Ford Maverick GT V8 1976 o último ano da fase 1

Compartilhe

Ele chegou ao mercado em 1973, nas versões, Super (modelo standard), Super Luxo (SL) e o GT, nas carrocerias sedã e cupê, a versão esportiva de cara causou um forte impacto na impressa

A primeira geração do Ford Maverick na carroceria cupê, trazia algumas limitações, de freios e suspensão, além do problema de espaço interno no banco traseiro.

A segunda geração, no final de 1976 já como modelo 1977, trouxe mudanças no acabamento, e sistema de freios mais eficiente, eixo traseiro com bitola mais larga (melhorando o espaço no banco traseiro, que também foi redesenhado) e suspensão revista para o uso de pneus radiais.

Mesmo na primeira geração, a versão Ford Maverick GT V8, foi um esportivo que embalou os sonhos de muitos jovens da década de 1970, na verdade embala os sonhos de muita gente até os dias de hoje. O visual estilo bad boy norte-americano, e o feroz motor Windsor 302 de 197 cv, a 39,5 kgfm a 2400 rpm, impunha respeito em qualquer concorrente.

Ainda no ano de 1976, já existia opcionais interessantes oferecidos pela montadora, como ar – condicionado. Algumas concessionárias como a Souza Ramos, disponibilizavam kits próprios, para vidros e travas elétricas, além de outros serviços personalizados.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto carroceria, chassi e suspensão, dava ao carro um bom equilíbrio, mas uma suspensão muito macia, e um sistema de direção hidráulica pouco preciso, deixava o motorista mais atento em altas velocidades.

Motor –  O motor Windsor 302 de 197 cv, era robusto, rápido e com um ronco inconfundível. Quanto a velocidade final, com apenas 182 km/h, se esperava um pouco mias de um esportivo V8.

Câmbio –  O câmbio manual, era de engates precisos, e exigia pouca manutenção.

Retomadas e ultrapassagens – Um modelo com um valente V8 embaixo do capô, que respondia muito bem ao pedal do acelerado, era rápido e seguro.

Consumo –  Para um motor de 8 cilindros, de um carro de alto custo, fazer 4,5 km/l na cidade, estava dentro do esperado para a época, mais detalhes na ficha técnica no final da matéria.

Acabamento Externo

Faróis –  Faróis redondos de lentes boleadas;

Setas dianteiras – Embutidas abaixo do pra-choque;

Para – choques –  Em lâminas de aço carbono cromados;

Faróis de neblina – Embutidos na grade de ar do motor;

Grade de ar do motor – Frisada;

Retrovisores Externos – Estilo GT;

Frisos – Faixa preta, na lateral em toda a extensão do carro, com o logo 302 – V8;

Rodas – Rodas de aço com calotas metálicas;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “Maverick GT” na lateral dos pra – lamas dianteiros;

Lanterna Traseira – Bicolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em courvin e aço na cor preto;

Volante – De dois raios com forração em couro;

Sistema de som – Ford Philco;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Opcional;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Analógico no console da alavanca de marchas;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em courvin;

Acabamento das portas – Em courvin e detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Ford Maverick GT 4.9 V8 1976

Carroceria – Cupê;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  Windsor 302;

Cilindros – 8 em V;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 197 cv;

Peso Torque – 35,2 kg/kgfm;

Cilindrada – 4942 cm³;

Torque máximo – 39,5 kgfm a 2400 rpm;

Potência Máxima – 4600 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 4 marchas, com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – A disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1390 kg;

Suspensão dianteira – Independente, braços sobrepostos – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Eixo rígido – Feixe de molas semielípticas;

Comprimento – 4580 mm;

Distância entre-eixos – 2619 mm;

Largura – 1791 mm;

Altura – 1364 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 10,8 Segundos;

Velocidade máxima – 182 km/h;

Consumo: Cidade 4,5 km/l – Estrada 6 km/l;

Autonomia: Cidade 450 km – Estrada 600 km;

Porta malas – 417 litros;

Carga útil – Não informado;

Tanque de combustível – 100 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 298.165,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Deixe um comentário