Fiat Uno Mille Eleltronic 1993

Compartilhe

No segundo semestre de 1992 a Fiat lança o Uno Mille Eletronic com mais potência, mas sem injeção eletrônica.

Um grande engano que muitos cometeram em 1993, foi achar que o Uno Mille Eletronic era equipado com injeção eletrônica, na verdade até hoje muitos pensam assim.

No início dos anos 90 chegaram as novas regras de obrigatoriedade na utilização de catalizador na saída do escapamento, com isso os modelos 1.0 que já eram lentos e pouco potentes ficaram pior ainda, implantar sistema de injeção eletrônico nos carros seria a solução para problema, mas a grande questão era o custo, os preços dos populares ficariam muito acima da realidade, então a Fiat resolveu o problema implantando no Uno 1.0 um carburador duplo e ignição digital de ponta, alcançando 56 CV de força, e nomeou o carro de Uno Mille Eletronic, dai a confusão na cabeça de muita gente, a palavra Eletronic deu a entender aos leigos, Injeção eletrônica.

Confusão a parte, o Mille melhorou em alguns aspectos com o novo sistema de alimentação, deixou o nível de ruido interno um pouco mais estável, e aumentou a agilidade do carro na cidade, mantendo o nível de consumo de combustível dentro da realidade de um carro 1000.


Imagem pastore Car Collection.


Por fora o acabamento era o mesmo dos anos 80 faróis grandes e quadrados, grade dianteira grande com o logo da montadora, ao contrário doas versões 1.3 e 1.5 que já utilizavam nova frente e também sistema de alimentação de Injeção eletrônica.

Por dentro o Mille Eletronica se manteve como diz o dotado popular, “Pé de Boi” no painel apenas dois mostradores com ponteiros, velocímetro e marcador de combustível, até a temperatura do motor não tinha monitoramento, só aparecia depois que o motor aquecesse acima dos padrões, ai sim acendia uma luz vermelha no painel.

Uma vantagem que ainda permanecia dos anos 80 eram os comandos do painel que ficavam muito próximo da mão do motorista.

Os bancos eram de forração de napa, uma imitação barata de couro, encontrada em todos os carros 1.0 de todas as montadoras na época.


Imagem pastore Car Collection.


Imagem pastore Car Collection.


Imagem pastore Car Collection.

Carroceria – Hatch;

Porte – Compacto;

Portas – 2;

Motor –  Fiasa 1.0;

Cilindros – 4 em linha;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Transversal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 48,5 cv;

Peso Torque – 107,84 kg/kgfm;

Cilindrada – 994 cm³;

Torque máximo – 7,4 kgfm a 3000 rpm;

Potência Máxima – 5700 rpm;

Tração – Dianteira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 5 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 798 kg;

Suspensão dianteira – Independente, McPherson – Mola helicoidal;

Suspensão traseira – Independente, McPherson – Feixe de molas semielípticos;

Comprimento – 3644 mm;

Distância entre-eixos – 2361 mm;

Largura – 1548 mm;

Altura – 1445 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 17,4 Segundos;

Velocidade máxima – 139 km/h;

Consumo: Cidade 12,3 km/l – Estrada 15 km/l;

Autonomia: Cidade 676,5 km – Estrada 825 km;

Porta malas – 290 Litros;

Carga útil – 400 kg;

Tanque de combustível – 55 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 45.296,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.


Motor Tudo – Fiat Uno Mille Eletronic 1993.

Carros dos anos 90.

Deixe um comentário