Kadett SL, a versão de entrada do médio da Chevrolet, o mais equilibrado da categoria

Compartilhe

A unidade aqui da matéria, é um Kadett SL, do ano de 1992. Entre o final da década de 1980, após o Passat quadrado ser descontinuado, e início da década de 1990, o projeto da GM foi o modelo entre os médios e compactos, mais equilibrado e de melhor aerodinâmica produzido em solo brasileiro, ao lado do compacto Fiat Uno.

Extremamente estável, mesmo em retas, em altas velocidades, e em curvas de alta. A versão de entrada oferecia poucos instrumentos de luxo e conforto, natural da indústria automobilística brasileira. Ainda no início da década de 1990, seus principais concorrentes Ford Escort e o recém chegado Fiat Tipo em 1993, e mais a frente em 1994, o VW Pointer, um produto Ford Wagen, se igualavam ao Kadett no quesito conforto e acabamento interno.

Mas os modelos Ford Escort e VW pointer, não ofereciam o mesmo equilíbrio e estabilidade. Já o Fiat Tipo era mais próximo do modelo Chevrolet em desempenho e equipamentos de luxo e conforto na versões intermediárias. Mas pecava na qualidade, com pequenos incêndios na parte elétrica e vazamentos de óleo de câmbio.

O exemplar da matéria é um Kadett SL 1.8 1992, de série trazia, ar-quente, desembaçador elétrico do vidro traseiro, bancos aveludados com encosto de cabeça vazado, para-brisa degradê, e alarme, é direcionado para colecionadores sem reforma ou restauração.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto do projeto, era muito eficiente e equilibrado, o carro se comportava muito bem em curvas de alta, e em retas em velocidades acima de 150 km/h se mantinha estável sem balanços repentinos.

Motor –  Utilizando o motor Chevrolet Família II 1.8 de 98 cv, era rápido e muito confiável, em altas rotações tinha um torque bastante suave, sem passar vibração para a carroceria.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 velocidades, sem dúvida era um dos melhores do mercado, muito macio e de engates precisos.

Retomadas e ultrapassagens – Com um câmbio preciso e um motor com muito fôlego, aliado a uma estrutura bastante equilibrada, era seguro e muito eficiente.

Consumo –  O kadett SL 92 como motor 1.8 e injeção monoponto, fazia 12,8 km/l na estrada, era considerado dentro dos padrões para a década de 1990. Mas o ponto negativo ficava para o consumo acima do esperado para quem tinha o hábito de trocar as marchas acima de 3000 rpm, maiores detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Chanfrados de lentes planas;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto com os faróis;

Para – choques –  Envolventes na cor preto, com um fino friso metálico;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – De plástico, na cor grafite, com frisos na vertical e horizontal;

Retrovisores Externos – Panorâmicos, com ajuste mecânico interno;

Frisos – Emborrachados, em toda a extensão lateral do carro, e o logo “Kadett SL”;

Rodas – Rodas de aço 165/70 R13;

Maçanetas – Embutidas nas portas na cor grafite;

Logo – “1.8 E.F.I”, na tampa do porta malas;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Opcional;

Acabamento interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em vinil na cor grafite;

Volante – Espumado de dois raios;

Sistema de som – Opcional;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Mecânico interno;

Acabamento dos bancos – Em tecido aveludado;

Acabamento das portas – Em courvin;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Rebatível;

Encosto de cabeça – Vazados, para dois passageiros nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Kadett SL – Ano 1992 motor 1.8 a gasolina

Carroceria – Hatch;

Porte – Médio;

Portas – 4;

Motor –  Família II Chevrolet 1.8;

Cilindros – 4 em linha;

Posição – Transversal;

Peso Torque – 69,2 kg/kgfm;

Tração – Dianteira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Injeção Monoponto;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 5 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1010 kg;

Comprimento – 3998 mm;

Distância entre-eixos – 2520 mm;

Largura – 1663 mm;

Altura – 1390 mm;

Potência – 98 cv;

Cilindrada – 1796 cm³;

Torque máximo – 14,6 kgfm a 3600 rpm;

Potência Máxima – 5800 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 12,3 Segundos;

Velocidade máxima – 167 km/h;

Consumo: Cidade 9,2 km/l – Estrada 12,3 km/l;

Autonomia: Cidade 432 km – Estrada 601 km;

Porta malas – 390 Litros;

Carga útil – 480 kg;

Tanque de combustível – 47 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 126.752,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário