Fusca Ragtop 1968 O teto solar para quem tem estilo

Se a montadora não disponibilizava de série teto solar na família VW Fusca, a criatividade e bom gosto dos proprietários, resolvia o problema, com o famoso Ragtop

Durante as décadas de 1960 e 1970, em diversos pontos do Globo, Europa, América do Norte, América do Sul e alguns países da Oceania e Asia, viviam a era da libertada de expressão dos jovens, reprimida por muito regimes autoritários, e um dos símbolos de liberdade, sem dúvida foram modelos de carros como o, Fusca Ragtop 1968.

No Brasil, empresas como a Santilli no final da década de 1960, e outras como Envemo, entre as décadas de 1970 e 1980, disponibilizavam, para o VW Fusca e diversos outros modelos nacionais, o teto solar customizado, hoje conhecido como Ragtop.

Diversos modelos tomaram conta do mercado, entre eles, o mais raro que era o de acrílico, fosco e transparente. Os modelos e dimensões sempre variaram conforme a época e o estilo do proprietário.

Desempenho Fusca Ragtop 1968

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão, era relativamente eficiente, considerando a tecnologia da época. Em curvas de alta com o piso molhado era sempre bom o motorista ficar atendo a saídas de pista, em retas se mantinha estável em velocidades acima de 80 KM/h. Com o teto solar aberto, o carro sofria balanços repentinos em retas.

Motor – O motor Volkswagen Boxer 1300, em 1968 ganha sistema elétrico de 12 Volts, mesmo com o novo upgrade ainda era necessário, estar em dia com as manutenções de platinado e bobina.

Câmbio – Ganha novos sincronizadores na 1ª e 2ª marchas e novos rolamentos com gaiola plástica nas engrenagens do câmbio.

Retomadas e ultrapassagens – Atendia as expectativas para um compacto da década de 1960, mas era sempre bom o motorista negociar bem as ultrapassagens.

Consumo – A versão 1300 era o que chamamos hoje de consumo de carro popular, com ótimos 8 KM/L na cidade, na estrada com o teto solar aberto o consumo aumentava significativamente, conforme ficha técnica no final da matéria.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos, de lentes boleadas, embutidos em uma moldura cromada.

Setas dianteiras – Acima dos para – lamas;

Para – choques –  Cromados, estilo cabides;

Grade de ar do motor – Frisada abaixo do vidro traseiro;

Retrovisores – Cromado estilo raquete;

Frisos – Cromados em toda a extensão do carro;

Rodas – Rodas de aço tradicionais da família Fusca, com lindas calotas cônicas cromadas;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “VW” no capô dianteiro, e “1300” na tampa do motor;

Lanterna Traseira – Bicolor sem luz de ré;

Bagageiro – Opcional;

Teto Solar – Sim, estilo Ragtop;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular, embutidos em uma moldura cromada;

Acabamento do painel – Em metal nas cores da carroceria;

Volante – De plástico injetado de dois raios, com aro cromado, em formato de meia lua, para acionamento da buzina, e brasão Wolfsburg ao centro;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Não;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Não;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em vinil;

Acabamento das portas – Em vinil;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Emborrachado;

Ficha Técnica Fusca – Fusca Ragtop 1968 1300

Carroceria – Sedã;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor – VW Boxer 1300;

Cilindros – 4 Opostos;

Posição – Longitudinal;

Tuchos – Mecânicos;

Tração – Traseira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a tambor nas quatro rodas;

Peso – 780 KG;

Comprimento – 4070 mm;

Distância entre-eixos – 2400 mm;

Potência – 38 CV;

Cilindrada – 1285 cm³;

Torque máximo – 9 kgfm a 2800 rpm;

Potência Máxima – 4000 RPM;

Aceleração de 0 a 100 – 45 Segundos;

Velocidade máxima – 105 KM/h;

Consumo: Cidade 8 KM/L – Estrada 12 KM/L, com 5 adultos e teto solar aberto 9 KM/L;

Autonomia: Cidade 328 KM – Estrada 492 KM;

Porta malas – 141 Litros;

Carga útil – 380 KG;

Tanque de combustível – 41 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 56.133,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Please follow and like us:

Um comentário sobre “Fusca Ragtop 1968 O teto solar para quem tem estilo”

  1. Em 1965 a Volkswagen lançou o sedan com teto solar de metal como opcional.
    Não colou no Brasil pois ficou com fama de “carro de corno”!
    A estupidez do brasileiro não permitiu que o modelo fizesse sucesso e a linha 1966 já não tinha esse opcional.

Deixe uma resposta