Galaxie 500 1969, o máximo da indústria automobilística brasileira na década de 1960

Compartilhe

O Galaxie 500 1969, após dois anos de produção, se mantem como o máximo entre os carros de luxo produzidos no Brasil, mesmo com o lançamento do Chevrolet Opala em 1968. No final da década de 1960, as montadoras começam a se preparar para a grande batalha dos gigantes de luxo e esportivos, que seria travada durante a década de 1970.

O Ford Galaxie, apareceu no V Salão do Automóvel em 1966, no dia 16 de fevereiro de 1967 sai a primeira fornada e a festa de lançamento na fábrica da Ford no Ipiranga e no edifício Lúcio Costa no Rio de Janeiro, sede do Banco do Estado da Guanabara, onde um modelo foi içado por guindaste até o heliporto do edifício onde ocorreu o coquetel de lançamento.

A unidade da nossa matéria, traz de série o motor V8 292 4.8 de 190 cv, com câmbio automático na coluna, ar condicionado e direção hidráulica. Um modelo que mede 5440 mm. Hoje um colecionável que esta no topo da hierarquia dos carros clássicos aqui no Brasil, uma unidade devidamente restaurada ou ainda em estado de zero km, pode chegar fácil a R$ 300.000,00.

Desempenho

Estabilidade –  Um carro muito confortável e uma suspensão muito macia, aliado a uma direção hidráulica pouco precisa, era sempre bom o motorista ficar atento em curvas de alta.

O motor – Equipado com o motor Ford cód 292 4.8 V8, era uma verdadeira usina de força, com um torque bastante suave em altas rotações, era confiável e eficiente.

Câmbio –  O câmbio manual de 3 marchas, com alavanca na coluna de direção, era de engates precisos e exigia pouca manutenção.

Retomadas e ultrapassagens – Mesmo sendo um modelo que pesava 1780 kg, era rápido e eficiente com aceleração de 0 a 100 em 17,4 segundos.

Consumo –  Para quem podia pagar R$ 370.000,00, em uma unidade zero km, fazer 3,5 km/l na cidade, era o que menos preocupava.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos duplos na vertical de lentes boleadas;

Setas dianteiras – Embutidas, atrás da grade de ar do motor;

Para – choques –  Em largas lâminas de aço carbono cromados;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Cromada, com frisos na horizontal;

Retrovisores Externos – Cromados quadrados;

Frisos – Metálico em toda a extensão lateral do rodapé carro;

Rodas – De tradicionais tradicionais da família Ford 215/70 R15, com calotas, enraiadas;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “Galaxie 500”, na lateral do para-lama traseiro;

Lanterna Traseira – Em cor única com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala horizontal;

Conta – giros – Não;

Acabamento do painel – Em courvin e detalhes em aplique de madeira Jacarandá;

Volante – De dois raios, e meia lua metálica para acionamento da buzina;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Analógico;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em tecido;

Acabamento das portas – Em courvin e detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Galaxie 500 1969

Carroceria – Sedã;

Porte – Grande;

Portas – 4;

Motor –  Cód 292 4.8;

Cilindros – 8 em V;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 190 cv;

Peso Torque – 48,0 kg/kgfm;

Cilindrada – 4786 cm³;

Torque máximo – 37,1 kgfm a 2400 rpm;

Potência Máxima – 4400 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 3 marchas com alavanca na coluna de direção;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a tambor nas quatro rodas;

Peso – 1780 kg;

Suspensão dianteira – Independente, braços sobrepostos – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Eixo rígido – Mola helicoidal;

Comprimento – 5440 mm;

Distância entre-eixos – 3020 mm;

Largura – 2000 mm;

Altura – 1460 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 17,4 Segundos;

Velocidade máxima – 160 km/h;

Consumo: Cidade 3,5 km/l – Estrada 7 km/l;

Autonomia: Cidade 375 km – Estrada 749 km;

Porta malas – 400 Litros;

Carga útil – Não informado;

Tanque de combustível – 107 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 380.528,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário