kombi ambulância, uma das principais opções na área da saúde, desde a década de 1950

Compartilhe

Entre as décadas de 1950 e 1960, o sistema de saúde utilizava veículos, chassi de caminhonete ou caminhões leves, o VW, kombi ambulância, era a segunda opção.

Na segunda metade de década de 1960, até o meio da década de 1970, o reinado no mercado de ambulâncias passou a ser do Chevrolet veraneio, o modelo da Volkswagen continuou no mercado, mas ainda como uma segunda opção.

Entre os anos de 1975 e 1992, Chevrolet Veraneio e o Chevrolet Caravan dividiram o mercado da área da saúde palmo a palmo já o VW, kombi ambulância, continuo correndo por fora, mas sempre entre os mais cotados para os serviço.

A questão da preferência pelos modelos Chevrolet, era o espaço interno, que facilitava o acesso de pessoas e a adaptação de equipamentos, além da robustez do modelos. No final da década de 1990 a tendência do mercado por chassi de caminhonetes para utilitários da área da saúde estava de volta.

O Chassi Chevrolet S10 passou a ser o líder de mercado. Mas o VW, kombi ambulância continuava vivo e firme sendo o segundo modelo nacional mais emplacado na área da saúde.

A unidade aqui da matéria é um VW Kombi furgão 1.6 1999, que rodou apenas 10.000 km. No ano anterior a Volkswagen consegue o impensável, adaptou o sistema de injeção eletrônica multiponto no motor VW Boxer tork 1600. Dando sobre vida a velha senhora, até o ano de 2013, quando já utilizava o motor 1.4 refrigerado a água.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, nunca foi o ponto forte do modelo, mas atendia as expectativas para um utilitário popular.

Motor –  Utilizando o motor VW Boxer 1600, era confiável e de manutenção descomplicada e relativamente barata.

Câmbio –  O câmbio manual de 4 velocidade, exigia pouca manutenção, e deixava o carro eficiente para o dia a dia.

Retomadas e ultrapassagens – Também nunca foi o ponto forte da Kombi, principalmente com carga máxima, em vias de mão dupla era sempre bom negociar bem as ultrapassagens.

Consumo –  Para um utilitário refrigerado a ar fazer 7,5 km/l na cidade estava dentro doe esperado.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes planas, embutidos em um moldura prateada;

Setas dianteiras – Acima dos faróis;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono, branco;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Entrada forçada nas laterais dos para-lamas traseiros;

Retrovisores Externos – Retangular com haste;

Frisos – Não;

Rodas – De aço 185/80 R14;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “Ambulância” na parte dianteira;

Lanterna Traseira – Retangular, posicionada na vertical;

Bagageiro – Suporte para os giroflex;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores básicos em escala circular;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em vinil e metal;

Volante – De dois raios espumado;

Sistema de som – Não;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em courvin;

Acabamento das portas – Em madeira cortiça;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros nos bancos dianteiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Emborrachado;

Porta-malas – Emborrachado;

Ficha Técnica – kombi ambulância

Carroceria – Van;

Porte – Médio;

Portas – 4;

Motor –  Boxer 1600;

Cilindros – 4 opostos horizontalmente;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 58 cv;

Peso Torque – 109,6 kg/kgfm;

Cilindrada – 1584 cm³;

Torque máximo – 11,4 kgfm a 2600 rpm;

Potência Máxima – 4200 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Injeção Multiponto;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1250 kg;

Suspensão dianteira – Independente, braço arrastado – Barra de torção;

Suspensão traseira – Independente, braço semi-arrastado – Barra de torção;

Comprimento – 4505 mm;

Distância entre-eixos – 2400 mm;

Largura – 1720 mm;

Altura – 2003 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 26,1 Segundos;

Velocidade máxima – 120 km/h;

Consumo: Cidade 7,5 km/l – Estrada 8,4 km/l;

Autonomia: Cidade 338 km – Estrada 378 km;

Porta malas – 804 Litros;

Carga útil – 1000 kg;

Tanque de combustível – 45 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 145.138,00 – Valor do veículo zero km, sem acessórios da área da saúde;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário