Volkswagen Santana GL 2.0 1990 Com Jeito de Esportivo

No último ano de produção da primeira geração do Santana, a versão intermediária chega com desempenho e visual dos melhores esportivo carburados

No primeiro ano da década de 1990, o mercado dos médios de luxo ainda estava aquecido, mas os modelos quadrados do, Chevrolet Monza e Volkswagen Santana, estavam se despedindo do mercado, a versão Volkswagen Santana GL 2.0 1990, vinha com direção hidráulica, conta – giros e trio elétrico, além de um visual todo esportivo.

No ano seguinte, 1991, haveriam mudanças bastante significativas dentro do seguimento, as novas gerações do Monza e Santana, a despedida do Ford Del Rey, e a chegada de novos modelos de peso, Ford Verssailles e Fiat Tempra, e ainda o mercado se preparava para receber os chamados importados.

No mesmo ano, os modelos da parceria FordWagen, a Autolatina, também estava em alta, Ford Verona, Volkswagen Apollo, Escort com motores VW AP, também eram uma atração para o mercado.

Desempenho

O motor VW AP 2.0 carburado, entregava ótimos 112 CV de força, levando o Santana GL 2.0 166,5 Km/h de velocidade final real.

O câmbio de relações curtas, engates precisos e macio, mesmo em trocas de marchas mais rápidas, era eficiente e muito robusto, dando uma dirigibilidade toda esportiva ao carro.

O conjunto motor e câmbio era tão eficiente, que você esquecia que estava dirigindo um carro de mais de 1 tonelada.

O conjunto carroceria, bloco e uma suspensão mais rígida, deixava o carro em curvas de alta seguro e eficiente, mesmo com piso molhado, em retas em velocidades acima de 160 Km/h se mantinha estável e sem balanço.

O sistema de freios mesmo sendo eficiente, sentia falta de discos ventilados e sistema ABS.

Outro ponto negativo era o consumo na versão a álcool, Cidade fazia 6,2 KM/L, um número ruim para a década de 1990, na versão a gasolina 8 KM/L na Cidade.

Acabamento Externo

Frente com faróis embutidos em um mesmo conjunto com as setas.

Grade de ar de plástico preto com frisos na horizontal.

Para – choques envolventes, com fino friso metálico no contorno.

Retrovisores panorâmicos, na cor cinza, com ajuste elétrico.

Rodas esportivas estilo GT de liga leve 195/60 R14.

Friso emborrachado com fino friso metálico em toda extensão das portas.

Maçanetas na cor grafite.

Logo “2000” a baixo das lanterna traseiras – malas.

Lanternas traseiras tricolor, tradicionais da linha Santana.

Acabamento Interno

Painel da versão GLS, com conta – giros e relógio digital.

Rádio toca fitas digital AM/FM.

Volante anatômico de 4 raios.

Acendedor de cigarros.

Cinzeiro embutido no painel.

Vidros elétricos.

Travas e ajuste dos retrovisores elétricos.

Travamento das portas elétrico.

Ventilador de três velocidades.

Ar – quente.

Ar – condicionado.

Acabamento das portas em tecido aveludado.

Acabamento dos bancos em fino tecido aveludado.

Encosto de cabeça com regulagem de altura para 2 passageiros.

Desembaçador elétrico do vidro traseiro.

Assoalho e porta – malas acarpetados.

Ficha Técnica – Volkswagen Santana GL 2.0 1990 – Versão a álcool

Carroceria Sedã;

Porte Médio;

2 portas;

Motor AP 2.0;

Cilindros 4 em linha;

Tuchos mecânicos;

Tração dianteira;

Combustível álcool;

Carburador;

Direção Hidráulica;

Câmbio manual 5 marchas;

Embreagem monodisco a seco;

Freios a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 1120 KG;

Potência 112 CV;

17,3 kgfm a 3400 rpm;

Potência Máxima 5200 RPM.

De 0 a 100 – 11,5 Segundos;

Velocidade máxima 166,5 KM/h;

Consumo na Cidade 6,2 KM/L – Estrada 9,4 KM/L;

Autonomia: Cidade 465 KM – Estrada 705 Km;

Porta malas 413 Litros;

Carga útil 485 KG;

Tanque de combustível 75 Litros;

Motor Tudo – Volkswagen Santana GL 2.0 1990

Carros Clássicos Brasil – Volkswagen Santana

Please follow and like us:

Deixe uma resposta