Fiat Marea HLX 2.4 2.0 2001, luxuoso, muito rápido e complexo, literalmente feito para poucos

Compartilhe

Ele desembarcou em solo brasileiro em 1998, com a dura missão de substituir o bem sucedido Fiat Tempra, um modelo de 5 cilindros que alcançava 205 km/h de velocidade final real sem fazer esforço

Logo de cara, dava para sentir que a Fiat havia resolvido o problema de distribuição de peso que existia no seu antecessor Fiat Tempra, a traseira muito leve, fazia com que o carro balançasse em velocidades acima de 160 km/h. Já a nova geração, Fiat Marea, tinha uma melhor distribuição do conjunto, e era mais aerodinâmico, mais estável em curvas e alta, e sem balanços em retas.

Um modelo médio de luxo, de alto custo, NÃO era um carro de custo intermediário ou baixo feito para a classe trabalhadora, mas muitos aventureiros ou até irresponsáveis, que mal tinham dinheiro para comprar e manter as manutenções de um Uno zero Km, não se informavam sobre a complexidade e dos custos para manter o Marea, se aventuravam em uma unidade seminova. O resultado eram muitos cabeças de bagre com o carro na garagem sem dinheiro para as manutenções preventivas e corretivas, e para justificar sua burrice, criavam uma gigantesca lista de defeitos do projeto do carro.

A unidade aqui da matéria, o Fiat Marea HLX 2.4 2.0 2001, ainda mantem toda a estrutura original, nunca bateu, o modelo vinha recheado de instrumentos de luxo e segurança, freios ABS, a disco ventilado nas rodas dianteiras e sólido nas rodas traseira, encosto de cabeça e cinto de segurança de três pontos para todos os passageiros, saída de ar-condicionado no assoalho para atender o banco traseiro.

Desempenho

Estabilidade –  Era um dos modelos nacionais de melhor tecnologia, com uma suspensão mais rígida e um peso melhor distribuído, conseguiu unir conforto e segurança na mesma suspensão, um feito raro para as montadoras aqui no Brasil.

Motor –  Utilizando o motor Fiat Fivetech 2.4 de 20 Válvulas, entregava 160 cv, e aceleração de 0 a 100 em 9,8 segundos.

Câmbio –  O manual de 5 marchas, era de engates precisos e macios, mesmo em trocas mais rápidas, mantinha a mesma eficiência.

Retomadas e ultrapassagens – Com um conjunto de motor e câmbio bastante saudável, era muito eficiente e confiável, mesmo com carga máxima de peso, com 5 adultos e porta-malas cheio, praticamente não perdia o fôlego.

Consumo –  Para um modelo de médio porte pesando 1335 kg, fazer 8 km/l na cidade, era considerado dentro dos padrões para a época, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Conjunto de lentes, muito bem desenhados, e eficientes, abrigando também luzes de longo alcance.

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto de lentes dos faróis;

Para – choques –  Envolventes na cor da carroceria, com friso emborrachado e largas entradas de ar na parte inferior;

Faróis de neblina – Sim;

Grade de ar do motor – Discretamente embutida abaixo do capô e na parte inferior do para-choque;

Retrovisor Externo – Panorâmico pintado na cor da carroceria, com ajuste elétrico interno;

Frisos – Emborrachado em toda a extensão lateral;

Rodas – De liga leve, 195/60 R15;

Maçanetas – Na cor da carroceria;

Logo – “Marea HLX” na tampa do porta – malas;

Lanterna Traseira – Fumê com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala de 180° + Check Control;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil e Courvin na cor grafite;

Volante – Espumado de 4 raios estilo executivo, com acabamento em couro;

Sistema de som – Radio digital CD Player;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico nas quatro portas;

Sistema de travamento das portas – Elétrico central;

Ajuste dos retrovisores externos – Elétrico;

Acabamento dos bancos – Em fino tecido aveludado, opcional para couro;

Acabamento das portas – Em vinil e tecido;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Com cinto de segurança de três pontos e encosto de cabeça, para três passageiros;

Encosto de cabeça – Para cinco passageiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Fiat Marea HLX 2.4 2.0 2001

Carroceria – Sedã;

Porte – Médio;

Portas –4;

Motor –  Fivetech 2.4;

Cilindros – 5 em linha;

Válvulas por cilindro – 4;

Posição – Transversal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 160 cv;

Peso Torque – 63,6 kg/kgfm;

Cilindrada – 2446 cm³;

Torque máximo – 21 kgfm a 3500 rpm;

Potência Máxima – 6000 rpm;

Tração – Dianteira;

Alimentação –  Injeção Multiponto;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 5 marchas com alavanca no assoalho – Cód – C510;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio ABS a disco ventilado nas rodas dianteiras e sólido nas rodas traseiras;

Peso – 1335 kg;

Suspensão dianteira – Independente, McPherson – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Independente, braços arrastado – Mola helicoidal;

Comprimento – 4393 mm;

Distância entre-eixos – 2540 mm;

Largura – 1741 mm;

Altura – 1450 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 9,8 Segundos;

Velocidade máxima – 205 km/h;

Consumo: Cidade 8 km/l – Estrada 11,1 km/l;

Autonomia: Cidade 504 km – Estrada 699 km;

Porta malas – 430 Litros;

Carga útil – 480 kg;

Tanque de combustível – 63 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 178.201,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi