Chevette Marajo 1981 versão de entrada

Compartilhe

Líder absoluta no mercado das peruas compactas, entre 1980 e até e 1982, foi a melhor opção de compra dentro de seu segmento

O mercado dos SWs compactos e médios estava bem concorrido nos três primeiros anos da década de 1980, Fiat Panorama, VW Variant II, Belina II e o SW compacto da Chevrolet. A versão Chevette Marajó 1981, levava algumas vantagens em relação a seus concorrentes.

O modelo da Fiat ainda estava na fase de provar suas qualidades, com fama de câmbio duro e de engates nada precisos, fazia com que o mercado torcesse o nariz, mesmo sendo o modelo mais barato da categoria; o VW Variant II já estava em final de carreira, com um preço muito acessível, mas com uma estrutura ultrapassada e a promessa da chegada do VW Parati, a fizeram despencar em vendas.

O Ford Belina II era uma ótima opção mas por ser um modelo médio e mais requintado, era disponibilizada com um preço bastante salgado, longe na realidade do público apreciador dos compactos, sendo assim o Chevette Marajó reinava quase em absoluto.

Além de ter a estrutura mais moderna da categoria, o motor Chevrolet 1.4 e 1.6 era o mais eficiente entre os concorrentes diretos, o acabamento interno também era um diferencial, painel moderno, bancos anatômicos mais confortáveis, além de entregar muito conforto ao dirigir, com um câmbio macio e uma caixa de direção que mesmo não sendo hidráulica era macia e precisa, deixando o Chevrolet Marajó gostoso de dirigir.

Desempenho

Até o primeiro semestre de 1982, o motor Chevrolet que equipava a família Chevette, ainda era o mais atualizado do mercado, dentro do segmento dos compactos, confiável e de manutenção descomplicada.

O câmbio 4 marchas dava ao carro agilidade na cidade o suficiente dentro do mundo dos compactos da década de 1980, era de engates macios e precisos.

O ponto negativo, ficava para o conjunto motor e câmbio que não era muito elástico, exigindo trocas de marchas constantes em altas rotações.

Na estrada a versão 1.6 atingia ótimos 147 km/h reais de velocidade final, um número bastante significativo para a época.

O conjunto carroceria, chassi e suspensão, também era o mais eficiente entre os SWs compactas até o primeiro semestre de 1982, além de entregar conforto e maciez. Tanto na estrada como na cidade, era muito segura em curvas de alta e em retas em velocidades acima de 120 km/h se mantinha estável sem balanços.

Acabamento Externo

Frente com faróis quadrados, embutidos com recuo e uma moldura preta.

Grade de ar do motor bipartida, embutida no capô.

Para – choques em lâminas de aço carbono, cromados, com acabamento com um faixa preta adesiva.

Setas dianteiras posicionadas abaixo do para – choque dianteiro, por ser em um local pouco visível, faltou um repetidor de setas na lateral do carro.

Logo “Marajó” na lateral do para – lama dianteiro.

Retrovisor de plástico preto, com ajuste manual.

Maçanetas metálicas, cromadas.

Rodas de aço tradicionais família Chevette 175/70 R14.

Lanternas traseiras bicolor, com luz de ré.

Logo “1.6” na tampa do porta – malas.

Acabamento Interno

Painel moderno, de fácil visualização, em escala circular e mostradores básicos.

Volante de plástico injetado de 4 raios.

Ventilador de duas velocidades.

Ar – quente.

Cinzeiro e acendedor de cigarros, embutidos no painel.

Porta luvas com tampa e fechadura.

Rádio AM/FM Motorola.

Acabamento das portas em vinil preto.

Acionamento dos vidros manual basculante.

Bancos com acabamento em tecido plástico, bancos dianteiros com encosto de cabeça embutidos.

Assoalho e porta malas acarpetados.

Desembaçador elétrico do vidro traseiro.

Ficha Técnica – Chevette Marajó 1981 – 1.6

Carroceria SW;

Porte Compacto;

2 portas;

Motor Chevrolet 1.6;

Cilindros 4;

Longitudinal;

Tuchos mecânicos;

Tração traseira;

Combustível Álcool;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual de 4 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 935 kg;

Potência 72 cv;

Potência Máxima 5600 rpm;

De 0 a 100 – 17,8 Segundos;

Velocidade máxima 147 km/h;

Consumo Consumo na Cidade 7,6 KM/L – Estrada 12,6 km/L;

Porta malas 469 Litros;

Carga útil Não informado;

Tanque de combustível 62 Litros;

Preço atualizado aproximado – R$ 93.485,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

Motor Tudo – Chevette Marajó 1981 – 1.6

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

2 comentários sobre “Chevette Marajo 1981 versão de entrada”

  1. Muito Linda, possuo uma igualzinha, só que verde samambaia, tirada zero quilômetro pelo meu avô, reformei completamente e é meu carro de uso diário a 5 anos.

Deixe um comentário