Kombi verde, a nossa corujinha agora roda o mundo

Compartilhe

O VW Kombi verde da nossa matéria, é um exemplar do ano de 1975, que foi devidamente restaurado no padrão classe “A”. Hoje um clássico muito procura e valorizado, alvo de norte-americanos e colecionadores dos principais países da Europa, que vem ao Brasil para procurar e comprar exemplares em bom estado ou em condições de serem restaurados.

No pós guerra, durante a década de 1950, os países mais desenvolvidos, principalmente aqueles que se envolveram no conflito, precisavam se reerguer, e a exportação era o melhor caminho. O VW Kombi foi uma das soluções dos empresários alemães. O lançamento foi simultâneo com a Alemanha, 1950 começa a fabricação na Europa, e no mesmo ano a empresa Brasmotor Brastemp, começa a importação para o Brasil.

Entre 1950 e 1975, ainda utilizando o visual corujinha, a Kombi lotação e furgão, foram utilizadas por indústrias e empresas de pequeno e médio porte, para transporte de funcionários, e carga leve na área urbana. No Brasil o modelo com o visual corujinha ficou bem mais tempo em produção, e foi muito comercializado, um veículo com a cara de países de terceiro mundo, prático e de manutenção de baixo custo.

O resultado de tantas unidades emplacadas durante 25 anos, foi um número razoável de unidades remanescentes que se tornaram colecionáveis, poucas ainda em estado original de fábrica, muitas restauradas em padrão classe “A”. Atraindo a atenção de estrangeiros que pagam boas quantias para levar para seu país um exemplar e colocar em seu acervo pessoal.

A unidade da nossa matéria é um VW Kombi 1975 com motor 1500 de 52 cv, com torque máximo de 9,1 kgfm a 2600 rpm, com velocidade final rela de 100 km/h, Consumo: Cidade 5 km/l – Estrada 6,6 km/l.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto do projeto, era eficiente para cumprir o papel de um utilitário com tecnologia para a década de 1970.

Motor –  Utilizando o motor Volkswagen 1500 de 52 cv, era confiável, porém pouco elástico, as trocas de marchas deveriam sempre serem feitas proporcionalmente a velocidade do veículo, para evitar a diminuição do tempo de vida útil do motor.

Câmbio –  O câmbio de 4 velocidades era eficiente, mas após 12 ou 24 meses, a alavanca do câmbio apresentava folga, encaixes imprecisos ou impossíveis.

Retomadas e ultrapassagens – Para um utilitário da década de 1970, cumpria seu papel, mas com carga máxima de 970 kg, era bom negociar bem as ultrapassagens.

Consumo –  Na teoria era um modelo bem econômico, mas na prática a história era outro, o consumo era em média 5 km/l na cidade, conforme ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes boleadas, embutidos em uma moldura cromada.

Setas dianteiras – Posicionadas acima dos faróis;

Para – choques –  Em aço carbono na cor branca, estilo cabide;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Entrada de ar forçado, pela lateral traseira;

Retrovisor Externo – Redondo com haste metálico;

Frisos – Não;

Rodas – De aço tradicionais família Kombi, com calotas cônicas, na cor branca;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “1500” na tampa do motor;

Lanterna Traseira – Bicolor sem luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em metal na cor da carroceria;

Volante – De dois raios;

Sistema de som – Não;

Ventilador – Não;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Não;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – N/D;

Cinzeiro – N/D;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em vinil;

Acabamento das portas – Em madeira curtiça;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Emborrachado;

Ficha Técnica – Kombi verde – Do ano de 1975

Carroceria – Van / Lotação;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor – VW 1500 Boxer;

Cilindros – 4 opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Peso Torque – 122,0 kg/kgfm;

Tração – Traseira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Tambor nas quatro rodas;

Peso – 1100 kg;

Comprimento – 4300 mm;

Distância entre-eixos – 2400 mm;

Largura – 1746 mm;

Altura – 1925 mm;

Potência – 52 cv;

Cilindrada – 1493 cm³;

Torque máximo – 9,1 kgfm a 2600 rpm;

Potência Máxima – 4200 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 46 Segundos;

Velocidade máxima – 100 km/h;

Consumo: Cidade 5 KM/L – Estrada 6,6 km/l;

Autonomia: Cidade 215 km – Estrada 284 km;

Porta malas – 750 Litros;

Carga útil – 970 kg;

Tanque de combustível – 43 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 112.248,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário