Caminhão VW 22-160 V8 a álcool 1987 não eram apenas carros de passeios, mas os pesados também entram na mira do álcool

Compartilhe

Para cumprir as exigências do governo federal, que todo modelo deveria ter uma porcentagem mínima da produção com motores a álcool, tanto carros de passeios, como utilitários leves “picapes”, e até os caminhões entraram na mira do Proálcool, o combustível derivado da cana de açúcar.

A Volkswagen já pegou o projeto pronto lá em 1980, quando adquiriu os direitos da Dodge/Chrysler, que participou diretamente com o governo federal, no desenvolvimento dos primeiros motores a álcool, no meio da década de 1970.

Em 1980 já como modelo 1981, sai do forno o Dodge E-13 motor a álcool Chrysler 318 E – V8 5.2. No segundo semestre de 1982, exatamente os mesmos modelos, recebem a cabine e adereços VW.


O sistema de partida a frio era basicamente o mesmo de carros de passeio, o manual de instruções indicava o seguinte procedimento.

Partida a frio

1- Vire a chave no contato até aparecerem as luzes acesas no painel, “mas sem ligar o motor”;

2 – Puxe totalmente o botão do afogador;

3 – Aperte o botão do injetor, para injetar gasolina no carburador.

4 – De a partida no motor.

5 – Após o motor estabilizar o giro, ou alcançar 2500 rpm, empurre um pouco o botão do afogador e aguarde por alguns minutos, até o ponteiro da temperatura do motor, indicar o aquecimento correto, para movimentar o veículo.

Partida com motor quente

1- Vire a chave no contato até aparecerem as luzes acesas no painel, “mas sem ligar o motor”;

2 – Puxe totalmente o botão do afogador;

3 – Flexione 3 ou 4 vezes o pedal do acelerador até o assoalho;

4 – De a partida no motor;

5 – Assim que o motor entrar em funcionamento, e estabilizar o giro, empurre imediatamente o botão do afogador para o ponto zero, e já poderá movimentar o veículo.

Já a unidade aqui da nossa matéria, é um Caminhão VW 22-160 V8 a álcool 1987, ainda em estado de zero km, que já trazia uma tecnologia um pouco mais moderna, era mais fácil a partida a frio. Alguns modelos tanto Volkswagen, como Ford e Chevrolet, chegaram a sair de fábrica com afogadores automáticos, mas que causavam alguns desconfortos, quando o caminhão afogava no trânsito, se o sistema identificasse que o motor estava na temperatura ideal, o afogador não era acionado, e o motorista, tinha que se virar com o pedal do acelerador.

Ainda falando sobre o Caminhão VW 22-160 V8 a álcool 1987, foi uma época que centenas de milhares de unidades a álcool foram comercializadas, tanto Volkswagen, como Ford e Chevrolet, mas existia um bom motivo para isso.

Os modelos movidos a álcool, ficaram conhecidos como caminhões canavieiros, não apenas pelo combustível que usavam, mas foram largamente comercializados em situações de transporte de pequenos trechos, como em canaviais, e para uso interno em grandes indústrias.

CURIOSIDADE: Na cidade de Cubatão litoral paulista, em 1984 abrigava o maior polo industrial do Brasil, com 18 indústrias, além de uma refinaria de petróleo e uma das maiores siderurgicas do mundo, a antiga COSIPA, no mesmo ano a cidade foi classificada pela OMS, ONU e outras instituições mundiais, como o “Vale da Morte”, a cidade mais poluída do planeta.

Para conter a poluição, foram instalados sensores eletrônicos vindos da Alemanha, em toda a parte interna das indústrias, mas rapidamente descobriram que o sistema não conseguia captar gazes provenientes de motores a combustão a álcool, rapidamente todas as indústrias substituíram suas gigantescas frotas de carros, picapes e caminhões por modelos a álcool.

Valor atualizado Aproximado – R$ 198.258,00 – Sem carroceria;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.