Chevrolet Monza Classic SE 2.0 1990 acima da média

Carros dos anos 90 Chevrolet Chevrolet Monza

Em época de sedãs médios injetados, o Monza Classic SE 2.0 carburado ainda era o mais procurado nas concessionárias

Em 1990 Chega ao mercado o VW Santana EX 2.0i e o Monza Classic SE 500 EF 2.0i, dois sedãs com injeção eletrônica multiponto, que despertaram os sonhos de muitos marmanjões da época, o grande problema era a confiabilidade do sistema, que aliado a nossa gasolina de péssima qualidade, deixaram muitos fãs com o nariz torcido, os modelos com sistemas carburados ainda davam as cartas, como o Monza Classic SE 2.0.

Ao chegar em uma concessionária, a diferença de preço de um modelo injetado para o carburado não era tão grande, outra questão, eram as manutenções preventivas e corretivas, os sistema injetados até 1990 só tinham manutenções nas concessionárias, quanto os modelos Santana e Monza carburados, você podia fazer as manutenções na esquina de sua casa.

Desde 1986 no mercado, ainda com motor 1.8, a versão Classic nasceu com o seguinte apelo de marketing, “O Monza para poucos”, ainda não era a versão top de linha da família Monza, a intenção era apenas fazer uma série especial, voltada para um público bastante exclusivo, mas em 1987 com a chegada do novo visual de seu principal concorrente, e com a nova geração de motores 2.0, a Chevrolet resolveu no mesmo ano, reposicionar o Monza SL/E como versão intermediária e a versão Classic como top de linha.

Desempenho

A versão do Monza Classic com motor 2.0 , era eficiente e rápida, o motor Chevrolet Família II 2.0, entregava oficialmente 99 CV, mas na prática, ótimos 110 CV de força, atingindo velocidade final real de 166 KM/h e indo de 0 a 100 em 12 Segundos.

O câmbio automático era eficiente, mesmo sendo já uma versão mais atualizada que os modelos da década de 1980, ainda perdia um pouco em eficiência em ultrapassagens.

A tecnologia utilizada na suspensão, sem a menor sombra de dúvida era a mais avançada do mercado brasileiro, a Chevrolet conseguia unir em uma mesma suspensão, macies e eficiência, deixando o carro ao mesmo tempo muito confortável e estável;

O ponto negativo ficava para o custo de manutenção, entre os médios de luxo, era uma das manutenções mais cara do Brasil, apenas atrás do Opala Diplomata e dos modelos injetados.

Acabamento Externo

Desde o segundos mestre de 1985 o Monza mudou pouco, mas ainda mantinha um visual empolgante para a época, a versão Classic tinha um visual diferenciado;

Frente com faróis chanfrados, embutidos em um mesmo conjunto com as setas;

Para – choques em aço na cor cinza, com friso emborrachado e detalhes cromados;

Abaixo do para-choque dianteiro uma continuação da lataria dando a impressão de um para-choque envolvente;

Largo friso emborrachado na lateral do carro com o logo “Monza Classic SE”;

Grade de entrada de ar dianteira com a gravata Chevrolet;

Retrovisores panorâmicos com controle interno elétrico;

Lanternas traseiras frisadas bonitas e muito eficientes, com extensão em acrílico para embutir a placa;

Rodas de liga leve exclusivas da Monza Classic SE 185/70 R13;

Logo 2.0 Automatic, na tampa do porta malas.

Acabamento Interno

Painel completo, com mostradores em escala circular + conta – giros;

Volante executivo anatômico de 4 raios;

Regulagem de altura do volante;

Ar-condicionado;

Travas e vidros elétricos;

Travamento central das portas;

Ajuste elétrica dos retrovisores;

Encosto de cabeça nos bancos dianteiros e traseiros;

Acabamento dos bancos e potas, em tecido aveludado em tons cinzas, exclusivo Chevrolet;

Luz de sinalização nos rodapés das portas.

Rádio toca – fitas AM/FM digital;

Acendedor de cigarros;

Cinzeiro embutido no painel;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro;

Assoalho e porta – malas acarpetados.

Ficha Técnica – Chevrolet Monza Classic SE 2.0 1990

Carroceria Sedã;

Médio porte;

4 portas;

Motor Chevrolet Família II 2.0;

Tração dianteira;

Combustível Gasolina;

Carburador;

Direção Hidráulica;

Câmbio automático;

Freios a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 1090 KG;

Potência oficial 99 CV oficial;

De 0 a 100 – 12 Segundos;

Velocidade máxima 166 KM/h;

Consumo Cidade 8,6 KM/L Estrada 13,5 KM/L;

Porta malas 510 Litros;

Carga útil 475 KG;

Tanque de combustível 61 Litros;

Motor Tudo – Chevrolet Monza SE 2.0 1990

Carros Clássicos Brasil – Chevrolet Monza

Chevrolet Monza Classic SE 2.0 1990 acima da média
5 (100%) 1 vote[s]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *