Chevrolet Caravan Ambulância 2.5 1992 Dominou o setor público

Nas décadas de 1970, 1980, e início dos anos 1990, ela dividiu o mercado das ambulâncias e carros funerários, com a irmã mais velha, o Chevrolet Veraneio, reinado absoluto da família

Durante a década de 1970 até a primeira metade da década de 1980, o Chevrolet Veraneio, dominava em absoluto o mercado das ambulâncias e serviços funerários, mas na segunda metade da década de 1980, a irmã SW da família Opala, passou a morder a maior fatia desse mercado, oferecendo um custo menor na compra e nas manutenções, além de um consumo mais baixo, a versão Chevrolet Caravan Ambulância 2.5 1992, encerrou a saga.

O mercado nacional era extremamente restrito de opções para utilitários fechados de grande porte, SWs e SUVs, para serviços públicos, as opções disponíveis eram, o VW Kombi, que ofereci um baixo custo na compra e nas manutenções, mas tinha um tempo de vida útil menor e um desempenho bem abaixo que de seus concorrentes da Chevrolet, tornando o modelo pouco atrativo para o mercado, a Fiat dispunha apenas do modelo compacto Fiat Panorama, com espaço interno muito limitado.

Outras opções como, Ford Belina, Chevrolet Marajó, VW Variant e VW Parati, também eram modelos com restrição de espaço interno para a maioria dos serviços públicos e com o mercado fechado para importações, as opções que sobravam era a SW e a SUV da Chevrolet, Caravan e Veraneio.

Desempenho

O motor Chevrolet era confiável e muito robusto, mesmo na versão 4 cilindros, entregava um desempenho a altura de um modelo de luxo de grande porte para a época.

A suspensão oferecia uma tecnologia de ponta, a Chevrolet era a única montadora nacional, que conseguia ter uma suspensão macia e ao mesmo tempo muito eficiente, se voc~e estivesse em uma maca dentro de uma Caravan, daria muito valor a essa tecnologia.

O conjunto carroceria, chassis e suspensão, era muito eficiente em curvas de alta, mesmo com piso molhado, em retas em velocidades acima de 140 Km/h se mantinha bastante estável.

Acabamento Externo

Frente com conjunto de lentes trapezoidais, abrigando em uma mesma lente, farol, luz de longo alcance, no mesmo alinhamento da grade de ar do motor;

Grade de ar do motor na cor grafite.

Para-Choques envolventes na cor do carro, com frisos emborrachados pretos.

Logo da cruz vermelha no capô, e a palavra “Ambulância”, escrita para visão aérea;

Maçanetas embutidas na cor grafite;

Rodas de aço exclusivas família Opala 195/70 R14;

Retrovisores satélites, na cor preto, com controle interno mecânico;

Giroflex / Sirene Rontan;

Logo Cruz Vermelha e a “Ambulância na tampa do porta malas;

Lanternas traseiras tricolor, tradicional família Caravan;

Acabamento Interno

Painel com mostradores básicos de fácil visualização;

Volante estilo executivo espumado de três raios;

Acabamento das portas em vinil e bancos em tecido plático;

Ajuste dos retrovisores interno mecânico;

Acendedor de cigarros;

Cinzeiro no console da alavanca do câmbio;

Ventilador;

Ar – quente;

Vidros com acionamento manual basculante;

Assoalho e porta malas emborrachados.

Divisória entre motorista e paciente;

Maca;

Banco para acompanhante;

Cilindro de oxigênio;

Ficha Técnica – Chevrolet Caravan Ambulância 2.5 1992

Carroceria SW – ambulância;

Porte Grande;

2 portas;

Motor Chevrolet 2.5 cód 151;

Cilindros 4 em linha;

Longitudinal;

Tuchos Hidráulicos;

Tração traseira;

Combustível Gasolina;

Carburador;

Direção Hidráulica – opcional;

Câmbio manual de 5 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco ventilados nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 1290 KG;

Potência 88 CV;

17,7 kgfm a 2800 rpm

Potência Máxima 4500 RPM;

De 0 a 100 – 17,3 Segundos;

Velocidade máxima 155 KM/h;

Consumo na Cidade 5,5 KM/L – Estrada 11,1 KM/L;

Autonomia: Cidade 596,4 Km – Estrada 848,4 KM;

Porta malas Não Informado;

Carga útil – 500 KG;

Tanque de combustível 84 Litros.

Motor Tudo – Chevrolet Caravan Ambulância 2.5 1992

Carros Clássicos Brasil – Opala – Caravan

Deixe uma resposta