Ford Corcel I cupê 1976 o fim de uma geração se aproximava

Compartilhe

Ele nasceu em 1968 como um compacto, utilizando o projeto do motor Renault do Willys Gordini, que ganhou o devido Upgrade e se tornou o Ford Sierra 1.3, em 1972 foi reposicionado pela montadora como modelo médio.

O médio da Ford tanto na carroceria 4 portas, como duas portas, foi sucesso em vendas e caiu imediatamente na graça dos brasileiros. Mas a chegada Dodge Polara em 1973 e do VW Passat em 1974, mexeram com o mercado.

Na década de 1970 o comércio de automóveis no Brasil ganhava um novo perfil de consumidor, resultado da implantação das industrias entre as décadas de 1950 e 1960.

Funcionários do médio escalão, de petroquímicas, petrolíferas e siderurgicas, com dinheiro no bolso para comprar um carro zero km, ainda não tinham força para adquirir um modelo de grande porte, mas conseguiam colocar em suas garagens bem mais que um compacto VW refrigerado a ar.

Começa a guerra dos modelos médios. Em 1976 a Ford percebeu que precisava de um algo a mais para brigar com o moderno médio alemão, e lutar contra o ainda desajeitado Dodge Polara, começa o projeto Corcel II que chegaria em 1978.

Mesmo assim o Corcel I 1976, ainda estava no topo da tabela entre os nacionais mais emplacados, com uma ótima relação custo benefício, um carro confiável que fazia ótimos 10 km/l na cidade.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão, era bastante equilibrado, oferecendo segurança e eficiência em curvas de alta e em altas velocidades em retas, mas a nova geração Corcel 2, perdeu com a nova suspensão supermacia.

Motor – O baixo consumo de combustível, e o tempo de vida útil que o motor conseguia entregar, além da manutenção descomplicada, eram os pontos fortes do carro.

Câmbio – Era macio e eficiente, mas o engate da ré fazia muito barulho, nada muito anormal para um modelo médio.

Retomadas e ultrapassagens –  Seguro e muito eficiente, ficava entre os melhores do mercado, no segmento dos médios e compactos.

Consumo – Mesmo com o motor 1.4 de 75 cv, ainda entregava um bom desempenho com economia, fazendo 10 km/l na cidade, conforme ficha técnica no final da matéria.

Acabamento Externo

Faróis – Redondos de lentes boleadas, embutidos com recuo;

Setas dianteiras – Embutida abaixo do para – choque;

Para – choques – Em aço carbono, cromados;

Faróis de neblina – Não:

Grade de ar do motor – Com frisos na horizontal e vertical;

Retrovisores – Cromados com ajuste manual;

Frisos – Metálico em toda a extensão do rodapé da lateral do carro;

Rodas – De aço, tradicionais família Corcel;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “Ford Corcel”, na tampa do porta malas;

Lanterna Traseira – Bicolor com luz de ré;

Teto Solar – Não;

Bagageiro – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular, embutidos em um moldura quadrada;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em vinil e aço preto;

Volante – De plástico injetado de dois raios;

Sistema de som – Opcional;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em Vinil;

Acabamento das portas – Em vinil, com detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Ford Corcel I cupê 1976

Carroceria – Cupê;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor – Cléon Fonte 1.4;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Peso/Torque – 81,29 kg/kgfm;

Tração – Dianteira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 943 kg;

Comprimento – 4471 mm;

Distância entre-eixos – 2438 mm;

Potência – 75 cv;

Cilindrada – 1372 cm³;

Torque máximo – 11,6 kgfm a 3600 rpm;

Potência Máxima – 5400 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 18,2 Segundos;

Velocidade máxima – 133 km/h;

Consumo: Cidade 10 KM/L – Estrada 13,4 km/L;

Autonomia: Cidade 510 km – Estrada 683,4 km;

Porta malas – 380 Litros;

Carga útil – Não Informado;

Tanque de combustível – 51 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 98.198,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *