Chrysler 300 1970, um V8 de 375 cv, um genuíno Muscle Car americano

Compartilhe

Um gigante norte-americano que embalou os sonhos de muitos jovens e marmanjões, o Chrysler 300 1970, Three Hundred, alcançou outros países como Canadá, Austrália, Suécia e raras unidades desembarcaram por aqui.

No início da década de 1970, o Brasil também vivia a euforia dos Mescle Cars, mas por aqui, eram utilizado motores com blocos menores, menos potência e uma tecnologia mais atrasada, mesmo assim nossos heróis, como o Dodge Charger, Ford Maverick e Opala SS, atenderam nossas expectativas e marcaram nossa história.

Lá na terra do Tio Sam, e em países de primeiro mundo, o significado Muscle Car era sinônimo de força bruta e muito luxo. A unidade aqui da matéria é equipada com um motor V8 de bloco grande, carburador de corpo quádruplo, entregando velocidade final real de 207 km/h e aceleração de 0 a 100 em 7,5 segundos.

O desempenho, velocidade final e aceleração, pode não parecer muito em relação aos modelos de hoje. Mas pilotar na época um fera igual a da matéria, com uma usina de força de baixo do capô, com um sistema de direção hidráulica muito macio e pouco preciso, uma suspensão bem macia, nada de controle de tração ou estabilidade, realmente era pura emoção.

O acabamento interno também era um show a parte, com materiais de primeira qualidade, todo em couro marrom de primeira linha, carpete estilo home, ar-condicionado, controle interno dos retrovisores, e um revestimento acústico de dar inveja em modelos atuais.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, ainda era eficiente para a época, mesmo assim era sempre bom o motorista ficar atento a curvas de alta e em retas em altas velocidades, suspensão muito macia + direção hidráulica pouco precisa = ver o mundo girar.

Motor –  Utilizando o motor Chrysler V8, deixava o carro nervoso, eficiente e muito confiável.

Câmbio –  O câmbio automático de 3 velocidades, respondia as expectativas do motor, era um dos raros sistemas que funcionava sem trancos nas trocas em altas rotações.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor com muito fôlego e um câmbio descomplicado, o carro era seguro e eficiente, indo de 0 a 100 em 7,5 Segundos.

Consumo –  No início da década de 1970, consumir 4 km/l na cidade e 7 km/l na estrada, não fazia muita diferença, para o proprietário com dinheiro no bolso que conseguia adquirir uma unidade 0 km.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes boleadas, duplos na horizontal, embutidos atrás da grade de ar do motor, estilo escamoteáveis;

Setas dianteiras – Embutidas ao lado dos faróis;

Para – choques –  Largas lâminas de aço carbono cromadas;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Com frisos na horizontal e abas de proteção das lentes dos faróis;

Retrovisores Externos – Redondos, cromados e com ajuste interno;

Frisos – Faixa adesiva branca em toda a lateral do carro;

Rodas – De aço estilo Rallye, tradicionais família Dodge Chrysler;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “ Three Hundred ” na tampa do porta-malas;

Lanterna Traseira – Em cor única na horizontal, cobrindo toda a extensão traseira;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala horizontal mph;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em couro marrom;

Volante – De três raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – ;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Interno mecânico;

Acabamento dos bancos – Em couro marrom;

Acabamento das portas – Em couro e detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Nos bancos dianteiros com regulagem de altura;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Chrysler 300 1970 – Three Hundred

Carroceria – Cupé;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  V8 440 Pol²;

Cilindros – 8 em V;

Posição – Longitudinal;

Torque –  515.0 Nm or 379 lb.ft;

Tração – Traseira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Automático de 3 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco nas rodas dianteiras, tambor nas rodas traseira;

Peso – N/D;

Comprimento – N/D;

Distância entre-eixos – 2970 mm;

Potência – 375 CV;

Cilindrada – 7095 cm3 ;

Taxa de Compressão – ;

Potência Máxima – 5000 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 7,5 Segundos;

Velocidade máxima – 207 km/h;

Consumo: Cidade 4 km/l – Estrada 7 km/l;

Autonomia: Cidade N/D – Estrada N/D;

Porta malas – N/D;

Carga útil – 450 kg;

Tanque de combustível – N/D;

Valor atualizado Aproximado – N/D;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário