Mercedes Benz 280 S 1972 o modelo intermediário na versão intermediária do executivo da montadora

Compartilhe

1972 marcou o último ano da segunda geração da séries, W108 e W109 as versões MB 280 S, além das verões mais básicas ou as mais completas, com motores 2.2, 2.3, 2.8, 3.0 e 3.3, se despediam do mercado, 1973 marcaria o início da nova geração.

A diferença das séries W108 e W109, eram a distancia ente eixos, e após algum tempo também determinou, potência de motores e diferenças de instrumentos. Durante a década de 1970, as versões 280 S, foram classificadas na Europa como modelo de grande porte, nos Estados Unidos modelo de médio porte de luxo. Seus principais mercados eram, os norte-americanos e a Alemanha Ocidental, e em poucos países asiáticos; França e Portugal, também chegaram a receber alguns lotes.

A nossa unidade aqui da matéria, o Mercedes Benz 280 S 1972, é um modelo executivo na versão intermediária, equipado com motor 2.8 litros, 6 cilindros, de 160 cv e 2 carburadores Solex 4 A 1, com câmbio manual na coluna de direção. O acabamento interno em couro azul, painel em madeira, e equipamentos como direção hidráulica e ar-condicionado.

No mercado brasileiro, algumas unidades foram importadas direto da Europa antes do fechamento das nossas fronteiras comerciais em 1975, após o fechamento do mercado, algumas unidades seminovas e usadas, eram trazidas de países vizinhos, como Uruguai e Paraguai.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto do projeto, dava ao carro uma ótima estabilidade, a Mercedes-Benz incrivelmente conseguia unir, maciez e eficiência, em uma mesma suspensão, mesmo em piso de chão batido, se mantinha dentro do esperado.

O motor – Equipado com o motor 2.8 cód M 110 V 28 / 110.922 de 6 cilindros, e 2746 cm3, era eficiente e confiável. Resistente e com um tempo de vida útil que chamava a atenção para os padrões da época.

Câmbio –  O câmbio manual de 4 marchas, formava com o motor um conjunto elástico e muito eficiente, tanto na estrada quanto na cidade.

Retomadas e ultrapassagens – Mesmo sendo um modelo que pesava 1630 kg, era confiável e eficiente mesmo com carga máxima de peso, não perdia fôlego nem desempenho.

Consumo –  Para um motor de 6 cilindros, fazer 5 km/l na cidade, estava dentro do esperado para a época, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Retangulares de lentes planas, posicionados na vertical;

Setas dianteiras – Embutidas nas lentes dos faróis;

Para – choques –  Cromados, com frisos emborrachados;

Faróis de neblina – Não – Utiliza luzes de longo alcance, com lentes amarelas, de milha;

Grade de ar do motor – Cromada, tradicional Mercedes-Benz sedã e SW;

Retrovisores Externos – Panorâmicos cromado;

Frisos – Fino friso cromado em todo o contorno do carro;

Rodas – De liga leve tradicionais família Mercedes Benz;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “280 S”, Na tampa do porta–malas;

Lanterna Traseira – Tricolor, com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em couro e madeira;

Volante – De dois raios e arco cromado para acionamento da buzina;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Analógico;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em couro;

Acabamento das portas – Em couro com detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Com apoio para os braços;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Emborrachado, com opção para carpete;

Ficha Técnica – Mercedes Benz 280 S 1975

Carroceria – Sedã – W108;

Porte – Grande;

Portas – 4;

Motor –  2.8 Cód M 110 V 28 / 110.922;

Cilindros – 6 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 160 cv;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Cilindrada – 2746 cm³;

Torque máximo – 26 kgfm a 4000 rpm;

Potência Máxima – 5500 rpm;

Tração – Traseira (RWD);

Alimentação –  2 carburadores Solex 4 A 1;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 4 marchas com alavanca na coluna de direção;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – A disco ventilado nas rodas dianteira e sólido nas rodas traseiras;

Peso – 1630 kg;

Suspensão dianteira – Coil springs. Double wishbones. Anti-roll bar;

Suspensão traseira – Coil springs. Semi-trailing arm. Trailing arm. Anti-roll bar;

Comprimento – 4960 mm;

Distância entre-eixos – 2865 mm;

Largura – 1870 mm;

Altura – 1425 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 11,5 Segundos;

Velocidade máxima – 190 km/h;

Consumo: Cidade 5 km/l – Estrada 8,7 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – N/D Litros;

Carga útil – Não informado;

Tanque de combustível – 96 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 288.932,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi

Deixe um comentário