Willys Gordini 1965 um projeto que deu muito certo

Compartilhe

Se você pensou que o Motor Tudo havia esquecido dele, esta enganado, o Willys Gordini ou Renault Gordini esta aqui, um belo projeto realizado pela Clássicos Premium.

Na década de 1960 a guerra dos compactos estava bastante aquecida, VW Fusca, VW Zé do Caixão, DKW-Vemag Belcar e o Willys Gordini, lutavam pela interessante fatia do mercado brasileiro.

Ele foi a maior evidência que a globalização das montadoras começou na década de 1960. O projeto inicial era italiano, patenteado pela francesa Renault, no Brasil foi comercializado pela norte-americana Willys-Overland, sobre a supervisão e patente Renault.

Suas maiores qualidades eram, o incrível visual e a qualidade do acabamento interno, carroceria 4 portas, além do preço bastante atrativo nas concessionárias.

A maior limitação do projeto foi a suspensão, que teve enorme dificuldade para se adaptar as péssimas condições de ruas e estradas brasileiras, outro problema era o super aquecimento do motor.

Em 1964 o motor recebeu um upgrade bastante significativo elevaram sua potência para 55 cv, graças a novos coletores de admissão, dois carburadores e taxa de compressão maior.

Mas sem dúvida o maior legado que o Willys Gordini ou Renault Gordini deixou foi seu motor, o “Ventoux / Billancourt, que durou até a década de 1990,

Após a Ford adquirir a Willys-Overland do Brasil, deu ao motor um novo Upgrade para equipar o Corcel em 1968, Ford Sierra 1.3, Cléon Fonte 1.4 e 1.6, na década de 1980 CHT 1.6 e na década de 1990 E-CHT 1.6.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão, era considerado atualizado para a época, com um desempenho modesto em curvas de alta e em piso molhado.

Motor – O motor Ventoux, era de manutenção descomplicada, com desempenho a altura de seus concorrentes.

Câmbio – O câmbio 4 marchas atendia as expectativas de um compacto para a época.

Retomadas e ultrapassagens – Não era seu ponto forte, mas entregava praticamente o mesmo desempenho do VW Fusca 1200.

Consumo – Para um motor a gasolina de um modelo compacto, 9,5 km/l na cidade era uma ótima média, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes boleadas;

Setas dianteiras – Posicionadas abaixo dos faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono cromados;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Entrada de ar forçada na tampa do motor;

Retrovisores Externos– Com haste estilo raquete;

Frisos – Metálico em toda a extensão lateral;

Rodas – Rodas de aço com calotas cromadas tradicionais da família Gordini;

Maçanetas – cromadas;

Logo – Brasão “Renault Willys Brasil” no capô dianteiro;

Lanterna Traseira – Em cor única;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala horizontal;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em aço na cor grafite;

Volante – De plástico injetado de dois raios e meia lua metálica para acionamento da buzina;

Sistema de som – N/D;

Ventilador – N/D;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – N/D;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em vinil;

Acabamento das portas – Em vinil na mesma cor dos bancos;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Versão Willys Gordini 1093 de 42 cv

Carroceria – Sedã;

Porte – Compacto;

Portas – 4;

Motor –  Ventoux / Billancourt;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 42 cv;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Cilindrada – 845 cm³;

Torque máximo – 6,3 kgfm a 3800 rpm;

Potência Máxima – 5800 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador corpo duplo;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a tambor nas 4 rodas;

Peso – 780 kg;

Suspensão dianteira – Independente, braços sobrepostos;

Suspensão traseira – Independente semi-eixo oscilante;

Comprimento – 3985 mm;

Distância entre-eixos – 2270 mm;

Largura – 1520 mm;

Altura – 1440 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 22 Segundos;

Velocidade máxima – 135 km/h;

Consumo: Cidade 9,5 km/l – Estrada 14,5 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – N/D Litros;

Carga útil – Não informado;

Tanque de combustível – 32 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 49.723,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *