Volkswagen Parati GL 1.8 1995 versão intermediária no ultimo ano de produção

Compartilhe

No último ano de produção da Parati Quadrada, a versão intermediária vinha com muita força, equilíbrio e com um lindo visual

No início da década de 1980 em seu lançamento, a versão intermediária utilizava as siglas “LS” em 1987 com a primeira mudança no visual externo, ganhando os famosos para-choques envolventes, ganhou nova nomenclatura “GL”, que foi utilizada até 1995 em seu último ano de produção.

Com acabamento interno monocromático, opcional para vidros elétricos, painel satélite, rodas de liga-leve cromadas e faróis de neblina também como opcional, agradava os fãs da montadora, mas equipamentos como ar – condicionado e direção hidráulica e conta – giros, só estavam disponíveis para a versão top de linha “GLS”.

Em 1995 o mercado dos SW compactos, produzidos no Brasil, se resumia ao modelo da Volkswagen Parati Quadrada e ao Fiat Elba.

Desempenho

Equipada com motor AP 1.8, e pesando 1035 kg, era ágil na cidade, e segura na estrada principalmente em ultrapassagens e retomadas;

O câmbio 5 marchas de relações curtas, era macio e de engates precisos, mesmo com trocas de marchas rápidas;

Com um peso muito bem distribuído, oferecia uma boa estabilidade em curvas de alta, entre os quatro modelos da linha BX, era o segundo mais aerodinâmico, ficando atrás apenas do GOL quarado;

Os freios também eram um ponto positivo, eficientes mesmo com carga máxima.

Acabamento Externo

Frente com faróis retangulares, embutidos um mesmo conjunto com as setas, alinhados com a grade de ar, tendência norte americana para se adaptar as novas legislações dos modelos exportados;

Para-choque envolventes na cor grafite;

Farol de neblina embutido no para – lama dianteiro – Opcional de época.

Friso emborrachado na lateral;

Rodas de liga – leve cromadas estilo enraiada, 175/70 R13.

Retrovisores satélites com controle mecânico interno;

Lanternas traseiras tricolor, tradicionais Parati e Saveiro;

Bagageiro esportivo na cor grafite;

Limpador e lavador do vidro traseiro.

Acabamento interno

Painel satélite, com mostradores básicos + relógio analógico;

Volante espumado de 4 raios, o tradicional 4 bolas;

Ventilador de três velocidades;

Acendedor de cigarros.

Cinzeiro embutido no console abaixo do painel.

Rádio toca – Fitas digital VW;

Porta fitas K-7;

Controle interno mecânico dos retrovisores;

Acionamento dos vidros manual, Opcional Elétrico;

Acabamento de bancos e portas em tecido marrom;

Encosto de cabeça com regulagem, apenas nos bancos dianteiros;

Assoalho e porta-malas acarpetados.

Ficha Técnica – Volkswagen parati GL 1.8 1995

Carroceria SW;

Porte Compacto;

2 portas;

Motor AP 1.8;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos mecânicos;

Tração dianteira;

Combustível Gasolina;

Carburador;

Direção simples;

Câmbio manual de 5 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 1035 kg;

Potência 96 cv;

Potência Máxima 5200 rpm.

De 0 a 100 – 10,3 Segundos;

Velocidade máxima 169 km/h;

Consumo Consumo na Cidade 7 km/l – Estrada 11,5 km/l;

Porta malas 530 Litros;

Carga útil 460 kg;

Tanque de combustível 55 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 78.832,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Carros Antigos – Parati Quadrada

1 comentário

  1. Cícero Américo

    Ótima matéria. Na minha opinião todas as versões da Parati, desde sua criação até o final, sempre foram ótimas opções e acredito que satisfizeram seus proprietários. Obviamente cada versão apresentava uma ou outra mudança, mas enfim acredito nenhuma deixava a desejar. A motorização também foi um ponto alto, com manutenção descomplicada. Até hoje tenho 02 (duas), as quais mantenho a manutenção em dia, o que contribui para a locomoção no dia a dia.

Deixe uma resposta