Dojão Americano a versão Charger V8 em terras brasileiras

Mesmo com modelos produzidos no Brasil entre as décadas de 1960 e 1970, muitos fãs de Muscle Cars importavam dos EUA unidades como o Dodge Charger 1968, conhecido como Dojão americano.

O norte-americano é aproximadamente 150 mm maior na distancia entre eixos e 140 mm mais largo, o motor também é consideravelmente maior e mais potente, a versão brasileira entregava no V8, 5212 cm³ e 215 CV já o Dojão americano, 7206 cm³ e 340 CV.

Outras diferenças também apareciam no desempenho, velocidade final e de 0 a 100, sempre com vantagem do irmão rico, Charge Brasil 185 km/h e de 0 a 100 9,5 Segundos, Charger gringo, 210 km/h e de 0 a 100 8,2 Segundos.

Durante a era dos Muscle Cars, o posicionamento dos modelos em cada país tinham situações diferentes, os modelos brasileiros de grande porte, como Opala, Galaxie landau e família Dodge, eram considerados na terra do tio Sam como modelos médios ou compactos, dependendo da potência ou tamanho.

Desempenho – Dojão Americano V8 1968

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, ainda era eficiente para a época, mesmo assim era sempre bom o motorista ficar atento a curvas de alta e em retas em altas velocidades, suspensão muito macia + direção hidráulica pouco precisa = ver o mundo girar.

Motor –  Utilizando o motor Dodge V8 Magnum, deixava o carro nervoso, eficiente e muito confiável.

Câmbio –  O câmbio automático de 3 velocidades, respondia as expectativas do motor, era um dos raros sistemas que funcionava sem trancos nas trocas em altas rotações.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor com muito fôlego e um câmbio descomplicado, o carro era seguro e eficiente, indo de 0 a 100 em 8,2 Segundos.

Consumo –  No final da década de 1960, consumir 4 km/l na cidade e 7 km/l na estrada, não fazia muita diferença, para o proprietário com dinheiro no bolso que conseguia adquirir uma unidade 0 km.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos de lentes boleadas, duplos na horizontal, embutidos atrás da grade de ar do motor;

Setas dianteiras – Embutidas com repetidor de setas na parte lateral dos para – lamas;

Para – choques –  Largas lâminas de aço carbono cromadas;

Faróis de neblina – Sim;

Grade de ar do motor – Com frisos na na vertical e abas de proteção das lentes dos faróis;

Retrovisores Externos – Redondos, cromados e com ajuste manual;

Frisos – Faixa preta envolvendo a circunferência traseira;

Rodas – De aço cromadas com detalhes em grafite, tradicionais família Dodge Charge;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “Charger” na coluna lateral traseira e abaixo da tampa do porta – malas;

Lanterna Traseira – Redondas de lentes dupla na horizontal e luz de ré embutida no centro;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular mph;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em couro preto e aço carbono;

Volante – Esportivo, de três raios;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Analógico no centro do mostradores;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em vinil;

Acabamento das portas – Em couro e detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Sim;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Dojão Americano – Charger V8 1968

Carroceria – Cupé;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  V8 Magnum 383;

Cilindros – 8 em V;

Posição – Longitudinal;

Torque –  515.0 Nm or 379 lb.ft;

Tração – Traseira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Automático de 3 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a tambor nas 4 rodas;

Peso – N/D;

Comprimento – N/D;

Distância entre-eixos – 2970 mm;

Potência – 340 CV;

Cilindrada – 7206 cm3 ;

Taxa de Compressão – 10.00;

Potência Máxima – 4600 RPM;

Aceleração de 0 a 100 – 8,2 Segundos;

Velocidade máxima – 210 km/h;

Consumo: Cidade 4 km/l – Estrada 7 km/l;

Autonomia: Cidade N/D – Estrada N/D;

Porta malas – N/D;

Carga útil – 450 kg;

Tanque de combustível – N/D;

Valor atualizado Aproximado – N/D;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Please follow and like us:

Um comentário sobre “Dojão Americano a versão Charger V8 em terras brasileiras”

Deixe uma resposta