Mercedes Benz 300 TE 1991 o puro DNA SW “Perua”

Compartilhe

No início da década de 1990, o mercado dos SW’s estava no auge, compactos, médios, e os modelos de luxo, com reinado assegurado, em países como Estados Unidos, e muitos do continente europeu, a Mercedes Benz era referência no segmento

A versão Mercedes Benz 300 TE 1991, era um dos modelos que dava as cartas no segmento das peruas médias de luxo, mas já existia uma ameaça no mercado, as minivans que começaram a serem apresentadas em salões de automóveis no mundo inteiro, como utilitários do futuro, que na prática não passavam de furgões de teto baixo e recheados de equipamentos de luxo.

Mas a ideia das minivans não vingou, os poucos modelos produzidos em série no início da década de 1990, terminaram como utilitários para aeroportos e serviços públicos.

A unidade aqui da matéria, o Mercedes Benz 300 TE 1991, vinha equipada como eficiente motor 3.0 de 6 cilindros em linha de 180 cv, com tração traseira RWD e câmbio de 5 marchas, atingindo velocidade final real de 212 km/h e aceleração de 0 a 100 em 8,4 segundos.

O modelo ainda vinha equipado com todos os itens e acabamento de luxo, que somente uma marca de Elite pode oferecer. Bancos com acabamento em couro, sendo o traseiro, com encosto de cabeça e cinto de segurança de três pontos, para três passageiros, ar-condicionado, regulagem de altura elétrica dos faróis, ajuste de posição do volante e trio elétrico.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto do projeto, dava ao carro uma ótima estabilidade, a Mercedes-Benz incrivelmente conseguia unir, maciez e eficiência, em uma mesma suspensão.

O motor – Equipado com o motor 6 cilindros, de 2962 cm3, com 180 cv, era eficiente e confiável. Com uma ótima velocidade de cruzeiro, se mantendo estável por longos períodos em velocidades acima de 180 km/h.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 marchas, entregava engates macios e precisos, deixando o carro mais estável em altas rotações.

Retomadas e ultrapassagens – Mesmo sendo um modelo que pesava 1530 kg, era rápido e eficiente com aceleração de 0 a 100 em 8,4 segundos.

Consumo –  Para um motor 6 cilindros, com injeção eletrônica, fazer 7,9 km/l na cidade, estava dentro do esperado para a época, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Quadrados, de lentes planas, com luzes de longo alcance embutidas no mesmo conjunto de lentes dos faróis;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Envolventes na cor da carroceria;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Cromada, tradicional Mercedes-Benz;

Retrovisores Externos – Panorâmicos na cor da carroceria, com ajuste elétrico interno;

Frisos – Em toda a extensão lateral do carro, acompanhando as cores e as linhas dos para-choques;

Rodas – De liga leve tradicionais família Mercedes Benz;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “300 TE”, Na tampa do porta–malas;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Sim;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Sim;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em couro e madeira;

Volante – Espumado de quatro raios, estilo executivo;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Analógico;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico nas 4 portas;

Sistema de travamento das portas – Elétrico central;

Ajuste dos retrovisores externos – Elétrico interno;

Acabamento dos bancos – Em couro;

Acabamento das portas – Em couro e vinil;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Com apoio para o braço, encosto de cabeça cinto de segurança de três pontos, para três passageiros;

Encosto de cabeça – Para cinco passageiros, com regulagem de altura;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Mercedes Benz 300 TE 1991

Carroceria – SW;

Porte – Médio;

Portas – 4;

Motor –  3.0;

Cilindros – 6 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 180 cv;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Cilindrada – 2962 cm³;

Torque máximo – 25,5 kgfm a 4400 rpm;

Potência Máxima – 5700 rpm;

Tração – Traseira (RWD);

Alimentação –  Injeção eletrônica MPI;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 5 marchas com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – A disco ventilado nas rodas dianteiras e disco sólido nas rodas traseiras;

Peso – 1530 kg;

Suspensão dianteira – Independent; anti-roll bar;

Suspensão traseira – Multilink with anti-roll bar;

Comprimento – 4760 mm;

Distância entre-eixos – 2800 mm;

Largura – 1740 mm;

Altura – 1490 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 8,4 Segundos;

Velocidade máxima – 212 km/h;

Consumo: Cidade 7,9 km/l – Estrada 9,4 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – N/D Litros;

Carga útil – Não informado;

Tanque de combustível – 72 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 425.900,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi

Deixe uma resposta