fbpx
Pular para o conteúdo

Passat 86, tipo exportação, na carroceria 4 portas Iraque, 2 portas Nigéria

Compartilhe

O Passat 86, na versão LSE ou na série especial Passat do mês, foram os modelos tipo exportação com unidades comercializadas dentro do território brasileiro. O modelo na carroceria 4 portas era o famoso Iraquiano, exportado para o Oriente Médio, e o mesmo modelo mas na carroceria 2 portas ficou conhecido como nigeriano, exportado para o continente africano.

Mas a história começou bem lá atrás. A filial da montadora alemã aqui no Brasil, em São Bernardo do Campo SP, tinha com o governo nigeriano acordos comerciais, desde a década de 1970, e exportava o nosso VW Brasília 4 portas, rebatizado de VW Igala.

O Passat exportação, na verdade era uma versão 4 portas LSE que começou a ser vendida no Brasil em outubro de 1977 já como modelo 1978, com um acabamento interno diferenciado e com opcional para ar – condicionado. No início da década de 1980, um acordo entre o regime militar de Saddam Hussein e o Presidente brasileiro também militar, João Baptista Figueiredo, firmaram um compromisso, e em 1983 nasce o Passat tipo exportação iraquiano.

Em 1982 com o fim da produção do VW Brasília ou VW Igala, a montadora passa a exportar para a Nigéria o mesmo Passat LSE, porém na carroceria 2 portas, e sem nomenclatura, apenas como VW Passat 1.6.

A diferença entre os dois modelos, além da carroceria duas portas, era a falta do encosto de cabeça no banco traseiro e dos mostradores no console da alavanca de marchas do modelo nigeriano. Aqui no Brasil passaram a ser comercializados no final de 1985 até 1987, como Passat LSE e Passat do mês.

Ambos não receberam no final de 1985, o upgrade para o motor AP 1.6, ainda utilizavam o MD_270 1.6. O motivo era que o Iraque, estava mergulhado em uma guerra, e a Nigéria passava por uma forte crise econômica e financeira. A Volkswagen não conseguiu uma logística viável, para implantar uma nova tecnologia nos dois países, reabastecer concessionárias, que em muitos casos estavam completamente falidas ou inoperantes, transporte de material e etc.

A unidade aqui da matéria é um VW Passat LSE 1.6 1986, “Iraque”, que passou por um impecável processo de restauração, e hoje pertence ao colecionador Cristiano Pissolatto, da empresa Garagem Multimarcas.

VW Igala
Passat nigeriano

Desempenho

Estabilidade –  O Passat quadrado foi o carro nacional mais equilibrado entre os anos de 1974 e 1989, muito eficiente e seguro em curvas de alta mesmo com o piso molhado. Em retas, em velocidades acima de 160 km/h, era firme sem balanços repentinos.

Motor –  O motor MD-270 1.6, era eficiente e muito confiável, com uma ótima aceleração, indo de 0 a 100 em 15,5 segundos, bons números para um modelo 1.6 que pesava mais de 1000 kg.

Câmbio –  O câmbio manual de 4 velocidades, era de relações bastante elásticas, engates macios e precisos, deixando o carro divertido de dirigir, mas na estrada em velocidades acima de 110 km/h, o carro pedia a 5ª marcha que não existia.

Retomadas e ultrapassagens – Sem dúvida era um dos modelos nacionais mais eficiente e seguro, com um conjunto de motor e câmbio que respondia muito bem ao pedal do acelerador.

Consumo –  Na versão a gasolina, fazia 9 km/l na cidade, um consumo considerado muito bom para um modelo médio da década de 1980.

Acabamento Externo

Faróis –  Faróis de lentes quadradas, duplos na horizontal, embutidos em uma moldura cromada;

Setas dianteiras – Embutidas no para-choque;

Para – choques –  Envolventes na cor preto;

Faróis de neblina – Opcional;

Grade de ar do motor – Em lâminas na horizontal na cor grafite;

Retrovisores Externos – Panorâmicos com ajuste mecãnico interno;

Frisos – Emborrachado em toda a extensão do carro;

Rodas – De aço 175/70 R13;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “Passat LSE”, Na tampa do porta – malas;

Lanterna Traseira – Frisadas tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala circular, no console da alavanca do câmbio de marchas também são posicionados alguns mostradores.;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil em tons grafite;

Volante – Espumado de dois raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Interno mecânico;

Acabamento dos bancos – Em tecido aveludadoo;

Acabamento das portas – Em vinil e tecido aveludado;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Com apoio para o braço e encosto de cabeça para dois passageiros;

Encosto de cabeça – Para quatro passageiros, sendo nos bancos dianteiros com regulagem de altura;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Passat 86 – Versão LSE 4 portas – 1.6 tipo exportação

Carroceria – Cupê;

Porte – Médio;

Portas – 4;

Motor –  MD-270 1.6;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 72 cv;

Peso Torque – 83,77 kg/kgfm;

Cilindrada – 1588 cm³;

Torque máximo – 12,2 kgfm a 2600 rpm;

Potência Máxima – 5200 rpm;

Tração – Dianteira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1022 kg;

Suspensão dianteira – Independente, McPherson – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Eixo de torção – Mola helicoidal;

Comprimento – 4262 mm;

Distância entre-eixos – 2470 mm;

Largura – 1600 mm;

Altura – 1355 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 15,5 Segundos;

Velocidade máxima – 151 km/h;

Consumo: Cidade 9 km/l – Estrada 13 km/l;

Autonomia: Cidade 540 km – Estrada 780 km;

Porta malas – 362 Litros;

Carga útil – 450 kg;

Tanque de combustível – 60 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 121.845,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Carros antigos

Caminhonete D10, a arma da GM para enfrentar o Ford F-1000 Elba carro – Chega ao Brasil o SW da família Uno, que tirou o sono dos SW Compacto VW e GM Fiat Oggi CSS 1.4 1984 conheça o Esportivo da Família 147 Vectra Elegance, em 2009 o médio de luxo da Chevrolet ainda causava frisson Toyota Paseo, conheça o cupê compacto da montadora japonesa Corsa 99, a versão Super do popular mais confortável da década de 1990 Opala 6 caneco, a versão standard de 1979 customizada Saveiro 96, o fim da bem sucedida geração quadrada se aproximava Chrysler Neon 2000, o início do fim, do médio de elite, hoje um raro colecionável Vectra 97, nunca restaurado, a versão CD 16V, com teto solar e câmbio automático

CONTATO Fale Com o Motor Tudo no Facebook.

Carros antigos