Kombi Picape Corujinha 1974 de utilitário popular, a sucata, e hoje um dos colecionáveis mais procurados

Compartilhe

Durante as décadas de 1960 e 1970, quem precisava de um utilitário para a cidade, e não tinha dinheiro para investir em um Willys Ford ou Chevrolet, a Volkswagen oferecia uma opção barata e econômica, a Kombi Picape 1500, uma ótima relação custo benefício

Comerciantes de pequeno e médio porte, dos grandes centros, tinham como grande aliado o VW Kombi picape, com um preço bem menor que as picapes direcionadas para a zona rural, uma manutenção descomplicada e relativamente barata. Lojas de móveis e colchões, alto-peças, mercearias, marcenarias, pequeno armazéns, lojas de ferragens e uma infinidade de comércios, que precisavam de um veículo urbano, barato, econômico e de fácil manutenção, iniciaram uma corrida as concessionárias em busca do utilitário refrigerado a ar.

O motor VW Boxer refrigerado a ar dava uma vantagem para a Kombi, no que se refere a autonomia, durante as décadas de 1960 e 1970 os utilitários refrigerados a água necessitavam de manutenção constante, reposição de água e óleo quase que diariamente, a Kombi bastava encher o tanque de gasolina, e uma vez a cada dois ou três meses substituir bobina e platinado, pronto você tinha um veículo para rodar 24 horas, 7 dias por semana, sem parar.

Mas durante a década de 1980, o modelo Kombi picape korujinha, se transformou em sucata, abandonadas em terrenos baldios ou apodrecendo em fundo de garagens, algumas unidades ainda eram vistas sendo utilizadas como burro de carga, em lojas de materiais de construção, carregando pedra e areia, arrastando o para-choque traseiro no chão. Uma unidade entre os anos de 1980 e 1989, custa em valores atualizados para o primeiro semestre de 2021 entre R$ 800,00 e R$ 2.500,00 dependendo do estado de conservação ou putrefação.

No começo da década de 1990, com o início da corrida por carros clássicos, e os processos de restauração se popularizando no Brasil, a Kombi Picape Corujinha 1974, se tornou um modelo bastante procurado por colecionadores, hoje uma unidade com restauração de primeira linha, ou em estado de zero km, pode valer dezenas de milhares de dólares ou Euros.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, era eficiente para cumprir o papel de um utilitário com tecnologia para a década de 1970.

Motor –  Utilizando o motor Volkswagen 1500 de 52 cv, era confiável, porém pouco elástico, as trocas de marchas deveriam sempre serem feitas proporcionalmente a velocidade do veículo, para evitar a diminuição do tempo de vida útil do motor.

Câmbio –  O câmbio de 4 velocidades era eficiente, mas após 12 ou 24 meses, a alavanca do câmbio apresentava folga, encaixes imprecisos ou impossíveis.

Retomadas e ultrapassagens – Para um utilitário da década de 1970, cumpria seu papel, mas com carga máxima de 970 kg, era bom negociar bem as ultrapassagens.

Consumo –  Na teoria era a mais econômica entre as picapes médias, mas na prática a história era outro, o consumo era em média 5 km/l na cidade, conforme ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes boleadas, embutidos em uma moldura cromada.

Setas dianteiras – Embutidas posicionadas acima dos faróis;

Para – choques –  Em aço carbono na cor branca, estilo cabide;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Entrada de ar forçado, pela lateral traseira;

Retrovisor Externo – Redondo com haste metálico;

Frisos – Não;

Rodas – De aço tradicionais família Kombi, com calotas cônicas, na cor branca;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “1500” na tampa do motor;

Lanterna Traseira – Bicolor;

Bagageiro – Opção para carroceria de aço, madeira ou baú de alumínio;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em metal na cor da carroceria;

Volante – De plástico injetado de dois raios;

Sistema de som – Não;

Ventilador – Não;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Não;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – N/D;

Cinzeiro – N/D;

Acionamento dos vidros – Manual de trilho;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em vinil;

Acabamento das portas – Em madeira curtiça;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Não;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Em aço, abaixo do assoalho;

Ficha Técnica – Kombi Picape Corujinha 1974

Carroceria – Picape;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor – VW 1500 Boxer;

Cilindros – 4 opostos horizontalmente;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Peso Torque – 123,08 kg/kgfm;

Tração – Traseira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Tambor nas quatro rodas;

Peso – 1100 kg – Sem carroceria;

Comprimento – 4300 mm;

Distância entre-eixos – 2400 mm;

Potência – 52 cv;

Cilindrada – 1493 cm³;

Torque máximo – 9,1 kgfm a 2600 rpm;

Potência Máxima – 4200 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 46 Segundos;

Velocidade máxima – 109 km/h;

Consumo: Cidade 5 KM/L – Estrada 6,6 km/l;

Autonomia: Cidade 215 km – Estrada 283,8 km;

Porta malas – 1974 Litros;

Carga útil – 970 kg;

Tanque de combustível – 43 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 69.382,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi

Deixe um comentário