâminas de aço carbono na cor do carro, com friso frontal emborrachado;

Cantoneiras de plástico pretas, nos pra – choques dianteiros e traseiros;

Luzes de longo alcance redondas na parte superior do para choque dianteiro;

Faróis de neblina retangulares, na parte inferior do para – choque dianteiro;

Rodas de liga – leve exclusivas da família XR3, 185/60 R14;

Retrovisores panorâmicos com controle mecânico interno;

Fino friso adesivo preto em toda a extensão lateral;

Maçanetas pretas;

capota em vinil;

Lanterna traseira tricolor, frisada;

Logo XR3, na tampa do porta – malas.

Tampa do porta – malas estilo sedã.

Acabamento Interno

Painel com mostradores com um visual moderno + com conta – giros;

Botões de comando, dos faróis, limpadores, e outras funções, bem posicionados;

Volante esportivo, anatômico de dois raios;

Relógio digital;

Acendedor de cigarros;

Cinzeiro embutido no painel;

Rádio toca fitas AM/FM – Ford Philco

Acionamento da capota em vinil manual;

Ventilador de três velocidades;

Ar – quente;

Ar – condicionado opcional;

Vidros elétricos – Opcional;

Travas elétricas;

Ajuste dos retrovisores interno mecânico;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro;

Acabamento de bancos e portas em tecido aveludado em tons cinza, com detalhes em vermelho;

Encosto de cabeça no banco dianteiro com regulagem de altura;

Assoalho e porta malas acarpetados.

Ficha Técnica – Escort XR3 Conversível 1985

Carroceria Conversível;

Porte Médio;

2 portas;

Motor CHT 1.6;

Cilindros 4 em linha;

Transversal;

Tuchos mecânicos;

Tração Dianteira;

Combustível álcool;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 5 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 990 KG;

Potência 83 CV;

Potência Máxima 5600 RPM;

De 0 a 100 – 13,9 Segundos;

Velocidade máxima 162 KM/h;

Consumo Consumo na Cidade 6,8 KM/L – Estrada 11 KM/L;

Porta malas 212 Litros;

Carga útil 324;

Tanque de combustível 48 Litros;

Motor Tudo – Escort XR3 Conversível 1985

Carros Clássicos Brasil – Escort XR3

Deixe uma resposta