Caravan Diplomata 4.1/S 1992 apenas 100 unidades produzidas

Compartilhe

Na despedida da perua de luxo da Chevrolet, foram produzidas apenas 100 unidades sendo 18 automáticas.

A perua de grande porte da Chevrolet que reinou absoluta entre os anos de 1976 e 1992, a um derivado do Opala, praticamente não teve concorrente direto durante sua história.

A Ford não via o mercado brasileiro com potencial para desenvolver uma perua derivada do Galaxie ou Maverick, a salvo algumas unidades produzidas sem sucesso por concessionários independentes, a Volkswagen nunca produziu no Brasil modelos de grande porte, o mais longe que chegou foi o Santana Quantum, um modelo de médio porte.

Mesmo assim no início da década de 1990 com sua estrutura já ficando ultrapassada, e a montadora americana visando a chegada dos importados, tratou de atualizar sua frota com a linha Omega, e descontinuou a Caravan Diplomata.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, dava ao carro uma boa estabilidade, mesmo sendo um projeto desenvolvido no final da década de 1960, recebeu diversos upgrades no passar dos anos e ainda era considerado eficiente.

Motor –  Utilizando o motor Chevrolet 4.1 cód 250, era robusto, e com um giro bastante estável em altas rotações, confiável, o custo das manutenções preventivas e corretivas de um modelo 0 km, ainda eram considerados de alto custo.

Câmbio –  O câmbio automático de 4 marchas, dava ao motorista conforto, sem preder desempenho.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor elástico com muito fôlego, que respondia muito bem ao pedal do acelerador, era seguro e confiável.

Consumo –  Para um modelo de grande porte fazer em média 7 km/l na cidade estava dentro do esperado para a épcoa, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Para-choques envolventes, na cor do carro.

Faróis embutido na grade com a seta e luz de neblina.

Gravata Chevrolet no bico do carro.

Friso lateral emborrachado na cor do carro com o logo Diplomata SE.

Retrovisores elétricos satélites, muito bonitos e eficientes, diferentes do Opala que eram embutidos no vidro.

Rodas de liga-leve exclusivas da família Opala.

Bagageiro.

Lanternas traseiras fumê, o mesmo desenho dos anos 80, muito eficientes.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.


Acabamento interno

Volante com acabamento em couro de 3 raios.

Ar-condicionado de série.

Painel completo, bonito e muito eficiente.

Mostradores, nível de combustível, temperatura do motor, conta-giros e velocímetro.

Radio toca fitas digital AM/FM Chevrolet de série.

Vidros e travas elétricas.

Acabamento dos bancos e portas em tecido de primeira linha aveludado, nas versões SE Collectors acabamento em couro.

Encosto de cabeça vazados nos bancos dianteiros.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.


Ficha Técnica – Caravan Diplomata 4.1/S 1992

Carroceria – SW;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  4.1 Cód 250;

Cilindros – 6 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 121 cv;

Peso Torque – 47,90 kg/kgfm;

Cilindrada – 4093 cm³;

Torque máximo – 29 kgfm a 2000 rpm;

Potência Máxima – 3800 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Automático de 4 marchas com alavanca no assoalho;

Embreagem – Conversor de torque;

Freios – Freio a disco ventilado nas rodas dianteiras e disco sólido nas rodas traseiras;

Peso – 1389 kg;

Suspensão dianteira – Independente, Braços sobrepostos – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Eixo rígido – Mola helicoidal;

Comprimento – 4812 mm;

Distância entre-eixos – 2667 mm;

Largura – 1766 mm;

Altura – 1493 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 12,1 Segundos;

Velocidade máxima – 168 km/h;

Consumo: Cidade 7 km/l – Estrada 9,5 km/l;

Autonomia: Cidade 637 km – Estrada 864,5 km;

Porta malas – 774 Litros;

Carga útil – 420 kg;

Tanque de combustível – 91 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 179.598,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.


Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.

Imagens Reginaldo Campinas raridades.


Motor Tudo – Chevrolet Opala Caravan Diplomata 4.1/S 1992.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Carros dos anos 90 – Carros Clássicos brasileiros.

6 comentários sobre “Caravan Diplomata 4.1/S 1992 apenas 100 unidades produzidas”

  1. Os retrovisores da Linha Caravan 91/92, ou nesse caso 1992, são esses mesmo, pois na carava não teve a versão das portas sem o quebra vento. Por isso o retrovisor se equipara ao da linha 90. Linda Caravan Diplomata.

    1. Apenas o Opala vinha com retrovisores embutidos nas janelas. A Caravan não teve essa modificação para as linhas ’91-92… Ela utilizava as postas do Opala de duas portas… Está super original esta unidade da discreta cor Verde Capri.

Deixe um comentário