Volkswagen Pointer a tentativa de trazer a vida o nome histórico da montadora no Brasil

Volkswagen Pointer
Compartilhe

Volkswagen Pointer, a tentativa da parceria FordWagen a Autolatina, de trazer à vida o nome histórico da montadora no Brasil. A criação de projetos mistos, plataformas Ford com propulsores Volkswagen, ou plataformas Volkswagen com propulsores Ford, foram muito além da troca de motores.

Os dois projetos mais ousados foram o VW Pointer e o VW Logus, criações derivadas da plataforma Ford Escort. Acabamento e toda a estrutura do médio da Ford, com um desenho diferenciado, e os motores AP Volkswagen montados na posição transversal.

A montadora alemã na época acabou se empolgando, e decidiu colocar o nome em seu novo filho bastardo, o médio na carroceria hatch, de Volkswagen Pointer, uma tentativa de fazer um remember, do esportivo mais completo, rápido e equilibrado da década de 1980, o VW Passat GTS 1.8 Pointer.

O novo projeto “Pointer”, se destacou pela beleza, força agilidade, e com um acabamento interno simplesmente fantástico, o carro chamou muito a atenção principalmente na versão GTI, muito rápido e ágil.

Sem contar que trazia a vida, a versão que nunca chegou a ser lançada do Passat Pointer, o Passat GTi. Mas o projeto do novo hatch médio da Autolatina, trazia em seu DNA o mesmo defeito da família Escort, o chamado efeito flutuante.

As plataformas, Escort, Verona e VW Logus, tinham a tendência de sair de traseira em curvas de alta, e dar alguns sustos em retas em velocidades acima de 140 km/h, com balanços repentinos.

Já com o novo Pointer, montadora até tentou solucionar o problema, em todas as suas versões, o carro se tornou bem mais estável, diminuindo consideravelmente o efeito flutuante. Mas logo nos primeiros testes realizados pelas principais revistas automotivas no Brasil, foi detectado um novo problema.

Em reduzidas mais bruscas, principalmente na entrada de curvas, o carro tinha tendência em sair de frente, na época foi pedido a montadora explicações sobre o problema, a resposta chegou rápido. Os engenheiros da Volkswagen responderam “É o jeitão do carro, basta se acostumar”.

Em resumo, a Volkswagen conseguiu uma incrível proeza, mudou o problema de saída de traseira da plataforma Escort, para saída de frente. Mesmo assim o carro acabou fazendo sucesso, realizou um ótimo número de vendas, em seus dois anos de produção 1994 e 1996.

Acabou sendo descontinuado, não pelo motivo das vendas caírem, ao contrário, o número de unidades emplacadas aumentava ano a ano. Mas o fim da parceria FordWagen / Autolatina chegaria ao fim, e os projetos mistos, acabaram sendo descontinuados.

Acabamento Externo

Faróis – Faróis retangulares de lentes planas;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Envolventes na cor da carroceria;

Faróis de neblina – Sim, embutidos no mesmo conjunto de lentes dos faróis;

Grade de ar do motor – Em frisos na horizontal na cor grafite;

Retrovisores Externos – Estilo panorâmico com ajuste interno mecânico;

Frisos – Emborrachados em toda a extensão lateral do carro;

Rodas – Rodas de aço 175/70 R13;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “1.8 Pointer”; na tampa do porta-malas

Lanterna Traseira – Tricolor fumê com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento interno e instrumentos

Painel – Com mostradores em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em vinil em tom cinza e grafite;

Volante – Espumado de três raios;

Sistema de som – Opcional;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Não;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Analógico;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Mecânico interno;

Acabamento dos bancos – Em tecido;

Acabamento das portas – Em vinil e tecido;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros nos bancos dianteiros, com regulagem de altura;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Volkswagen Pointer – Versão 1.8i – Ano 1996

Carroceria – Hatch;

Porte – Médio;

Portas – 4;

Motor –  AP 1.8i;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Trasnversal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 88,6 cv;

Peso Torque – 75,5 kg/kgfm;

Cilindrada – 1781 cm³;

Torque máximo – 14,5 kgfm a 2500 rpm;

Potência Máxima – 5500 rpm;

Tração – Dianteira;

Alimentação –  Injeção monoponto;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 5 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – A disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1095 kg;

Suspensão dianteira – Independente, McPherson – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Eixo torção – Mola helicoidal;

Comprimento – 4076 mm;

Distância entre – eixos – 2525 mm;

Largura – 1695 mm;

Altura – 1406 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 11,9 Segundos;

Velocidade máxima – 176 km/h;

Consumo: Cidade 9,5 km/l – Estrada 13,5 km/l;

Autonomia: Cidade 608 km – Estrada 864 km;

Porta malas – 323 litros;

Carga útil – 425 kg;

Tanque de combustível – 64 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 118.990,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos.

Volkswagen Pointer
Volkswagen Pointer

Deixe um comentário