fbpx
Pular para o conteúdo

Monza a gasolina a geração Tubarão na elegante versão Classic SE

Monza a gasolina
Compartilhe

Monza a gasolina a geração Tubarão na elegante versão Classic SE de 1993, e uma época onde os motores a álcool ainda dominavam o mercado brasileiro. O conjunto propulsor Família II Chevrolet 2.0 a gasolina, entregava 6 cv a menos que a configuração a álcool.

Entre os anos de 1983 e 1989, o proálcool estava tão acelerado, que cerca de 90% dos carros vendidos nas concessionárias, eram com o combustível derivado da cana de açúcar. Para você conseguir comprar um modelo com motor a gasolina, era bastante complicado, raramente as concessionárias mantinham uma unidade em estoque. O jeito era encomendar seu veículo e esperar entre 15 e 30 dias.

Mas no início da década de 1990, essa tendência começou a mudar, as versões top de linha de modelos de médio e grande porte, já eram oferecidos com motores a gasolina como primeira opção. Ainda na década de 1990, com o preço do álcool e da gasolina bem próximos, encontrar carros com motores a gasolinas nos estoques das concessionarias, de todos os modelos e versões, se tornou mais comum.

O Monza Classic SE, tinha um público bem específico, pessoas com idade acima dos 50 anos, que viveram a era da gasolina barata, e muitos tiveram dificuldade para se adaptar ao ritual de aquecer um carro a álcool durante a década de 1980, esse público normalmente optava por modelos a gasolina.

Mas a Chevrolet, incrivelmente conseguia fazer com que os motores da família Monza a álcool, tivessem uma maior facilidade na partida a frio, bastava puxar o afogador e injetar um pouco de gasolina utilizando o botão no painel, dar a partida e colocar o carro em movimento. Alguns modelos, principalmente com motores 2.0 a álcool já saiam de fábrica com um sistema automático. Você puxava o afogador dava partida no motor, e o sistema automaticamente injetava uma pequena porção de gasolina direto no carburador.

O Monza a gasolina na versão Classic SE em 1993, ainda era um modelo com o preço da unidade zero km bastante salgado, R$ 180.000,00 em valores atualizados, mas longe da época de ouro da geração quadrada, quando o Monza Classic de 1986 foi lançado e custava em valores atualizados, algo próximo dos R$ 250.000,00. O Slogan de lançamento era “Monza Classic, feito para poucos”.

O ano de 1993, ficou marcado pelo maior pico em vendas da geração Tubarão forma 66664 unidades produzidas. 1991 – 59030 un, 1992 – 54305 un, 1993 – 66664 un, 1994 – 62994 un, 1995 – 31924 un e em 1996 – 10973 un. No total de 285.890 exemplares comercializados.

Durante a década de 1990, a tecnologia utilizada na suspensão, sem a menor sombra de dúvida era a mais avançada do mercado brasileiro. A Chevrolet conseguia unir em uma mesma suspensão, maciez e eficiência, deixando o carro ao mesmo tempo muito confortável e estável. Mesmo já considerado, com uma estrutura ultrapassada para a época, o tubarão era um dos modelos nacionais mais confortáveis para dirigir.

Monza a gasolina

Ficha Técnica – Monza a gasolina – Versão Classic SE 2.0 – Ano 1993

Carroceria – Sedã; Porte – Médio; Portas – 4; Motor –  Chevrolet Família II 2.0; Cilindros – 4 em linha; Válvulas por cilindro – 2; Posição – Transversal; Combustível – Gasolina; Potência – 110 cv; Peso Torque – 63 kg/kgfm.

Cilindrada – 1998 cm³; Torque máximo – 16 kgfm a 3200 rpm; Potência Máxima – 5400 rpm; Tração – Dianteira; Alimentação –  Injeção Monoponto; Direção – Hidráulica; Câmbio – Manual de 5 velocidades com alavanca no assoalho; Embreagem – Monodisco a seco.

Freios – Freio a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras; Peso – 1129 kg; Suspensão dianteira – Independente, McPherson – Mola helicoidal; Suspensão traseira – Eixo de torção – Mola helicoidal; Comprimento – 4493 mm; Distância entre-eixos – 2574 mm; Largura – 1668 mm; Altura – 1346 mm.

Aceleração de 0 a 100 – 11 Segundos; Velocidade máxima – 180 km/h; Consumo: Cidade 8 km/l – Estrada 10,5 km/l; Autonomia: Cidade 380 km – Estrada 556 km; Porta malas – 565 Litros; Carga útil – 475 kg; Tanque de combustível – 57 Litros; Valor atualizado Aproximado – R$ 180.000,00; Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos.

Monza a gasolina
Monza a gasolina

Carros antigos

Caminhonete D10, a arma da GM para enfrentar o Ford F-1000 Elba carro – Chega ao Brasil o SW da família Uno, que tirou o sono dos SW Compacto VW e GM Fiat Oggi CSS 1.4 1984 conheça o Esportivo da Família 147 Vectra Elegance, em 2009 o médio de luxo da Chevrolet ainda causava frisson Toyota Paseo, conheça o cupê compacto da montadora japonesa Corsa 99, a versão Super do popular mais confortável da década de 1990 Opala 6 caneco, a versão standard de 1979 customizada Saveiro 96, o fim da bem sucedida geração quadrada se aproximava Chrysler Neon 2000, o início do fim, do médio de elite, hoje um raro colecionável Vectra 97, nunca restaurado, a versão CD 16V, com teto solar e câmbio automático

CONTATO Fale Com o Motor Tudo no Facebook.

Carros antigos