Dodge Polara GL 1978 ganha novo visual

Já se preparando para a década de 1980, o Doginho ganha nova frente com faróis quadrados e novas lanternas traseiras

Deixou para trás a configuração de faróis redondos de lentes duplas, e entra na era dos quadrados, a versão Dodge Polara GL 1978, não mudou apenas o visual, mas também trouxe uma nova proposta de controle de qualidade para a montadora, eliminando os problemas estruturais que acompanhavam o modelo desde seu lançamento em 1973.

Como já sitei em outros posts, o Doginho ao chegar ao Brasil, trouxe uma configuração única e estava um passo a frente de seus concorrentes, Volkswagen Passat e Ford Corcel, o modelo da Dodge era o único médio nacional com motor 1.8, de 85 CV e tração traseira, indo de 0 a 100 em ótimos 14,6 segundos, e velocidade de 158 KM/h de velocidade final real.

O acabamento interno também era um show a parte, acompanhando a tendência dos muscle car da Dodge, oferecia, painel em imitação de madeira, bancos em couro ou aveludado, e acabamento das portas também em couro, além de botão para trava com acionamento mecânico e opcional para câmbio automático.

Mas a falta de controle de qualidade e erros do projeto, arrastaram o Dodge Polara por aproximadamente 5 anos em problemas com câmbio, parte elétrico, infiltração de água, sem contar que os primeiros motores 1.8 até o final de 1974, rendiam menos que um Volkswagen 1600, e que um Corcel 1.4, o problema de desempenho foi resolvido com o carburador japonês Hitachi.

Desempenho

O torque do motor 1.8 era macio, estando com as manutenções em dia, alcançava altas velocidades com muita eficiência, sem passar vibrações para a parte interna, silencioso e gostoso de dirigir.

A caixa de direção era muito precisa, macia e segura, tanto em altas velocidades, como em manobras na cidade, a versão automática, tinha algumas limitações, deixava o carro menos preciso em ultrapassagens.

A suspensão conseguia ser macia e ao mesmo tempo segura, em curvas de alta cumpria seu papel.

Acabamento Externo

Frente com faróis retangulares de lente plana, com setas embutidas em um mesmo conjunto.

Para-choques cromados em lâminas de aços cromados.

Rodas de aço esportivas, tradicionais família Dodge.

Logo Dodge Polara GL na lateral dos para-lamas dianteiros.

Retrovisor cromado com ajuste manual.

Lanternas traseiras bicolor, com luz de ré.

Acabamento Interno

Painel com acabamento marrom e detalhes em madeira, com mostradores básicos, em escala circular.

Bancos em tecido aveludado.

Acabamento de portas em couro marrom e detalhe acarpetado.

Volante de 4 raios de plástico injetado com forração em couro.

Rádio AM/FM.

Ventilador.

Ar quente.

Acendedor de cigarros.

Cinzeiro embutido no painel.

Cinzeiro cromado na parede lateral do banco traseiro.

Acionamento dos vidros manual basculante.

Assoalho e porta malas acarpetados.

Ficha Técnica – Dodge Polara GL 1978

Carroceria coupé;

Porte médio;

2 portas;

Motor 1.8;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos mecânicos;

Tração traseira;

Combustível Álcool;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas  traseiras;

Peso 972 KG;

Potência 85 CV;

Torque máximo 15,5 kgfm a 3500 rpm;

Potência Máxima 5000 RPM;

De 0 a 100 – 14,6 Segundos;

Velocidade máxima 158 KM/h;

Consumo na Cidade 9 KM/L – Estrada 11 KM/L;

Autonomia: Cidade 540 KM – Estrada 660 KM;

Porta malas 316 Litros;

Carga útil Não Informado;

Tanque de combustível 60 Litros;

Preço atualizado Não Informado;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

Motor Tudo – Dodge

Deixe uma resposta