fbpx
Pular para o conteúdo

Picape F 100 1973 o início do fim dos motores V8 no início da crise do petróleo

Picape F 100
Compartilhe

Picape F 100 1973 o início do fim dos motores V8 no início da crise do petróleo. Entre os anos de 1973 e 1975, a Ford se debateu para conseguir vender seus utilitários equipados com o motor V8.

Com a crise do petróleo já batendo a porta do Brasil, entre os meses de outubro de 1973 e março de 1974, o preço do barril de petróleo subiu 400%. A Ford com seus poderosos e beberrões motores Ford V8 que na picape F 100 fazia simpáticos 3 km/l na cidade sem carga, e 1.5 km/l com carga máxima de peso 865 kg, e começou a se tornar um veículo inviável.

Nas estrada a Picape F 100 entregava um consumo de 5 km/l sem carga máxima de peso, mas se você fosse rodar longas distâncias com dois adultos e a carroceria com mais de 800 kg de carga esse consumo subia para 3,5 km/l.

A Ford conseguiu se manter no mercado de utilitários nesse mesmo período, graças aos utilitários herdados da irmã pobre a Willys, a Picape F-75 2.6 de 6 cilindros fazia 5 km/l na cidade, e posteriormente com os motores 2.3 de 4 cilindros 7 km/l na cidade.

Do outro lado a concorrente Dodge, passava pelo mesmo problema suas picapes com motores 5.2 V8 oficialmente faziam 4 km/l na cidade, mas na prática, não passavam de 3 km/l, com carga máxima de peso, o consumo chegava a impressionantes 2 km/l, isso considerando se o modelo estive com todo a mecânica em dia, principalmente o sistema de alimentação, ou o consumo poderia bater 1 km/l.

Mas a Ford ainda tinha duas pedras no sapato, a concorrência com os modelos Chevrolet, as picapes e utilitários 6 cilindros, com os motores 4.3 que entregavam uma relação força consumo muito mais atraente, fazia uma média de 5 km/l na cidade e com carga máxima de peso, sofria pouca variação no consumo algo próximo dos 4 km/l.

Outro problema era que a Ford não tinha disponível nenhum motor com tecnologia suficiente para enfrentar as picapes Chevrolet. A solução foi utilizar em 1976 os motores Willys Georgia 2.3 de 4 cilindros que faziam 6 km/l na cidade, mas não tinham fôlego para puxar os 1610 kg da picape + 660 kg de carga útil, o cheiro de embreagem queimada era inevitável. A solução só chegou em 1979 com, o Ford F1000 a diesel, robusto e econômico.

Picape F 100

Ficha Técnica – Picape F 100 Ano – 1973

Carroceria – Ford Picape; Porte – Grande; Portas – 2; Motor –  4.5 código 272; Cilindros – 8 em V; Válvulas por cilindro – 2; Posição – Longitudinal; Combustível – Gasolina; Potência – 168 cv; Peso Torque – 51,0 kg/kgfm; Cilindrada – 4458 cm³.

Torque máximo – 34,3 kgfm a 2200 rpm; Potência Máxima – 3000 rpm; Tração – Traseira; Alimentação –  Carburador; Direção – Simples; Câmbio – Manual de 3 marchas com alavanca na coluna de direção; Embreagem – Monodisco a seco.

Freios – Freio a tambor nas 4 rodas; Peso – 1750 kg; Suspensão dianteira – Independente, duplo eixo em I – Mola helicoidal; Suspensão traseira – Eixo rígido – Feixe de molas semielípticas; Comprimento – 4856 mm; Distância entre – eixos – 2920 mm; Largura – 2029 mm; Altura – 1820 mm.

Aceleração de 0 a 100 – 19 Segundos; Velocidade máxima – 150 km/h; Consumo: Cidade 3 km/l – Estrada 5 km/l; Autonomia: Cidade 204 km – Estrada 340 km; Porta malas – 1655 Litros; Carga útil – 865 kg.

Tanque de combustível – 68 Litros; Valor atualizado Aproximado – R$ 250.990,00; Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Picape F 100
Picape F 100

Carros antigos

Caminhonete D10, a arma da GM para enfrentar o Ford F-1000 Elba carro – Chega ao Brasil o SW da família Uno, que tirou o sono dos SW Compacto VW e GM Fiat Oggi CSS 1.4 1984 conheça o Esportivo da Família 147 Vectra Elegance, em 2009 o médio de luxo da Chevrolet ainda causava frisson Toyota Paseo, conheça o cupê compacto da montadora japonesa Corsa 99, a versão Super do popular mais confortável da década de 1990 Opala 6 caneco, a versão standard de 1979 customizada Saveiro 96, o fim da bem sucedida geração quadrada se aproximava Chrysler Neon 2000, o início do fim, do médio de elite, hoje um raro colecionável Vectra 97, nunca restaurado, a versão CD 16V, com teto solar e câmbio automático

CONTATO Fale Com o Motor Tudo no Facebook.

Carros antigos