VW Golf MK1 1984 cabriolet Série especial Wolfsburg Edition já utilizava injeção eletrônica

Compartilhe

Na verdade é uma unidade vendido nos Estados Unidos e rebatizado como Rabbit, “Coelho”, com acabamento interno e externo, todo em branco, por lá posicionado como um modelo compacto popular

VW Golf MK1 1984, aqui da matéria, mostra o quanto o Brasil estava atrasado em matéria de evolução de carros, a série Wolfsburg Edition, era apenas versão intermediária, e trazia itens de série, como injeção eletrônica, ar-condicionado, direção hidráulica e acabamento de bancos e portas em couro.

No filme curtindo a vida adoidado de 1986, o personagem protagonista, Ferris Buller, namorava com Slone Peterson, que possuía um modelo igual o da matéria. No início da década de 1980 virou tradição na terra do Tio Sam, pais presentearem filhos com VW Rabbit cabriolet, após completarem 16 anos ou passarem na faculdade.

Voltando a falar sobre atraso tecnológico, em 1984 aqui no Brasil, os modelos correspondentes ao Golf MK1, lembrando que o modelo nos Estados Unidos e Alemanha, ainda era considerado um compacto popular. Tínhamos por aqui, VW Gol LS refrigerado a ar com painel quadrado, Chevette hatch, Fiat 147 e o recém chegado Fiat Uno, todos carburados e sem qualquer item de luxo e conforto.

O VW Golf MK1 1984 ou Rabbit, também trazia um painel moderno, os mostradores e botões de acionamento das funções, só chegariam aqui no Brasil no final da década de 1980, assim como o estilo de rodas de liga-leve e sistema de injeção eletrônica.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, do projeto muito equilibrado, mesmo se tratando de um modelo conversível, em curvas de alta, e em retas em altas velocidades se mantinha bastante estável.

Motor –  Utilizando o motor Volkswagen EV 1.8 de 98 cv, com aceleração de 0 a 100 de 9,8 segundos, era o que viria a ser o nosso AP a partir de 1989 com o Gol GTi.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 velocidade, era de engates rápidos e macios, mesmo em trocas mais rápidas se mantinha eficiente.

Retomadas e ultrapassagens – O motor EV 1.8 tinha bom fôlego, era elástico e respondia rápido ao acelerador.

Consumo –  Para um motor de 4 cilindros a gasolina de um carro de médio porte, fazer 9 km/l na cidade, era considerado uma grande virtude para a década de 1980.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes boleadas;

Setas dianteiras – Embutidas no para-choque, com repetidores nas laterais dos para-lamas;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono, na cor da carroceria;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Em lâminas de plástico na horizontal na cor grafite, e moldura cromada em todo o contorno;

Retrovisores Externos – Estilo panorâmico, com ajuste mecânico;

Frisos – Fino friso emborrachado com detalhes metálico em toda a extensão lateral do carro;

Rodas – Rodas de liga-leve 175/70 R13;

Maçanetas – Na cor grafite com detalhes cromados;

Logo – “Rabbit” na tampa do porta malas;

Lanterna Traseira – tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não – Modelo conversível;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala quadrada, em km/k e mph;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil na cor grafite;

Volante – Espumado estilo quatro bolas;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar – quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Mecânico com alavanca interna;

Acabamento dos bancos – Em Couro;

Acabamento das portas – Em couro e tecido;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado.

Ficha Técnica – VW Golf MK1 1984

Carroceria – Conversível;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor –  EV 1.8i;

Cilindros – 4 em linha;

Posição – Transversal;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Tração – Dianteira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Injeção Multiponto;

Direção – Hidráulcia;

Câmbio – Manual de 5 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 965 kg;

Comprimento – 3820 mm;

Distância entre-eixos – 2400 mm;

Largura – 1630 mm;

Altura – 1400 mm;

Potência – 98 cv;

Cilindrada – 1781 cm³;

Torque máximo – 15,7 kgfm a 3100 rpm;

Potência Máxima – 5500 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 9,8 Segundos;

Velocidade máxima – 173 km/h;

Consumo: Cidade 9 km/l – Estrada 13,5 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – N/D Litros;

Carga útil – N/D kg;

Tanque de combustível – 40 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 82.165,00 – Sem contar as taxas de importações e impostos estratosféricos da década de 1980;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi

Deixe uma resposta