fbpx
Pular para o conteúdo

Fiat 147 baú mais uma grande ideia da montadora italiana

Fiat 147 bau
Compartilhe

Fiat 147 baú mais uma grande ideia da montadora italiana. Simplesmente genial, a picape compacta Fiat 147 que foi sucesso imediato desde 1978 em seu lançamento. Nos anos seguintes a marca arriscou e foi mais longe.

Entre os anos de 1979 e 1980, a Fiat lança mais dois utilitários, o primeiro ainda na plataforma do hatch 147, o Fiat 147 furgão, que na prática era o mesmo 147, porém sem o banco traseiros, e os vidros traseiros laterais e da tampa do porta malas, substituídos por folhas e aço galvanizado ou placas de acrílicos, na cor branco.

O 147 furgão, acabou se tornando imediatamente o escada no teto preferido das companhias de luz, água e telefone. Em 1980 já sobre a plataforma do SW Fiat 147 Panorama, a marca coloca outro utilitário que se tornou sucesso imediato.

Nasce o Fiat 147 furgão baú, sempre equipado com o motor Fiasa 1.3 a álcool ou a gasolina, entregando um generoso espaço de carga de 2500 litros. O modelo também acabou sendo o produto da família Fiat 147 com vida mais longa, produzido até o final de 1988.

Ele se tornou a solução ideal para pequenos comerciantes, principalmente varejistas que trabalhavam com produtos perecíveis, ou com artigos que dificultavam o transporte em um utilitário aberto como as picapes compactas.

No ano de 1985 em uma viagem entre Cubatão cidade industrial do litoral paulista, até a cidade de João Pessoa no estado da Paraíba, aproximadamente 2.835 km de distância, encontramos em uma estrada deserta entre os estados de Alagoas e Pernambuco, um Fiat 147 baú, como o da matéria com placa de São Paulo.

O carro estava com o baú carregado, além de muita carga amarrada no teto. Após quase um dia de viagem sem encontrar nenhum restaurante ou posto de gasolina, conseguimos uma parada de caminhoneiros onde oferecia combustível e um restaurante com comida caseira.

Fiat 147 bau

Lá encontramos o referido utilitário com placa de São Paulo totalmente carregado, e perguntamos ao motorista o que carregava, de onde ele vinha e para onde ia. Ele nos respondeu: Venho do bairro do Braz em São Paulo, carrego travesseiros e roupas de cama, faço esse trajeto uma vez por mês para vender meus produtos em pequenas cidades da Paraíba. Dois grandes heróis, tanto o carro quanto o motorista.

Ficha Técnica – Fiat 147 baú – Ano 1986

Carroceria – Fiat Baú; Porte – Compacto; Portas – 2; Motor – Fiasa 1.3; Cilindros – 4 em linha; Posição – Transversal; Peso Torque – 95,0 kg/kgfm; Tração – Dianteira; Combustível – Gasolina; Alimentação –  Carburador.

Direção – Simples; Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho; Embreagem – Monodisco a seco; Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras; Peso – 950 kg.

Comprimento – 3879 mm; Distância entre-eixos – 2225 mm; Potência – 60 cv; Cilindrada – 1297 cm³; Torque máximo – 10 kgfm a 2600 rpm; Potência Máxima – 5200 rpm; Aceleração de 0 a 100 – 17,1 Segundos.

Velocidade máxima – 135 km/h; Consumo: Cidade 9 km/l – Estrada 12 km/l; Autonomia: Cidade 468 km – Estrada 624 km; Porta malas – 2500 Litros; Carga útil – 420 kg; Tanque de combustível – 52 Litros.

Valor atualizado Aproximado – R$ 78.900,00. Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos.

Fiat 147 bau
Fiat 147 bau

Carros antigos

Caminhonete D10, a arma da GM para enfrentar o Ford F-1000 Elba carro – Chega ao Brasil o SW da família Uno, que tirou o sono dos SW Compacto VW e GM Fiat Oggi CSS 1.4 1984 conheça o Esportivo da Família 147 Vectra Elegance, em 2009 o médio de luxo da Chevrolet ainda causava frisson Toyota Paseo, conheça o cupê compacto da montadora japonesa Corsa 99, a versão Super do popular mais confortável da década de 1990 Opala 6 caneco, a versão standard de 1979 customizada Saveiro 96, o fim da bem sucedida geração quadrada se aproximava Chrysler Neon 2000, o início do fim, do médio de elite, hoje um raro colecionável Vectra 97, nunca restaurado, a versão CD 16V, com teto solar e câmbio automático

CONTATO Fale Com o Motor Tudo no Facebook.

Carros antigos