Voyage Super 1.8 1986 um GT em traje esporte fino

Compartilhe

O Gol GT 1.8 chegou ao mercado em 1984, e logo se tornou o compacto mais rápido e atualizado do Brasil, o sucesso foi tão grande que a montadora resolveu estender o projeto para o irmão sedã.

Mas criar a versão esportiva Voyage GT 1.8, iniciaria uma briga no quintal de casa com o irmão hatch, então a montadora resolveu dar um ar esporte fino a nova versão, nasce o Voyage Super 1.8 1986.

As diferenças começavam pela mecânica, com 4 cv a menos que o Gol GT, o Voyage Super vinha equipado também com câmbio 5 marchas e o motor AP 1.8 de 94 cv.

As cores eram mais leves, o sedã vinha na cor prata mais clara, já o hatch, na cor chumbo metálico, apenas o vermelho que era patrão paras os dois modelos.

O acabamento interno era basicamente o mesmo, com pequenas diferenças na forração dos bancos Recaro que receberam um visual estilo esporte fino na versão sedã, e a manopla da alavanca de câmbio que no Voyage tinha o mesmo formato da família VW Santana.

A montadora ainda disponibilizava como item de série o volante 4 bolas, uma novidade para a época, e como opcional rodas GT, que combinadas com um modelo vermelho, ficava com um visual muito próximo da versão esportiva do Gol.

O ponto negativo ficava para o preço, R$ 112.389,00 em moeda atualizada para o segundo semestre de 2020, sem opcionais, o valor ficava no mesmo patamar das versões intermediárias, do VW Santana e Chevrolet Monza.

O que torna o Voyage Super 1.8 extremamente raro, foi seu curto tempo de produção, apenas durante o ano de 1986, já em 1987 ganhou nova nomenclatura, Voyage GLS 1.8″, e um novo acabamento externo.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, dava ao carro uma ótima estabilidade, mesmo sendo um projeto desenvolvido no final da década de 1970, ainda era considerado atualizado para a segunda metade da década de 1980.

Motor –  Utilizando o motor VW AP 1.8 de 94 cv a álcool, era robusto e rápido, mas era mais lento que o irmão Gol GT, tanto em velocidade final como em aceleração de 0 a 100.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 velocidades, era de relações curtas dando ao carro um ar mais esportivo, os engates eram precisos e macios, mesmo em trocas rápidas ainda se mantinha eficiente.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor elástico com muito fôlego que respondia muito bem ao pedal do acelerador, era seguro e confiável.

Consumo –  Para um esportivo compacto a álcool, fazer 6,8 km/l na cidade estava dentro do esperado, mais informações na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Faróis quadrados de lentes planas;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono pintados na cor da carroceria, e friso emborrachado na parte frontal;

Faróis de neblina – Sim;

Grade de ar do motor – Com frisos na horizontal na cor grafite;

Retrovisores Externos – Satélites com ajuste mecânico interno;

Frisos – Emborrachado em toda a extensão lateral do carro, com o logo “Super”;

Rodas – De aço 175/70 R13;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “Voyage 1.8”, Na tampa do porta – malas;

Lanterna Traseira – Tricolor tradicionais da família Voyage quadrado;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala quadrada;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil na cor grafite;

Volante – Espumado de 4 raios, estilo 4 bolas;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Digital no console da alavanca de marchas;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Manual;

Ajuste dos retrovisores externos – Interno mecânico;

Acabamento dos bancos – Em fino tecido Recaro;

Acabamento das portas – Em vinil e tecido;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros com regulagem de altura nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Voyage Super 1.8 1986

Carroceria – Sedã;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor –  AP 1.8;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Álcool;

Potência – 94 cv;

Peso Torque – 61,2 kg/kgfm;

Cilindrada – 1781 cm³;

Torque máximo – 15,2 kgfm a 3400 rpm;

Potência Máxima – 5000 rpm;

Tração – Dianteira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 5 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 930 kg;

Suspensão dianteira – Independente, McPherson – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Eixo torção – Mola helicoidal;

Comprimento – 4083 mm;

Distância entre-eixos – 2358 mm;

Largura – 1601 mm;

Altura – 1349 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 11,4 Segundos;

Velocidade máxima – 166 km/h;

Consumo: Cidade 6,8 km/l – Estrada 9,7 km/l;

Autonomia: Cidade 374 km – Estrada 534 km;

Porta malas – 382 Litros;

Carga útil – 390 kg;

Tanque de combustível – 55 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 112.389,00 – Sem opcionais;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Vídeo Voyage Super 1.8 1986


About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *