Motor AP a trajetória do badalado motor Volkswagen

Do Passat 1.5 de 78 CV e velocidade final de 150 KM/h até o Gol GTi 2.0 16V de 141 CV e velocidade final de 206 Km/h

No Brasil durante a década de 1970 antes da chegada do motor AP, os motores que equipavam modelos compactos e de médio porte, eram puco elásticos e com um tempo de vida útil relativamente curto, motores Box VW refrigerados a ar, o motor Chevrolet Família I que equipava a família Chevette, e os motores Renault Cléon Fonte que equipavam a família Ford Corcel, todos andavam em uma balada muito semelhante em desempenho e durabilidade, com uma pequena vantagem do modelo Ford.

Mas em 1974 com a chegada do VW Passat, equipado com o motor EA-827 1.5 de 65 CV, rebatizado aqui no Brasil como motor BR, a história dos modelos médios e compactos ganhou um novo rumo, em comparação aos seus concorrentes nacionais, o EA-827 era mais elástico, com um tempo de vida útil maior, e ainda era acompanhado de um câmbio muito eficiente.

Ficha Técnica – Passat Motor BR 1.5

Carroceria B1;

Porte Médio;

3 ou 2 portas;

Motor BR 1.5;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos Mecânicos;

Tração dianteira;

Combustível Gasolina;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco rígido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 910 KG;

Potência 78 CV;

Potência Máxima 6100 RPM;

De 0 a 100 – 16,1 Segundos;

Velocidade máxima 150 KM/h;

Consumo Consumo na Cidade 9 KM/L – Estrada 12 KM/L;

Porta malas 362 Litros;

Carga útil Não informado;

Tanque de combustível 45 Litros;

Preço atualizado R$ 68.952,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

Em 1975 o motor VW BR 1.5 recebe seu primeiro upgrade e passa a gerar 78 CV de força indo de 0 a 100 em 16,1 segundos, mas a primeira grande mudança foi com a chegada do motor BS 1.6, o mesmo motor, porém com uma nova configuração, que deu origem ao Passat TS em 1976, entregando 98 CV de força com carburador de corpo duplo alemão, indo de 0 a 100 em 13,1 segundos, e velocidade final real de 160 KM/h, aproximando seu desempenho aos gigantes do mercado como Dodge Dart e as versões 2.5 do Opala, porém com muito mais equilíbrio e economia.

Ficha Técnica Passat TS – Motor BS 1.6

Carroceria MK1;

Porte Médio;

3 portas;

Motor BS 1.6;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos Mecânicos;

Tração dianteira;

Combustível Gasolina;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco rígido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 910 KG;

Potência 96 CV;

Potência Máxima 6100 RPM;

De 0 a 100 – 13,1 Segundos;

Velocidade máxima 160 KM/h;

Consumo Consumo na Cidade 9 KM/L – Estrada 12 KM/L;

Porta malas 362 Litros;

Carga útil Não informado;

Tanque de combustível 45 Litros;

Preço atualizado R$ 77.712,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

O primeiro tropeço do motor AP, nasce o motor MD-270 1.6 a Diesel

O sucesso do motor AP, ainda na configuração BR, foi tão grande que a montadora em 1981 realizou um novo e significativo upgrade, nasce o motor MD-270 1.6, junto com a nova configuração, a montadora Volkswagen inova mais uma vez, com o lançamento da Kombi a Diesel.

Tecnicamente falando, oque era bom, se tornou um verdadeiro pesadelo, o novo motor a Diesel entregava apenas 50 CV de força, para puxar 1305 KG, peso do carro sem carga, se estivesse com a carga máxima de peso na carroceria, puxaria um total de 2305 KG, para um motor quase sem fôlego se tornava uma missão quase impossível, e ainda tinha um sério problema de refrigeração, com o radiador na frente e o motor na traseira, a distância era muito grande, quando a água refrigerada voltava para o motor, já chegava novamente aquecida, o resultado principalmente em regiões mais quentes do Brasil, era de blocos trincados, junta do cabeçote queimada, entre diversas outras panes, em muitos casos com o veículo ainda na garantia o motor travava.

Em 1981 o Motor AP chega a família BX

Em 1981 o Voyage Quadrado chega ao mercado, equipado com o motor AP ainda na configuração 1.5 BR e em 1982 já na opção MD-270 1.6, o carro foi um grande sucesso logo de imediato, embalado pelo sucesso do irmão médio Passat, passou a ser visto no mercado como um sedã compacto, confiável e ágil, atingiu em 1982 ao lado do Ford Del Rey, o topo da tabela entre os dois carros nacionais mais emplacados.

Ficha Técnica – Voyage – Motor BR 1.5

Carroceria sedã

Porte Compacto;

2 portas;

Motor VW BR 1.5;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos mecânicos;

Tração Dianteira;

Combustível Álcool;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas  traseiras;

Peso 891 KG;

Potência 78 CV;

Potência Máxima 6100 RPM;

De 0 a 100 – 15,8 Segundos;

Velocidade máxima 151,2 KM/h;

Consumo Consumo na Cidade 9 KM/L – Estrada 15 KM/L;

Porta malas 382 Litros;

Carga útil – não informado;

Tanque de combustível 55 Litros;

Preço atualizado R$ 52.115,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

Ficha Técnica – Voyage Motor MD – 270 1.6

Carroceria sedã

Porte Compacto;

2 portas;

Motor VW MD – 270 1.6;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos mecânicos;

Tração Dianteira;

Combustível Álcool;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas  traseiras;

Peso 891 KG;

Potência 81 CV;

Potência Máxima 5200 RPM;

De 0 a 100 – 15,3 Segundos;

Velocidade máxima 154 KM/h;

Consumo Consumo na Cidade 8,6 KM/L – Estrada 11,9 KM/L;

Porta malas 382 Litros;

Carga útil – não informado;

Tanque de combustível 55 Litros;

Preço atualizado R$ 55.249,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

VW Parati Quadrada, chega ao mercado em 1982 já com o motor MD – 270 1.6 e ganha uma nova tecnologia

Em 1982 A SW compacta da família BX chega ao mercado, já equipada com a nova configuração do motor AP, o MD – 270 1.6 e com uma grande novidade, novo sistema de ignição eletrônica e alternador de alta capacidade, deixando o carro mais eficiente e confiável.

Se tornou a perua compacta mais bem sucedida da década de 1980, graças ao seu eficiente motor e também ao ótimo equilíbrio do conjunto carroceria, chassis e suspensão.

Ficha Técnica – Parati motor MD – 270 1.6 câmbio 4 marchas

Carroceria SW;

Porte Compacto;

2 portas;

Motor MD -270 1.6;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos mecânicos;

Tração dianteira;

Combustível Álcool;

Carburador;

Direção simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 950 KG;

Potência 81 CV;

Potência Máxima 5200 RPM.

De 0 a 100 – 14,9 Segundos;

Velocidade máxima 154 KM/h;

Consumo na Cidade 8,6 KM/L – Estrada 12,5 KM/L;

Porta malas 530 Litros;

Carga útil 460 KG;

Tanque de combustível 55 Litros;

Preço atualizado aproximado R$ 57.972,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

Ano de 1985, câmbio 5 marchas na família BX com motores MD-270 1.6

As versões intermediárias da família BX ganham câmbio 5 marchas como opcional nas versões LS, e no mesmo ano as versões do Gol, S e LS, deixam de ser fabricadas com motor refrigerado a ar, e ganham de série os motores MD- 270 1.6, é mais um salto tecnológico do que seria um dia o motor AP.

O motor MD-270 1.6 com câmbio 5 marchas, passou a ser mais elástico na estrada, com um giro mais suave em altas rotações e diminuindo o consumo de combustível, era o fim das vibrações do motor em velocidades acima de 100 KM/h.

1984, Gol GT 1.8, VW Santana e Passat GTS Pointer, o motor MD -270 atinge seu auge na configuração 1.8, o último passo antes de chegar definitivamente ao Motor AP

Em 1984, a Volkswagen da um grande passo para se manter líder no mercado dos esportivos compactos e médios, nasce o primeiro modelo de luxo na história da montadora no Brasil, o VW Santana, as novas versões esportivas do Passat e Gol quadrado, também dão as caras, todos utilizando o mesmo motor, o VW MD – 270 1.8, muitos fãs da montadora até hoje acham que o ano de 1984 já iniciou com motor AP 1.8 nas versões e modelos sitados, mas na verdade o motor MD – 270 1.6, foi transformado na fera MD – 270 1.8, entregando oficialmente 99 CV de força, na prática aproximadamente 107 CV e ainda equipado com ignição eletrônica e alternador de alta capacidade, fazendo modelos como o Gol GT 1.8 e Passat GTS Pointer, atingirem velocidade final real entre 170 KM/h e 173 Km/h, um número bastante significativo para a primeira metade da década de 1980.

Mas como nada é perfeito, logo os engenheiros da montadora detectaram um sério problema, em altas rotações o motor vibrava muito, passando desconforto para o motorista e diminuindo o tempo de vida útil do conjunto motor e câmbio, a solução viria no ano seguinte.

Os motores MD-270 1.8 cobraram o preço das mudanças: suas bielas eram muitos curtas, de 136 mm, e o virabrequim tinha curso maior, em 1985 o problema foi resolvido, instalaram bielas maiores, de 144 mm, pistões de maior diâmetro e virabrequim com menor curso, assim nasce no Brasil a primeira geração do motor AP 1.8 e em 1986 o motor AP 1.6.

Ficha Técnica – Gol GT 1.8 1984 MD- 270 1.8 – 4 marchas

Carroceria Hatch;

Porte Compacto;

2 portas;

Motor MD-270 1.8;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos mecânicos;

Tração dianteira;

Combustível Álcool;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 900 KG;

Potência 99 CV oficial, na prática entregava aproximadamente 107 CV;

Potência Máxima 5400 RPM;

De 0 a 100 – 11,7 Segundos;

Velocidade máxima 170 KM/h;

Consumo Consumo na Cidade 6,4 KM/L – Estrada 10 KM/L;

Porta malas 273 Litros;

Carga útil Não informado;

Tanque de combustível 55 Litros;

Preço atualizado R$ 55.732,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

Ficha Técnica – Volkswagen Santana 1984

Motor MD-270 – 1.8

Carroceria Sedã.

Porte Médio.

Quatro portas.

Motor MD-270 1.8.

Cilindros 4 em linha.

Tuchos mecânicos.

Tração dianteira.

Combustível Gasolina.

Carburador.

Direção Simples hidráulica opcional.

Câmbio manual de 5 marchas.

Freios disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras.

Peso 1070 KG.

Potência 99 CV.

De 0 a 100 – 13,8 Segundos.

Velocidade máxima 171 KM/h.

Consumo Cidade 7,3 KM/L Estrada 13 KM/L.

Porta malas 394 Litros.

Carga útil Não informado.

Tanque de combustível 75 Litros.

Preço atualizado aproximado R$ 118.132,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária..

Ficha Técnica – Passat GTS Pointer MD-270 1.8

Motor MD-270 – 1.8

Carroceria Sedã.

Porte Médio.

Duas portas.

Motor MD-270 1.8.

Cilindros 4 em linha.

Tuchos mecânicos .

Tração dianteira.

Combustível Gasolina.

Carburador.

Direção Simples.

Câmbio manual de 4 marchas e a partir de 1985 câmbio manual de 5 marchas.

Freios disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras.

Peso 980 KG.

Potência 99 CV.

De 0 a 100 – 13 Segundos.

Velocidade máxima 173 KM/h.

Consumo Cidade 7,4 KM/L Estrada 10,7 KM/L.

Porta malas 362 Litros.

Carga útil Não informado.

Tanque de combustível 60 Litros.

Preço atualizado aproximado R$ 81.128,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária..

1985 Chega ao mercado a primeira geração do Motor AP

Toda a linha VW Santana, além dos esportivos Passat GTS Pointer 1.8 e Gol GT 1.8, receberam a primeira geração do motor AP, ainda carburado e com tuchos mecânicos, basicamente tinha a mesma potencia de seu antecessor o MD – 270 1.8, porém bem mais elástico, com um tempo de vida útil maior e em altas rotações se mantinha muito mais estável.

No mesmo ano o Passat GTS Pointer 1.8, já equipado com o motor AP, foi considerado o carro nacional mais equilibrado, estável e rápido de toda a história da industria automobilística nacional.

Mais resistente e valente, o Gol GT 1.8 entre 1985 e 1986 passou a ser o compacto nacional, mais rápido e confiável do mercado.

Entre os três beneficiados com o motor AP 1.8, o VW Santana, foi o modelo com o menor desempenho, mesmo sendo um modelo mais atualizado que o Passat, era mais pesado, e com uma aerodinâmica menos eficiente.

1986 chega ao mercado o motor AP 1.6.

Em 1986 as versões básicas e intermediárias do Passat ganham motor AP 1.6, alinha BX, Gol, Voyage, Parati e Saveiro, também passam a ser equipados com o nova versão AP 1.6.

Os únicos modelos VW em 1986 que não foram equipados com o badalado motor AP, foram, Gol BX, que ainda era com o motor Box 1.6 refrigerado a ar, e o Passat LSE 1.6, que por questões políticas e de logística no Iraque a montadora optou em manter o MD – 270 1.6.

Ficha Técnica – VW Gol LS AP 1.6 1986

Carroceria hatch.

Pequeno porte.

Duas portas.

Motor AP 1.6 longitudinal.

Tração dianteira.

Combustível Álcool.

Carburador.

Direção Simples.

Câmbio manual de 5 marchas.

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras.

Peso 907 KG.

Potência 90 CV.

De 0 a 100 – 11,9 Segundos.

Velocidade máxima 165 KM/h.

Consumo Cidade 7,6 KM/L Estrada 11,9 KM/L.

Porta malas 273 Litros.

Carga útil 390 KG.

Tanque de combustível 55 Litros.

Preço atualizado aproximado R$ 52.149,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

1987 a família Santana ganha o Motor AP 2.0

A concorrência com o Chevrolet Monza estava no auge, entre 1984 e 1986 o modelo da GM liderou o mercado dos sedãs médios no país, com a chegada do motor AP 2.0, e o novo visual do Santana com para – choques envolventes e na nova versão GLS, com luz de longo alcance embutidas em um mesmo conjunto com os faróis, fizeram o modelo da VW finalmente assumir a ponta da tabela dentro do seguimento.

Dentro da família Santana, a diferença em desempenho entre os motores AP 1.8 e 2.0, era pequena, em velocidade final aproximadamente 10 KM/h e de 0 a 100, 2 segundos, mas o grande diferencial ficava na estabilidade do giro em altas rotações e o tempo de vida útil, a versão 2.0 era bem mais estável e exigia menos manutenção.

Ficha Técnica – VW Santana 2.0 1987

Carroceria Sedã;

Porte Médio;

4 portas;

Motor AP 2.0;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos mecânicos;

Tração dianteira;

Combustível Gasolina;

Carburador;

Direção Hidráulica;

Câmbio manual de 5 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco ventilados nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 1120 KG;

Potência 112 CV;

Potência Máxima 5200 RPM.

De 0 a 100 – 11,5 Segundos;

Velocidade máxima 170 KM/h;

Consumo Consumo na Cidade 6,2 KM/L – Estrada 9,4 KM/L;

Porta malas 363 Litros;

Carga útil 440 KG;

Tanque de combustível 75 Litros;

Preço atualizado aproximado Não informado;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

Em 1989 o Motor AP chega a era dos injetados e ganha tuchos hidráulicos, nasce o Gol GTi 2.0

Um salto tecnológico bastante significativo, para o motor AP, nascia um novo conceito de sistema de alimentação, muito mais preciso e eficiente, mas no primeiro semestre de 1989, as primeiras unidades do Gol GTi 2.0, apresentaram algumas falhas, o novo sistema Bosch de injeção multiponto, já testado e aprovado na Europa, desde o início da década de 1980, não conseguiu em um primeiro momento, se adaptar ao nosso combustível de péssima qualidade, consumo desproporcional ao novo sistema, e falhas em altas rotações, os engenheiros da montadora em conjunto com profissionais da Bosch, resolveram o problema já no segundo semestre, entregando ótimos 120 CV de força e velocidade final de 181 KM/h reais, o AP foi o primeiro motor brasileiro a receber injeção eletrônica.

Ficha Técnica Gol GTi 2.0 1989

Carroceria Hatch;

Porte Compacto;

2 portas;

Motor VW AP 2.0 segunda geração;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos Hidráulicos;

Tração Dianteira;

Combustível Gasolina;

Injeção Multiponto;

Direção Hidráulica;

Câmbio manual de 5 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas  traseiras;

Peso 997 KG;

Potência 120 CV;

Potência Máxima 5600 RPM;

De 0 a 100 – 9,2 Segundos;

Velocidade máxima 181 KM/h;

Consumo Consumo na Cidade 8,5 KM/L – Estrada 13,4 KM/L;

Porta malas 146 Litros;

Carga útil 340 KG;

Tanque de combustível 47 Litros;

Preço atualizado R$ 75.325,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

1990 o poderoso Santana Executivo de 125 CV chega ao mercado

Para muitos foi a melhor e mais bonita versão do Volkswagen Santana da história, o primeiro motor AP injetado no modelo médio da montadora alemã aqui no Brasil, ainda montado na posição longitudinal, mas já com tuchos hidráulicos e sistema de injeção multiponto, levando o carro de 0 a 100 em 11,5 segundos, um bom número para um modelo médio pesando 1150 KG.

Ficha Técnica – Santana Executivo 2.0i Automático 1990

Carroceria Sedã;

Porte Médio;

4 portas;

Motor AP 2.0i segunda geração;

Cilindros 4 em linha;

Tuchos hidráulicos;

Longitudinal;

Tração dianteira;

Combustível Gasolina;

Injeção Multiponto;

Direção Hidráulica;

Câmbio Automático de 3 marchas;

Freios disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 1150 KG;

Potência 125 CV;

De 0 a 100 – 11,5 Segundos;

Velocidade máxima 169,2 KM/h.

Consumo Cidade 8,8 KM/L Estrada 11,5 KM/L.

Porta malas 353 Litros.

Carga útil 445 KG.

Tanque de combustível 72 Litros.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

Em 1989 o motor AP chega a Ford, nasce a Autolatina

Pela primeira vez o motor AP seria montado na posição transversal, e o mais curioso de tudo, em modelos da montadora concorrente, a Ford, nascia a Autolatina.

Entre os anos de 1984 e 1988 era muito comum ouvir de fãs da VW e Ford a seguinte frase, “imaginem o XR3 com o motor AP 1.8”, o que parecia impossível se tornou realidade, com a parceria Autolatina, nascia o Escort XR3 1.8 com Volkswagen motor AP, o mesmo ocorreu com o Ford Del Rey e Pampa.

O Volkswagen Santana também ganhou uma versão de roupa Ford, o badalado e extremamente elegante Ford Versailles.

Os híbridos também surgiram na parceria FordWagen, Volkswagen Apollo, Volkswagen Logus e Volkswagen Pointer, todos montados na plataforma do Ford Escort e motor AP transversal, eram carros muito elegantes, confortáveis, bonitos e com uma suspensão pouco eficiente e desequilibrada, o VW Pointer foi uma tentativa tosca e frustrada de reeditar o poderoso, equilibrado e muito eficiente VW Passat GTS 1.8 Pointer.

Mas alguns projetos da parceria foram muito bem sucedidos, o Ford Escort XR3 2.0 1993 com injeção eletrônica multiponto, se tornou o carro nacional de maior velocidade final do Brasil.

Ficha Técnica – Ford Escort XR3 2.0i 1993

Carroceria Hatch;

Médio porte;

Duas portas;

Motor VW AP 2.0 – segunda geração;

Cilindros 4 em linha;

Posição Transversal;

Tuchos hidráulicos;

Tração dianteira;

Combustível Gasolina;

Injeção Multiponto;

Direção Hidráulica;

Câmbio manual de 5 marchas;

Freios a disco ventilados nas rodas dianteiras e sólidos nas rodas traseiras;

Peso 1120 KG;

Potência 120 CV;

De 0 a 100 – oficialmente 9,7 segundos;

Velocidade máxima 187 KM/h;

Consumo Cidade 7 KM/L Estrada 10 KM/L;

Porta malas 325 Litros;

Carga útil 385;

Tanque de combustível 64 Litros;

Preço atualizado aproximado – Não Informado;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária

1996 nasce o Gol GTi 2.0 16V com bloco mais alto, atingindo mais de 200 KM/h de velocidade final real

Além do novo bloco mais alto, bielas 15 MM maiores, coxins hidráulicos e transmissão superdimensionada do Audi A4, toda a tecnologia foi desenvolvida na Alemanha, nasce o novo motor AP, uma nova geração, em 1996, passou a ser o carro produzido no Brasil, mais nervoso e de melhor velocidade final.

O Gol Bola GTi 16V, não era apenas muita rápido e ágil, mas também tinha uma estrutura muito equilibrada, em curvas de alta e em retas em altas velocidades, o carro se mantinha muito estável.

Ficha Técnica – Volkswagen Gol GTi 2.0 16V 1996

Carroceria hatch;

Porte Compacto;

2 portas;

Motor AP 2.0 16V;

Tração dianteira;

Combustível Gasolina;

Injeção Multiponto;

Direção Hidráulica;

Câmbio manual de 5 marchas;

Freios a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 1119 KG;

Potência oficial 141 CV.

De 0 a 100 – 8,8 Segundos;

Velocidade máxima 206 KM/h;

Consumo Cidade 8,3 KM/L Estrada 12,3 KM/L;

Porta malas 269 Litros;

Carga útil Não informado;

Tanque de combustível 53 Litros;

No ano 2000 nasce a nova geração do Gol o G3, 26 anos após o lançamento da versão BR 1.5, o Motor AP ainda sobrevive com muita eficiência

Na versão Gol GTI 2.0 16V o desempenho era bastante semelhante do seu antecessor, a versão Bola, a nomenclatura EA volta ao mercado, e deixa de ser AP, basicamente é o mesmo motor mas com novos upgrades, o EA837, entregava a mesma potência e o desempenho do GTi 16V bola.

Ficha Técnica – Gol GTi 2.0 16V 2000

Carroceria hatch

4 portas

Porte compacto

Motor VW EA837 2.0.

16 Válvulas

Ingeção Multiponto.

Direção Hidráulica.

Câmbio manual de 5 marchas.

Freios disco ABS ventilados nas rodas dianteiras e disco sólido nas rodas traseiras.

Peso 1115 KG.

Potência 145 CV.

De 0 a 100 – 8,7 Segundos.

Velocidade máxima 206 KM/h.

Consumo Cidade 9,3 KM/L Estrada 12,3 KM/L.

Porta malas 285 Litros.

Carga útil 380 KG.

Tanque de combustível 51 Litros.Ainda hoje os motores Ap, rebatizados de EA, são produzidos em configurações diferentes da versão dos anos 1980 e 1990, mas matem a mesma essência do primeiro motor AP

Motor Tudo – A História do motor AP

2 comentários sobre “Motor AP a trajetória do badalado motor Volkswagen”

  1. Bom dia tenho dois Ap´s Carro e um Turbo e por isso me interessei pela página por falar do que gosto Carros Antigos e por isso vou me cadastrar bacana

Deixe uma resposta