Alfa Romeo 155 Super 2.0 16V 1996, a montadora volta ao Brasil na década de 1990

Compartilhe

Em 1986, a montadora se despede do Brasil, deixando de produzir o modelo mais moderno, e o preferido da maioria dos empresários brasileiros, O Alfa Romeu 2300 Ti

No início da década de 1990, com a abertura do mercado para importações, a empresa volta ao Brasil. Com status de montadora de elite, ao lado de, Audi, BMW e Mercedes Benz, e um dos modelos que mais marcou, foi o sedã médio, Alfa Romeo 155 Super 2.0 16V.

Era fácil saber o motivo da classificação de marca de elite, o modelo, vinha equipado com diversos equipamentos de segurança e conforto, com materiais de confecção de primeira linha; freio ABS a disco nas 4 rodas, ar – condicionado digital, bancos em couro, com regulagem elétrica e computador de bordo.

Por baixo do capô, o eficiente e rápido, motor Twin Spark 2.0 de 16V, que alcançava 210 km/h de velocidade final, com aceleração de 0 a 100 em apenas 9 segundos. Números respeitados, para um modelo de médio porte que pesava mais de 1300 kg.

Mas o Alfa Romeo 155 Super 2.0 16V 1996, sofreu a mesma discriminação do irmão Fiat Tempra, quando chegava a posição de seminovo ou usado. Proprietários desavisados, sem um planejamento, compravam a unidade, sem pensar que era um modelo de alto custo já rodado.

O resultado eram, as constantes reclamações, com as manutenções de valores estratosféricos, afinal era um modelo com muita qualidade, mas ao mesmo tempo um carro de alto custo já usado.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, dava ao carro uma ótima estabilidade, a Alfa Romeo incrivelmente conseguia unir, maciez e eficiência, em uma mesma suspensão.

O motor – Equipado com o motor Twin Spark 2.0 de 16V entregava ótimos 150 cv, com torque máximo de 18,9 kgfm a 4000 rpm, era eficiente e confiável. Com uma ótima velocidade final 210 km/h.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 velocidades, era de engates macios e precisos, em trocas mais rápidas de marcha, se mantinha eficiente.

Retomadas e ultrapassagens – Mesmo sendo um modelo que pesava 1358 kg, era rápido e eficiente com aceleração de 0 a 100 em 9 segundos.

Consumo –  Para um motor 2.0 multiválvulas, com injeção multiponto, fazer 8 km/l na cidade, estava dentro do esperado para a época, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Retangulares, com luz de longo alcance na mesma lente;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Envolventes, bicolor, grafite e vermelho;

Faróis de neblina – Sim;

Grade de ar do motor – Bipartida. embutidas com recuo, e o brasão, Alfa Romeo ao centro;

Retrovisores Externos – Panorâmicos na cor da carroceria, com controle elétrico interno;

Frisos – Não;

Rodas – 195/55 R15;

Maçanetas – Na cor da carroceria;

Logo – “155 Super”, Na tampa do porta–malas;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré, e extensão de acrílico sobre a placa;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Sim;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil em tons cinza e grafite;

Volante – Espumado de três raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Digital;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico nas 4 portas;

Sistema de travamento das portas – Elétrico central;

Ajuste dos retrovisores externos – Elétrico;

Acabamento dos bancos – Em couro;

Acabamento das portas – Em couro;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Com apoio para o braço, encosto de cabeça cinto de segurança de três pontos para dois passageiros;

Encosto de cabeça – Para quatro passageiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Alfa Romeo 155 Super 2.0 16V 1996

Carroceria – Sedã;

Porte – Médio;

Portas – 4;

Motor –  Twin Spark 2.0;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 4;

Posição – Transversal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 150 cv;

Peso Torque – 71,9 kg/kgfm;

Cilindrada – 1969 cm³;

Torque máximo – 18,9 kgfm a 4000 rpm;

Potência Máxima – 6200 rpm;

Tração – Dianteira;

Alimentação –  Injeção Multiponto;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 5 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio ABS, a disco ventilado nas rodas dianteiras e disco sólido nas rodas traseiras;

Peso – 1358 kg;

Suspensão dianteira – Independente, McPherson – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Independente, braço arrastado – Mola helicoidal;

Comprimento – 4443 mm;

Distância entre-eixos – 2540 mm;

Largura – 1730 mm;

Altura – 1440 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 9 Segundos;

Velocidade máxima – 210 km/h;

Consumo: Cidade 8 km/l – Estrada 12,5 km/l;

Autonomia: Cidade 544 km – Estrada 850 km;

Porta malas – 565 Litros;

Carga útil – 403 kg;

Tanque de combustível – 68 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 193.215,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe uma resposta