Gol GT 86 o último ano da primeira geração do esportivo compacto da Volkswagen

Ele nasceu em 1984 com o motor EA 827, rebatizado no Brasil de MD – 270 1.8, Câmbio 4 marchas, e se tornou o compacto mais rápido da história até o final da primeira metade da década de 1980.

Gol GT 86 se despedia do mercado nacional, ganharia um upgrade bastante significativo, e se tornaria o Gol GTS 1.8, mas sua chegada ao mercado em 1984 foi bastante conturbada, briga política entre a matriz alemã e a filial Brasil, e o erro de projeto no primeiro motor.

A briga da filial Volkswagen Brasil, com a matriz alemã, para obter a autorização do desenvolvimento e produção do esportivo compacto, demorou mais do que se imaginava, na década de 1970, aproximadamente 5 ou 10 anos antes do VW Gol chegar ao mercado, os insucessos dos esportivos compactos, SP1 / SP2 e TL Sport, deixaram os diretos de Wolfsburgo com um pé atrás, em projetos de esportivos compactos e médios aqui no Brasil, mas depois de muita conversa e o projeto Ford do XR3 indo de vento em popa, além do avanço do bem sucedido projeto do Fiat Uno, finalmente chega o sinal verde ao Brasil para o lançamento GT 1.8.

O primeiro ano de produção em 1984, foi equipado com câmbio de 4 marchas e o motor MD-270 1.8, conhecido como projeto EA 827 – tecnologia da década 1970, que equipava o Audi 80 nas versões, 1.3 de 55 cv, 1.5 de 75 cv e 1.5 de 85 cv, no Brasil alcançou a atualização de 1.6 com 81 CV a álcool, equipando a família VW Passat e linha BX, mas em 1984 o setor de engenharia atingiu o top de potência do motor, nasce o MD-270 1.8, que oficialmente gerava 99 CV, mas na prática atingia 107 CV de força, rápido, robusto, valente, mas com um sério problema de vibração em altas rotações.

Os motores MD-270 1.8 cobraram o preço das mudanças, equipando o novo Passat GTS Pointer, Linha Santana e o Gol GT 84, suas bielas eram muitos curtas, de 136 mm, e o virabrequim tinha curso maior, em 1985 o problema foi resolvido, instalaram bielas maiores, de 144 mm, pistões de maior diâmetro e virabrequim com menor curso, assim nasce no Brasil a primeira geração dos motores AP 1.8, e em 1986 os motores AP 1.6.

A potência 99 CV continuava a mesma, a diferença ficou para o torque mais robusto e suave em baixas e altas rotações e o motor se tornou mais elástico, aliado a um novo câmbio 5 marchas que dava mais estabilidade ao motor em velocidades acima de 140 KM/h.

Desempenho

Motor –  Utilizando o motor Volkswagen AP 1.8 de 99 CV atingia velocidade final real de 165,8 km/h, confiável e muito elástico.

Câmbio –  O câmbio manual de 5 velocidades, era um dos melhores do mercado, com relações curtas, respostas muito rápidas e engates precisos, mesmo nas trocas rápidas de era muito macio e eficiente.

Retomadas e ultrapassagens – O motor AP 1.8 ainda carburado, tinha muito fôlego e respondia rápido ao acelerador.

Consumo –  Para um motor de 4 cilindros a gasolina de um carro de compacto, se esperava um consumo mais moderado, mas se tratando de um esportivo com motor 1.8, carburado 6,5 km/l na cidade estava de bom tamanho.

Acabamento Externo

Faróis –  Retangulares de lentes planas;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto com os faróis;

Para – choques –  Em Lâminas de aço carbono na cor grafite, e duplo friso emborrachados;

Faróis de neblina – Embutido abaixo do para – choque dianteiro, luz de longo alcance embutidas acima dos para – choques;

Grade de ar do motor – Em lâminas de plástico na horizontal, na cor grafite;

Retrovisores Externos – Panorâmicos, com ajuste mecânico;

Frisos – Friso emborrachado em toda a extensão lateral, com o logo adesivo “GT 1.8;

Rodas – Rodas de liga leve 185/60 R14;

Maçanetas – Na cor grafite;

Logo – “GT 1.8” na tampa do porta malas;

Lanterna Traseira – Tricolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Sim;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala quadrada e indicadores em vermelho, dando um ar mais esportivo, mas dependendo da posição que o volante parasse dificultava a visualização;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil na cor grafite;

Volante – Espumado estilo quatro bolas;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Mecânico;

Acabamento dos bancos – Recaro, em tecido em tons cinzas;

Acabamento das portas – Em vinil e tecido aveludado;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Para dois passageiros, nos bancos dianteiros com regulagem de altura;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Gol GT 86 Motor AP 1.8

Carroceria – Hatch;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor –  AP 1.8;

Cilindros – 4 em linha;

Posição – Longitudinal;

Peso Torque – 62,68 kg/kgfm;

Tração – Dianteira;

Combustível – Álcool;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 5 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 934 kg;

Comprimento – 3846 mm;

Distância entre-eixos – 2358 mm;

Potência – 99 CV;

Cilindrada – 1781 cm³;

Torque máximo – 14,9 kgfm a 3200 rpm;

Potência Máxima – 5400 RPM;

Aceleração de 0 a 100 – 12 Segundos;

Velocidade máxima – 165,8 km/h;

Consumo: Cidade 6,8 km/l – Estrada 12 km/l;

Autonomia: Cidade 374 km – Estrada 660 km;

Porta malas – 273 Litros;

Carga útil – Não informada;

Tanque de combustível – 55 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 73.986,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Please follow and like us:

6 comentários sobre “Gol GT 86 o último ano da primeira geração do esportivo compacto da Volkswagen”

  1. TIVE UM IDÊNTICO.
    O CARRO ERA UM FOGUETE. E OS BANCOS RECARO?? MARCA REG.

  2. MEU PRIMEIRO ENCONTRO COM MINHA ESPOSA A MAIS DE 20 ANOS ATRÁS FOI NUM GOL GT IDÊNTICO A ESSE. QUE SAUDADE DAQUELE QUADRADINHO. E OS BANCOS RECARO. MARCA REGISTRADA. ANDAVA BRABO.

    1. O Motor Tudo NÃO trabalha com vendas ou qualquer outro tipo de comércio de carros, apenas faço matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros, leia a matéria na integra com atenção que entenderá. Obrigado

  3. Tive um GT 86, preto onix. Lembro bem do cheiro de álcool que invadia o interior do carro. Aquilo incentivava a pisar cada vez mais fundo. Carro com relação de marchas bem curtas e o ronco do motor inconfundível!!! Ainda sonho em adquirir um para restaurar!

  4. Gostei muito dessa matéria, e só de lembrar que já tive o prazer de possuir uma raridade dessa fico muito feliz .

Deixe uma resposta