Comodoro Opala, 1986, custava muito mais do que você imagina

Compartilhe

O Comodoro Opala, no ano de 1986, custava muito mais do que você pensa, era a versão intermediária da geração Maestro, como já citado em outras matérias, a geração Maestro ficou conhecida em 1987 com comercial de TV, com o maestro Diogo Pacheco.

Mas entre os anos 1985 e 1987, a frente da versão top de linha Diplomata, utilizou os famosos faróis quadrados com luzes de longo alcance embutidas, sedo assim os dois anos de produção ganharam o mesmo adjetivo.

A unidade aqui da matéria vinha de série com o motor 2.5 de 4 cilindros a álcool e direção hidráulica. Mas oferecia um extenso pacote de opcionais, que o deixava muito próximo do poderoso Diplomata. Pagando uma quantidade adicional bastante razoável para a época, o Comodoro Opala, 1986, tanto na carroceria cupê como sedã, oferecia motor 4.1 de 6 cilindros, ar-condicionado, direção hidráulica, travas e vidros elétricos.

Mesmo sendo um modelo posicionado no meio do catálogo da família Opala, uma unidade zero km, sem opcionais, só estava ao alcance da classe alta. Uma unidade zero km, em valores atualizados para o segundo semestre de 2021, não sairia da concessionária, por menos de R$ 311.987,00.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, dava ao carro uma boa estabilidade, mesmo sendo um projeto desenvolvido no final da década de 1960, recebeu diversos upgrades no passar dos anos e ainda era considerado atualizado para a década de 1980.

Motor –  Utilizando o motor Chevrolet 2.5, era robusto, e com um giro bastante estável em baixa e médias rotações, confiável, mas o custo das manutenções preventivas e corretivas de um modelo 0 km, ainda eram considerados de alto para os padrões brasileiros.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 marchas, era de engates precisos, bastante elástico, e exigia pouca manutenção.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor elástico com muito fôlego, que respondia muito bem ao pedal do acelerador, era seguro e confiável.

Consumo –  Para um modelo de grande porte a álcool fazer em média 5,3 km/l na cidade estava dentro do esperado, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Quadrados de lentes planas;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono cromados, com friso emborrachado;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Com frisos na horizontal na cor cinza;

Retrovisores Externos – Panorâmicos com ajuste mecânico e opcional para ajuste elétrico;

Frisos – Emborrachado em toda a extensão lateral do carro, com detalhe cromado e o logo “Comodoro”;

Rodas – De liga-leve 195/70 R14;

Maçanetas – Embutidas na porta;

Logo – “Chevrolet”, na tampa do porta-malas;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala quadrada;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil na cor grafite;

Volante – Espumado de dois raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Opcional;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante – Opcional elétrico;

Sistema de travamento das portas – Mecânico – Opcional elétrico;

Ajuste dos retrovisores externos – Mecânico – Opcional elétrico;

Acabamento dos bancos – Em fino tecido aveludado;

Acabamento das portas – Em vinil e tecido aveludado;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Com encosto de cabeça para dois passageiros e apoio para o braço;

Encosto de cabeça – Para quatro passageiros com regulagem de altura;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Comodoro Opala – 1986 2.5 4 cilindros

Carroceria – Cupê;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  2.5 Cód 151;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Álcool;

Potência – 76 cv;

Peso Torque – 71,8 kg/kgfm;

Cilindrada – 2471 cm³;

Torque máximo – 17 kgfm a 2000 rpm;

Potência Máxima – 4000 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 5 marchas com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1220 kg;

Suspensão dianteira – Independente, Braços sobrepostos – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Eixo rígido, barra panhard – Mola helicoidal;

Comprimento – 4804 mm;

Distância entre-eixos – 2667 mm;

Largura – 1766 mm;

Altura – 1365 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 14,7 Segundos;

Velocidade máxima – 155 km/h;

Consumo: Cidade 5,3 km/l – Estrada 8,3 km/l;

Autonomia: Cidade 445 km – Estrada 697 km;

Porta malas – 405 Litros;

Carga útil – 420 kg;

Tanque de combustível – 84 Litros;

Valor atualizado Aproximado –  R$ 311.987,00 – Valor sem opcionais;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário