Monza SL/E 2.0 Álcool 1988 um dos mais rápidos já produzido

Ele ia de 0 a 100 em 10,5 segundos, ainda entregava muita segurança, conforto e a melhor dirigibilidade da categoria

Monza SL/E 2.0 Álcool 1988, foi uma das versões mais eficiente e bem sucedida da gloriosa história do médios de luxo da Chevrolet, o motor 2.0 que chegou na segunda metade da década de 1980, deixou o carro mais rápido e incrível mente mais silencioso, o torque suave e macio que era uma das principais características do modelo, ficou mais em evidencia.

Até o início da década de 1980, quem queria um carro rápido dificilmente encontraria conforto, desconfortáveis, com nível de ruído acima da média, oferecendo muito pouco em instrumentos de luxo, sem contar que dependendo da montadora o acabamento tinha pouca qualidade, pagava-se muito e recebia pouco, o Monza definitivamente mudou esse conceito.

Era um modelo de alto custo, para se ter um ideia no segundo semestre de 1986 quando estava no auge das vendas, sendo o carro nacional mais emplacado desde 1985, o preço do Monza SL/E 2.0 com todos os opcionais, chegava perto do valor de um Opala Diplomata, por outro lado, era o carro nacional, que mais entregava, agilidade, aliado a equilíbrio e muito luxo e conforto.

Outra curiosidade sobre os carros de luxo na década de 1980, era a incrível dificuldade em comprar um modelo com ar – condicionado, Santana CD / GLS, Monza SL/E, Opala Diplomata, mesmo sendo veículos top de linha, não era certeza que você receberia um modelo Zero KM com ar – condicionado, para pagar o opcional, o preço poderia chegar até 20% do valor do carro, dependendo da marca e modelo, outro detalhe era que o tempo de entrega de um modelo com ar, poderia chegar até 4 meses, os modelos Chevrolet eram os que tinha as entregas mais rápidas até 60 dias, mas clientes Ford e Volkswagen poderiam esperar até 120 dias.

Desempenho

 versão do Monza Sl/E 2,0 a álcool, era muito eficiente para a época, o motor Chevrolet Família II 2.0, entregava ótimos 110 CV, atingindo velocidade final real de 170 KM/h e indo de 0 a 100 em 10,5 Segundos, números bastante interessante para um modelo carburado da década de 1980.

O câmbio manual de 5 marchas, ainda era o mais confortável do mercado, e um dos mais eficientes, engates precisos e silencioso nas trocas.

A tecnologia utilizada na suspensão, sem a menor sombra de dúvida era a mais avançada do mercado brasileiro, a Chevrolet conseguia unir em uma mesma suspensão, macies e eficiência, deixando o carro ao mesmo tempo muito confortável e estável;

O ponto negativo ficava para o custo de manutenção, entre os compactos e médios de luxo, era uma das manutenções mais cara do Brasil, apenas atrás do Opala Diplomata.

Acabamento Externo

Desde o segundo mestre de 1985 o Monza mudou pouco, mas ainda mantinha um visual empolgante para a época;

Frente com faróis chanfrados, embutidos em um mesmo conjunto com as setas;

Para – choques em aço na cor grafite, com friso emborrachado e detalhes cromados;

Abaixo do para-choque dianteiro uma continuação da lataria dando a impressão de um para-choque envolvente;

Largo friso emborrachado na lateral do carro com o logo “Monza SL/E”;

Grade de entrada de ar dianteira com a gravata Chevrolet;

Retrovisores panorâmicos na cor do carro, com controle interno elétrico;

Lanternas traseiras frisadas bonitas e muito eficientes;

Rodas de liga leve exclusivas família Monza 185/70 R13;

Logo 2.0 na tampa do porta malas.

Acabamento Interno

Painel completo, com mostradores em escala circular + conta – giros;

Volante executivo anatômico de 4 raios;

Relógio digital;

Ventilador de três velocidades;

Ar – Quente

Ar – condicionado – Opcional;

Acionamento dos vidros manual basculantes;

Ajuste mecânico dos retrovisores;

Encosto de cabeça nos bancos dianteiros com regulagem de altura;

Acabamento dos bancos e potas, em tecido aveludado em tons cinzas, e preto;

Luz de sinalização nos rodapés das portas.

Rádio toca – fitas AM/FM;

Acendedor de cigarros;

Cinzeiro embutido no painel;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro;

Assoalho e porta – malas acarpetados.

Ficha Técnica – Monza SL/E 2.0 a Álcool 1988

Carroceria Sedã;

Médio porte;

2 portas;

Motor Chevrolet Família II 2.0;

Tração dianteira;

Combustível Álcool;

Carburador;

Direção Simples;

Câmbio manual 5 marchas;

Freios a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso 1100 KG;

Potência 110 CV;

7,31 kgfm a 3000 rpm

De 0 a 100 – 10,5 Segundos;

Velocidade máxima 170 KM/h;

Consumo Cidade 7,4 KM/L Estrada 10 KM/L;

Autonomia: Cidade 451,4 – Estrada 610 KM;

Porta malas 510 Litros;

Carga útil 460 KG;

Tanque de combustível 61 Litros;

Motor Tudo – Monza SL/E 2.0 a Álcool 1988

Carros Clássicos Brasil Monza Quadrado

Deixe uma resposta