fbpx
Pular para o conteúdo

Picapes Chevrolet, o modelo A10 Custom de 1988, um remanescente do proálcool

Compartilhe

As Picapes Chevrolet e Ford, não ficaram fora do proálcool, nem mesmo o VW Kombi cabrita se livrou do combustível derivado da cana de açúcar. Em 1988 já quase no fim da obrigatoriedade de produzir uma porcentagem de cada modelo com motor a álcool, o A10 Custom de 1988, ainda era produzido em massa.

Anúncio

O início do proálcool, em 1979/1980, foi no auge da crise do petróleo e do regime militar. Onde foi firmado um acordo com o governo federal, que cada montadora tinha uma porcentagem mínima para produzir cada modelo com motor a álcool. Não se sabe se foi um acordo de cavalheiros ou uma imposição.

Mas já no final da década de 1980, o preço do álcool já estava muito próximo do preço da gasolina, e já era de conhecimento de todos quem utilitários de médio e grande porte, não aram indicados para motores a álcool. Mesmo assim caminhões e picapes ainda eram produzidos com o combustível derivado da cana de açúcar.

Os exemplares como Picapes Chevrolet A10 Custom de 1988, eram compradas por comerciantes da área urbana que transportavam cargas leve, ou adquiridas apenas para lazer, pois o modelo fazia em média 3,5 km/l na cidade e 4,5 km/l na estrada, consumo alto até mesmo para a época.

Anúncio

Hoje se tornou um colecionável extremamente raro, e a cada ano fica mais difícil de ser encontrado. Um exemplar em ótimo estado de conservação, ou que tenha passou por um processo de restauração classe “A”, pode alcançar fácil os R$ 130.000,00.

A unidade da nossa matéria é um Chevrolet A10 Custom do ano de 1988, equipado com o motor 4.1 a álcool de 135 cv, carburação DFV 446 original e câmbio mecânico de 4 velocidades, torque máximo de 30 kgfm a 2000 rpm, com velocidade final real de 145 km/h, e capacidade máxima de peso de 1100 kg.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto do projeto, dava ao carro uma boa estabilidade, atendendo as expectativas para um utilitário de grande porte, do final da década de 1980.

Motor –  Utilizando o motor Chevrolet 4.1 a álcool, era robusto, confiável e com um giro bastante estável em altas rotações, mas um beberrão compulsivo, natural de utilitários a álcool da época.

Câmbio –  O câmbio manual de 4 velocidades com alavanca no assoalho, tinha engates precisos, macios e exigindo pouca manutenção.

Retomadas e ultrapassagens – Com carga ou sem carga, era muito seguro e eficiente.

Consumo –  Fazer em média 3,5 km/l na cidade, estava dentro do esperado para um utilitário de 2650 kg, com motor de 6 cilindros a álcool, mais detalhes na ficha técnica no final da matéria.

Acabamento Externo

Faróis –  Quadrados de lentes planas;

Setas dianteiras – Embutida no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono na cor grafite;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Com na cor grafite;

Retrovisores Externos – Estilo panorâmico com ajuste manual;

Frisos – Faixa adesiva em toda a extensão lateral, com o logo “DELUXE”;

Rodas – De de aço tradicionais utilitários Chevrolet;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “A-10 Custom”, na lateral do para-lama dianteiro;

Lanterna Traseira – Tricolor na vertical com luz de ré;

Bagageiro – Não – Picape carroceria de aço e assoalho com forração de madeira;

Teto Solar – Sim;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em vinil;

Volante – Espumado de três raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em tecido;

Acabamento das portas – Em courvin;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Carroceria de aço e assoalho com forração em madeira;

Ficha Técnica – Picapes Chevrolet, o modelo A10 Custom de 1988

Carroceria – Picape;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  Chevrolet 4.1;

Cilindros – 6 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Álcool;

Potência – 135 cv;

Peso Torque – 47,3 kg/kgfm;

Cilindrada – 4093 cm³;

Torque máximo – 30 kgfm a 2000 rpm;

Potência Máxima – 4000 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 4 marchas com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Suspensão dianteira – Independente, Braços sobrepostos – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Eixo rígido – Feixe de molas semielípticas;

Comprimento – 4820 mm;

Distância entre – eixos – 2920 mm;

Largura – 2000 mm;

Altura – 1780 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 25,6 Segundos;

Velocidade máxima – 145 km/h;

Consumo: Cidade 3,5 km/l – Estrada 4,5 km/l;

Autonomia: Cidade 374 km – Estrada 475 km;

Porta malas – 1846 Litros;

Peso – 2686 kg;

Carga útil – 1100 kg;

Tanque de combustível – N/D Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 202.902,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Carros antigos

Abrir bate-papo
Olá 👋
Seja bem vindo

CONTATO Fale Com o Motor Tudo no Facebook.

Carros antigos