Ford Mustang Fastback, a segunda fornada do monstro americano, 1965

Compartilhe

A primeira fornada foi em abril de 1964, já como modelo 1965, nas carrocerias cupê e conversível, mas em outubro de 1964 chega a carroceria, Ford Mustang Fastback, 2×2, um visual mais europeu, mas por baixo do capô, o DNA Muscle Car Ford, com o poderoso Windsor V8 de 4.8L, 275 cv, carburador de corpo quádruplo e velocidade final real de 225 km/h.

Um dos raros sobreviventes da geração Muscle Car norte-americana da década de 1960, que ainda é produzido. O modelo foi desenvolvido para o público norte-americano, mas com o crescimento das exportações desde o fim da segunda guerra mundial, principalmente para países europeus, a montadora resolveu desenvolver a carroceria Fastback, com um apelo mais esportivo, que acabou também caindo no gosto dos estadunidenses.

Uma curiosidade, durante a década de 1960 e início da década de 1970, quando ainda as fronteiras comerciais aqui no Brasil eram abertas para importações, era bastante comum nos grandes centros como, São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre, ver unidades, tanto do Ford Mustang Fastback, como do Mustang Cupê.

Por algum motivo ainda não explicado, na região em que vivo, no litoral paulista, entre o final das décadas de 1970 e início da década de 1980, era relativamente comum ver unidades Ford Mustang das décadas de 1960/70, paradas em garagens como uma espécie de troféu ou relíquia colecionável.

Desempenho

Estabilidade –  A estrutura do projeto Ford, dava ao carro um bom equilíbrio, mas como todo Muscle norte-americano da década de 1960, uma suspensão muito macia e uma sistema de direção não muito preciso, era sempre bom o motorista ficar atente em velocidades acima de 160 km/h.

Motor –  O motor 4.8 de 275 cv, na configuração original de fábrica, era robusto, rápido e com um ronco inconfundível. Com velocidade final real de 225 km/h e aceleração de 0 a 100 em 8,6 segundos.

Câmbio –  O câmbio automático, atendia o proposto para um esportivo da década d e1960, eficiente em retomadas, e sem tranco em altas velocidades.

Retomadas e ultrapassagens – Um modelo com um valente V8 embaixo do capô, que respondia muito bem ao pedal do acelerado, era rápido e seguro.

Consumo –  Para um motor de 8 cilindros, de um carro de alto custo, fazer 3,8 km/l na cidade, estava dentro do esperado para a época, mais detalhes na ficha técnica no final da matéria.

Acabamento Externo

Faróis –  Faróis redondos de lentes boleadas embutidos, com recuo;

Setas dianteiras – Posicionada abaixo dos para-choques;

Para – choques –  Em aço carbono cromados;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Com moldura cromada e o brasão “Mustang” ao centro;

Retrovisores Externos – Redondos cromados;

Frisos – Não;

Rodas – Tradicionais família Mustang;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “Mustang” na lateral do para-lama dianteiro;

Lanterna Traseira – Em cor única, dividida em três blocos na vertical;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumento

Painel – Com mostradores em escala horizontal e circular, com diversos mostradores, incluindo no console da alavanca de marchas;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em couro, aço e detalhes cromados;

Volante – De plástico injetado de três raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Opcional;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Analógico;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em couro;

Acabamento das portas – Em couro e detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Estilo poltrona 2×2;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Ford Mustang Fastback – 1965

Carroceria – Fastback;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  4.8 V8;

Cilindros – 8 em V;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 275 cv;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Cilindrada – 4727 cm³;

Torque máximo – 42 kgfm a —– rpm;

Potência Máxima – 6000 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador de corpo quádruplo;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Hidramático com alavanca no assoalho;

Embreagem – Conversor de torque;

Freios – Freio a tambor nas 4 rodas;

Peso – N/D kg;

Suspensão dianteira – N/D;

Suspensão traseira – N/D;

Comprimento – 4613 mm;

Distância entre-eixos – 2743 mm;

Largura – 1732 mm;

Altura – 1298 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 8,6 Segundos;

Velocidade máxima – 225 km/h;

Consumo: Cidade 3,8 km/l – Estrada 7 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – N/D Litros;

Carga útil – N/D kg;

Tanque de combustível – N/D Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 505.733,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário