Voyage GLS 88, a versão top de linha do sedã compacto da VW ganha novo painel

Compartilhe

O Voyage GLS 88, chega ao final da década de 1980, com o tão sonhado painel alemão, a versão top de linha do sedã compacto da montadora alemã, tinha um acabamento esporte fino e 4 cv a menos que o irmão Gol GTS.

A versão GLS, foi produzida com o motor MD-270 1.6 entre 1982 e 1984, em 1985 por não ter muita procura nas concessionárias, foi retirada de linha. Mas com o sucesso do Gol GT 1.8. em 1986 a VW traz de volta a versão top de linha do Voyage, mas renomeada como Voyage Super e equipada com o motor AP 1.8, em 1987, é rebatizada como Voyage GLS 1.8.

O Voyage GLS 1.8 1988, apesar de ter um visual mais jovem, que as versões de entrada e intermediárias, não era posicionado pela montadora como um modelo esportivo, e sim como uma versão esporte fino, com um acabamento diferenciado do Gol GTS 1.8S, e com menos potência no motor AP 1.8.

Em 1987 toda a linha BX recebeu um significativo upgrade, mas apenas no acabamento externo, o painel quadrado herdado do VW Varaint II, ainda se manteve vivo. Apenas em 1988, chega o tão sonhado painel do Polo alemão.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão, do Voyage quadrado, ainda era um dos melhores do mercado, muito eficiente em curvas de alta, mesmo com piso molhado e em retas, mesmo em velocidades acima de 140 km/h o carro não balançava.

Motor – Utilizando o motor VW AP de 1781 cm³, que era confiável e de custo de manutenção relativamente baixo para a época, o carro era bastante ágil e confiável, mesmo com carga máxima de 360 kg, ainda mantinha um bom desempenho.

Câmbio – Na cidade e na estrada tinha engates preciso e macios, com uma alavanca de relações curtas deixava o carro divertido de dirigir, mesmo em trocas rápidas de marcha continuava eficiente.

Retomadas e ultrapassagens – Seguro e muito eficiente, mesmo com 5 adultos e porta-malas cheio.

Consumo – O motor AP em todas suas versões, se comportava muito bem em giros mais altos, mantendo uma boa média de consumo de combustível, conforme ficha técnica no final da matéria.

Acabamento Externo

Faróis –  Retangulares de lentes planas, embutidos em um mesmo conjunto com as setas;

Para – choques – Envolventes na cor grafite;

Grade de ar do motor – Com frisos na horizontal, embutido em um mesmo alinhamento com os faróis;

Retrovisores – Satélites, com controle elétrico interno;

Frisos – Emborrachado em toda a extensão lateral do carro, com o logo “GLS 1.8”;

Rodas – Rodas de liga leve 175/70 R13, com o mesmo desenho das rodas da linha Santana Top de linha;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – Na tampa do porta – “Voyage GLS”;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré, bonitas e muito eficientes;

Bagageiro – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil preto;

Volante – Espumado estilo quatro bolas;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – De três velocidades;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Sim “Digital”;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico;

Sistema de travamento das portas – Elétrico;

Ajuste dos retrovisores externos – Elétrico;

Acabamento dos bancos – Recaro – Em fino tecido aveludado em tons cinza e vermelho – A unidade aqui da matéria recebeu bancos em couro por parte do proprietário;

Acabamento das portas – Em vinil e carpete;

Luz de Sinalização no rodapé da porta – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros com regulagem de altura;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Voyage GLS 88

Carroceria – sedã;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor – AP 1.8;

Cilindros – 4 em linha;

Posição – Longitudinal;

Tuchos – Mecânicos;

Tração – Dianteira;

Combustível – Álcool;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 5 marchas;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 960 kg;

Comprimento – 4072 mm;

Distância entre-eixos – 2358 mm;

Potência – 96 cv;

Cilindrada – 1781 cm³;

Torque máximo – 15,6 kgfm a 3400 rpm;

Potência Máxima – 5200 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 11,5 Segundos;

Velocidade máxima – 165,2 km/h;

Consumo: Cidade 6,8 km/l – Estrada 9,7 km/l;

Autonomia: Cidade 374 KM – Estrada 533,5 KM;

Porta malas – 382 Litros;

Carga útil – 390 kg;

Tanque de combustível – 55 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 95.896,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário