VW Gol S 1984 o fim do motor refrigerado a ar nas versões intermediárias

1984 foi um ano bastante agitado no setor de engenharia de motores da Volkswagen no Brasil, a chegada do Fiat Uno, e o erro no projeto do motor MD-280 1.8 do Gol GT, fizeram a montadora se mexer bem rápido

Em 1984 desembarca no Brasil, o moderno Fiat Uno, na versão com motor 1.3 a álcool, o carro era muito elástico, e gosto de dirigir, ainda vinha equipado com câmbio 5 marchas de série.

A chegada do hatch italiano, finalmente fez a montadora alemã, enxergar que uma plataforma tão moderno como a do Gol, mesmo na versões de entrada e intermediárias, mereciam um motor a altura, ou ficariam para trás no mercado.

Os engenheiros da montadora já estavam trabalhando para solucionar o problema do motor MD-280 1.8, que equipava o Gol GT e Passat GTS, que vibrava muito em altas rotações, esse viria a ser meses depois, o moderno, robusto e estável, AP 1.8.

O VW Gol S 1984, e a versão LS a partir de novembro de 1984, já como modelo 1985, passam a ser equipados com o eficiente motor MD-270 1.6, o mesmo que equipava o Voyage e a Parati.

Outra mudança que ocorreu, foi o nascimento do VW Gol BX que passaria a ser a versão de entrada com motor 1600 refrigerado a ar, e o VW Gol S 1985, passaria a ser uma versão intermediária básica, a versão LS, intermediária com direito a mais opcionais.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão, era um dos mais eficientes do mercado, moderno e seguro.

Motor – O motor Volkswagen Boxer 1600, era de manutenção descomplicada e de baixo custo, mas muito apático para um carro tão moderno.

Câmbio – O câmbio 4 marchas era eficiente, mas barulhento, principalmente no engate da ré.

Retomadas e ultrapassagens – Atendia as expectativas para um compacto popular da década de 1980, mas com 4 adultos e porta-malas cheio, perdia muito fôlego.

Consumo – Para um motor 1600 a gasolina de um modelo compacto, com 66 cv, 8 km/l na cidade estava dentro do esperado.

Acabamento Externo

Faróis –  Quadrados de lentes planas;

Setas dianteiras – Embutidas no para-choque;

Para – choques –  Na cor grafite, em lâminas de aço carbono;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – De plástico com frisos na horizontal;

Retrovisores Externos– De plástico preto;

Frisos – Não;

Rodas – Rodas de aço da família VW BX 155/80 R13;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “Gol S” na tampa do porta-malas;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala quadrada;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em vinil, na cor grafite;

Volante – De plástico injetado de dois raios;

Sistema de som – Não;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Não;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em tecido ;

Acabamento das portas – Em vinil;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros nos bancos dianteiros com regulagem de altura;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – VW Gol S 1984

Carroceria – Hatch;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor –  Volkswagen Boxer 1600;

Cilindros – 4 opostos na horizontal;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 66 cv;

Peso Torque – 67,83 kg/kgfm;

Cilindrada – 1584 cm³;

Torque máximo – 12 kgfm a 3600 rpm;

Potência Máxima – 4600 rpm;

Tração – Dianteira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 808 kg;

Suspensão dianteira – Independente, McPherson – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Eixo torção – Mola helicoidal;

Comprimento – 3790 mm;

Distância entre-eixos – 2358 mm;

Largura – 1601 mm;

Altura – 1375 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 18,2 Segundos;

Velocidade máxima – 139 km/h;

Consumo: Cidade 8 km/l – Estrada 12 km/l;

Autonomia: Cidade 440 km – Estrada 660 km;

Porta malas – 334 Litros;

Carga útil – Não informado;

Tanque de combustível – 55 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 62.016,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe uma resposta