Del Rey Ghia 91 O último ano de produção do médio da Ford

Ele chegou em 1981 causando um verdadeiro frisson no mercado nacional e literalmente foi muito elogiado até pelos críticos da montadora Ford aqui no Brasil

Dez anos após seu lançamento ele se despediu em grande estilo, com a versão Del Rey Ghia 91, painel completo, um acabamento interno simplesmente fantástico e a robusta mecânica AP 1.8.

O projeto nasceu no embalo das vendas em alta do Ford Corcel, da necessidade de ter um modelo de luxo de custo menor, que do gigante já cansado e desatualizado Ford Landau, além de se preparar para enfrentar a segunda geração do VW Passat e do novo Chevrolet Monza que desembarcariam no Brasil ainda no início da década.

O Del Rey na verdade, era o Corcel sedã, que havia sido descontinuado em 1977 com o fim da carroceria do Corcel 1, mas a nova versão voltou com outro posicionamento de mercado e diferentes itens de luxo e segurança.

Deixava para trás o nome Corcel, mesmo utilizando a mesma plataforma, ganha carroceria mais moderna, novo sistema de suspensão, e um acabamento interno e externo que apaixonou todos os fãs de carros no Brasil.

Entre os anos de 1981 e 1983 as vendas decolaram, existiam filas nas concessionárias de até 90 dias para conseguir uma unidade, sem contar que o carro se tornou um dos modelos nacionais de mais alto custo, a versão Del Rey Ouro com todos os opcionais, beirava o valor de um Opala Comodoro.

Mas em 1984 veio o grande golpe para toda a família Corcel / Del Rey, a chegada do irmão Ford Escort em 1983, do Volkwasgen Santana em 1984 e as vendas em alta do Chevrolet Monza, deixaram o mercado dos médios bastante afunilado, e as vendas simplesmente despencaram.

No início da década de 1990, com a chegada do moderno Ford Verona e do irmão bastardo, o Ford Versailles um híbrido da malfadada parceria FordWagen, o fim do Del Rey foi decretado em 1991.

Desempenho – Del Rey Ghia 91 – Motor AP 1.8

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, dava ao carro uma boa estabilidade, mas a suspensão muito macia, deixava o modelo instável em curvas de alta, e em altas velocidades em retas.

Motor –  Utilizando o motor AP 1.8 de 87 CV, ganhou o apelido de navegador silencioso, o motivo era o baixo nível de ruído em altas rotações.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 velocidades, era macio e de engates precisos, mesmo entrocas mais rápidas.

Retomadas e ultrapassagens – Era seguro e eficiente, respondia rápido ao pedal do acelerador.

Consumo –  Para um motor de 4 cilindros a gasolina de um carro de médio porte, fazer 13,8 km/l na estrada, estava dentro do esperado para a década de 1990.

Acabamento Externo

Faróis –  Retangulares chanfrados nas extremidades e lentes planas;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto com os faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono cromados, com largo friso emborrachado;

Faróis de neblina – SIm;

Grade de ar do motor – Em lâminas de plástico na horizontal na mesma cor da carroceria;

Retrovisores Externos – Panorâmicos, com ajuste elétrico;

Frisos – Friso emborrachado com detalhes cromados, em toda a extensão lateral do carro, dando um ar de continuidade dos para – choques;

Rodas – Rodas de liga – leve 195/60 R14;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “Del Rey 1.8 Ghia” na tampa do porta malas – na lateral do para – lama dianteiro o brasão “Ford Ghia”;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil na cor preto;

Volante – Espumado de dois raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – SIm;

Relógio – Digital no teto, no mesmo compartimento da luz de leitura;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico;

Sistema de travamento das portas – Elétrico;

Ajuste dos retrovisores externos – Elétrico;

Acabamento dos bancos – Em tecido aveludado;

Acabamento das portas – Em veludo e carpete;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Com encosto para o braço;

Encosto de cabeça – Para quatro passageiros nos bancos dianteiros e traseiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Corcel 2 Campeões 1983

Carroceria – Sedã;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor –  AP 1.8;

Cilindros – 4 em linha;

Posição – Longitudinal;

Peso Torque – 77,73 kg/kgfm;

Tração – Dianteira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 5 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1110 kg;

Comprimento – 4498 mm;

Distância entre-eixos – 2438 mm;

Potência – 87 CV;

Cilindrada – 1781 cm³;

Torque máximo – 14,28 kgfm a 3000 rpm;

Potência Máxima – 5200 RPM;

Aceleração de 0 a 100 – 13,9 Segundos;

Velocidade máxima – 156 km/h;

Consumo: Cidade 9,2 km/l – Estrada 13,9 km/l;

Autonomia: Cidade 524,4 km – Estrada 786,6 km;

Porta malas – 360 Litros;

Carga útil – 440 kg;

Tanque de combustível – 57 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 95.925,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Please follow and like us:

Um comentário sobre “Del Rey Ghia 91 O último ano de produção do médio da Ford”

  1. Tenho um GLX 1990 desta cor e configuração…um bom carro.

Deixe uma resposta