Gol GT 86 o último ano da primeira geração do esportivo compacto da Volkswagen

Compartilhe

Ele nasceu em 1984 com o motor EA 827, rebatizado no Brasil de MD – 280 1.8, Câmbio 4 marchas, e se tornou o compacto mais rápido da história, até o final da primeira metade da década de 1980.

Gol GT 86 se despedia do mercado nacional, ganharia um upgrade bastante significativo, e se tornaria o Gol GTS 1.8. Mas sua chegada ao mercado em 1984 foi bastante conturbada, briga política entre a matriz alemã, e a filial Brasil, e o erro de projeto no primeiro motor.

A briga da filial Volkswagen Brasil, com a matriz alemã, para obter a autorização do desenvolvimento e produção do esportivo compacto, demorou mais do que se imaginava.

Na década de 1970, aproximadamente 5 ou 10 anos antes do VW Gol chegar ao mercado, o baixo número de unidades emplacadas, dos esportivos compactos, SP1 / SP2 e TL Sport, deixaram os diretos de Wolfsburg com um pé atrás, em projetos de esportivos compactos e médios aqui no Brasil. Mas depois de muita conversa e o projeto Ford do XR3 indo de vento em popa, além do avanço do bem sucedido projeto do Fiat Uno, finalmente chega o sinal verde ao Brasil para o lançamento GT 1.8.

O primeiro ano de produção em 1984, foi equipado com câmbio de 4 marchas e o motor MD-280 1.8, conhecido como projeto EA 827 – Tecnologia da década 1970, que equipava o Audi 80 nas versões, 1.3 de 55 cv, 1.5 de 75 cv e 1.6 de 85 cv. No Brasil alcançou a atualização como MD-270 1.6 com 81 cv a álcool, equipando a família VW Passat e linha BX.

Mas em 1984 o setor de engenharia atingiu o top de potência do motor, nasce o MD-280 1.8, que oficialmente gerava 99 cv, rápido, robusto, valente, mas com um sério problema de vibração em altas rotações.

Os motores MD-280 1.8 cobraram o preço das mudanças, equipando o novo Passat GTS Pointer 1.8, e o Gol GT 1.8 84, suas bielas eram muitos curtas, de 136 mm, e o virabrequim tinha curso maior. Em 1985 o problema foi resolvido, instalaram bielas maiores, de 144 mm, pistões de maior diâmetro e virabrequim com menor curso, assim nasce no Brasil a primeira geração dos motores AP 1.8, e em 1986 os motores AP 1.6.

A potência 99 cv continuava a mesma, a diferença ficou para o torque mais robusto e suave em baixas e altas rotações, e o motor se tornou mais elástico, aliado a um novo câmbio 5 marchas que dava mais estabilidade ao motor em velocidades acima de 140 km/h.

Desempenho

Motor –  Utilizando o motor Volkswagen AP 1.8 de 99 CV atingia velocidade final real de 165,8 km/h, confiável e muito elástico.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 velocidades, era um dos melhores do mercado, com relações curtas, respostas muito rápidas e engates precisos, mesmo nas trocas rápidas de era muito macio e eficiente.

Retomadas e ultrapassagens – O motor AP 1.8 ainda carburado, tinha muito fôlego e respondia rápido ao acelerador.

Consumo –  Para um motor de 4 cilindros a gasolina de um carro de compacto, se esperava um consumo mais moderado, mas se tratando de um esportivo com motor 1.8, carburado 6,5 km/l na cidade estava de bom tamanho.

Acabamento Externo

Faróis –  Retangulares de lentes planas;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto com os faróis;

Para – choques –  Em Lâminas de aço carbono na cor grafite, e duplo friso emborrachados;

Faróis de neblina – Embutido abaixo do para – choque dianteiro, luz de longo alcance embutidas acima dos para – choques;

Grade de ar do motor – Em lâminas de plástico na horizontal, na cor grafite;

Retrovisores Externos – Panorâmicos, com ajuste mecânico;

Frisos – Friso emborrachado em toda a extensão lateral, com o logo adesivo “GT 1.8;

Rodas – Rodas de liga leve 185/60 R14;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “GT 1.8” na tampa do porta malas;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Sim;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala quadrada e indicadores em vermelho, dando um ar mais esportivo, mas dependendo da posição que o volante parasse dificultava a visualização;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil na cor grafite;

Volante – Espumado estilo quatro bolas;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Mecânico;

Acabamento dos bancos – Recaro, em tecido em tons cinzas;

Acabamento das portas – Em vinil e tecido aveludado;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros, nos bancos dianteiros com regulagem de altura;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Gol GT 86 Motor AP 1.8

Carroceria – Hatch;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor –  AP 1.8;

Cilindros – 4 em linha;

Posição – Longitudinal;

Peso Torque – 62,68 kg/kgfm;

Tração – Dianteira;

Combustível – Álcool;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 5 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 934 kg;

Comprimento – 3846 mm;

Distância entre-eixos – 2358 mm;

Potência – 99 CV;

Cilindrada – 1781 cm³;

Torque máximo – 14,9 kgfm a 3200 rpm;

Potência Máxima – 5400 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 12 Segundos;

Velocidade máxima – 165,8 km/h;

Consumo: Cidade 6,8 km/l – Estrada 12 km/l;

Autonomia: Cidade 374 km – Estrada 660 km;

Porta malas – 273 Litros;

Carga útil – Não informada;

Tanque de combustível – 55 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 91.986,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

6 comentários sobre “Gol GT 86 o último ano da primeira geração do esportivo compacto da Volkswagen”

  1. MEU PRIMEIRO ENCONTRO COM MINHA ESPOSA A MAIS DE 20 ANOS ATRÁS FOI NUM GOL GT IDÊNTICO A ESSE. QUE SAUDADE DAQUELE QUADRADINHO. E OS BANCOS RECARO. MARCA REGISTRADA. ANDAVA BRABO.

    1. O Motor Tudo NÃO trabalha com vendas ou qualquer outro tipo de comércio de carros, apenas faço matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros, leia a matéria na integra com atenção que entenderá. Obrigado

  2. Tive um GT 86, preto onix. Lembro bem do cheiro de álcool que invadia o interior do carro. Aquilo incentivava a pisar cada vez mais fundo. Carro com relação de marchas bem curtas e o ronco do motor inconfundível!!! Ainda sonho em adquirir um para restaurar!

  3. Gostei muito dessa matéria, e só de lembrar que já tive o prazer de possuir uma raridade dessa fico muito feliz .

Deixe uma resposta