História do motor CHT do Sucesso ao erro fatal

Herdado do projeto Willys / Renault, o motor Cléon Fonte, posteriormente rebatizado de CHT, foi sucesso absoluto nas décadas de 1970 e nos três primeiros anos da década de 1980

Como todos já sabem, a Ford aproveitou a compra da parceria Willys / Renault aqui no Brasil, e laçou um dos carros mais bem projetados da história da industria automobilística nacional, o Corcel 1, equipado com o motor 1.3, 1.4 e 1.6 Cléon Fonte até 1983, em 1984 recebeu mais um upgrade e foi rebatizado de CHT, a primeira geração do Corcel tinha um peso muito bem distribuído, mesmo sendo de porte médio, disputava uma boa fatia do mercado com os compactos VW refrigerados a ar.

Em 1973 com a chegada do moderno VW Passat, e da promessa Dodge Polara, o modelo da Ford não se intimidou, continuou sendo um dos modelos entre os médios e compactos mais desejados do mercado.

Em 1981 duas grande surpresas, a Ford trás de volta para o mercado o Corcel Sedã, agora rebatizado de Ford Del Rey e com um acabamento bastante requintado, equipado com o motor Cléon Fonte 1.6 a álcool, se tornou o carro nacional mas desejado e vinculou entre os três carros nacionais mais vendidos entre 1981 e 1982.

A segunda grande surpresa foi a incrível adaptação do motor Cléon Fonte ao novo combustível do mercado, o álcool, o sucesso foi tão grande que a Ford entre os anos de 1980 e 1983, não dava conta da demanda, a fila de espera para comprar um Del Rey ou Corcel 2, podia chegar até 120 dias.

O Grande tropeço na História do motor CHT

Em 1984 ficou bastante claro que o novo Escort que em 1983 acabara de chegar ao mercado, precisava de um motor mais potente e atualizado, também os médios Del Rey e Corcel 2, já precisavam de mais fôlego, mas os sinais foram rejeitados pela montadora.

Os concorrentes Volkswagen e Chevrolet, vinha trabalhando em projetos de motores para melhor adaptação ao álcool, e em busca de mais potência para os modelos recém lançados, como VW Santana e Chevrolet Monza, a Fiat detiava e rolava em vendas com os compactos 147 e Uno.

Em 1985, chegou a hora de trazer os modernos e eficientes motores Ford Kent ou a primeira geração do Zetec 8V, mas a Ford alegava problemas financeiros na América do Sul, informação que não ia de encontro com a realidade.

A montador dizer que passava por dificuldades financeiras a ponto de não conseguir trazer um projeto já pronto da Europa, sendo que entre 1980 e 1983 o Corcel 2 e o Del rey estavam entre os carros mais vendidos do Brasil a ponto de terem filas de espera, e entre 1984 e 1986 o Ford Escort literalmente sustentou a montadora ficando entre os nacionais mais vendidos.

Independente da verdade por trás dos bastidores, a Ford acabou pagando um preço bastante alto, a História do motor CHT, acabou indo de sucesso e salvadora da montadora, ao fracasso na segunda metade da década de 1980, levando a Ford, a se sujeitar em utilizar o motor de seu principal concorrente “Volkswagen”, que para muitos fãs da montadora americana foi humilhante.

Até o ano de 1996 o CHT ainda sobre viveu equipando modelos como Volkswagen Go 1000 e Escort Hobby.

Ficha Técnica – Escort XR3 1983

Carroceria hatch;

Porte Médio;

2 portas;

Motor Cléon Fonte / CHT 1.6;

Cilindros 4 em linha;

Transversal;

Tuchos mecânicos;

Tração Dianteira;

Combustível álcool;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 5 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 934 KG;

Potência 81,7 CV;

Potência Máxima 5600 RPM;

De 0 a 100 – 13,9 Segundos;

Velocidade máxima 162 KM/h;

Consumo Consumo na Cidade 6,8 KM/L – Estrada 11 KM/L;

Porta malas 250 Litros;

Carga útil 382;

Tanque de combustível 48 Litros;

Preço atualizado Não informado;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

Ficha Técnica – Ford Corcel 1970

Carroceria Coupé.

Porte Médio.

Duas portas.

Motor Cléon-Fonte/CHT.

Cilindros 4 em linha.

Tuchos mecânicos.

Tração dianteira.

Combustível Gasolina.

Carburador.

Direção simples.

Câmbio manual de 4 marchas.

Freios a tambor nas quatro rodas.

Peso 944 KG.

Potência 68 CV.

De 0 a 100 – 23,6 Segundos.

Velocidade máxima 129 KM/h.

Consumo Cidade 10 KM/L Estrada 13,4 KM/L.

Porta malas 380 Litros.

Carga útil Não informado.

Tanque de combustível 57 Litros.

Preço atualizado aproximado R$ 60.728,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária.

História do motor CHT

Please follow and like us:

Deixe uma resposta