Dodge Charger SRT8 V8 HEMI 2008 o sonho não acabou

Compartilhe

Em 2005 já como modelo 2006, a sexta geração é lançada nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, na sequência, iniciam as importações para o Brasil, o sonho do poderoso V8 estava de volta

Durante a década de 1970, ele foi o sonho de consumo de muitos brasileiros, um esportivo de grande porte, de alto custo, sinônimo de eficiência, força e ostentação de toda uma geração, um V8 que deixaria saudades. Em 1980 ele se despede do Brasil e se torna um colecionável muito procurado e admirado.

No início dos anos 2000, com as importações a todo o vapor, ele retornar ao Brasil, inicialmente com importações independente, posteriormente pela própria montadora. A unidade aqui da matéria, o Dodge Charger SRT8 V8 HEMI 2008, já mostrava a impressionante evolução tecnológica do Muscle Car.

Disponível apenas como sedã 4 portas, com novas linhas mais modernas mas mantendo a essência da década de 1970, o modelo entregava novas tecnologias, como controle de tração e estabilidade, freios a disco ventilado nas 4 Rodas com ABS + EBD + BAS, e o poderoso motor  6.1 V8 HEMI de 461 cv líquidos, com velocidade final real de 274 km/h e aceleração de 0 a 100 em 5 segundos.

Recentemente a montadora anunciou que encerrará a produção dos motores V8 para dar lugar a produção dos novos motores elétricos, mas as novas unidades eletrificadas basicamente receberão a mesma essência dos atuais Muscle Car, segundo a informação que o chefe de Operações de Vendas Matt McAlear, relatou em uma entrevista com o site Muscle Car & Trucks.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto do novo projeto, dispensa comentários, além de um peso muito bem distribuído, e com uma suspensão mais rígida, o modelo conta com controle de tração e estabilidade. Tanto em curvas de alta, como em retas, em velocidades acima de 180 km/h, o carro se mantem estável sem balanços repentinos.

Motor –  Utilizando o motor Dodge 6.1 V8 HEMI de 431 cv, era robusto, confiável e com um giro bastante estável máxima rotação.

Câmbio –  O câmbio automático de 5 velocidades, não tirava a esportividade do carro, com trocas e retomadas muito precisas.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor elástico com muito fôlego que respondia muito bem ao pedal do acelerador, era seguro e confiável.

Consumo –  O consumo de 4,5 km/l na cidade, é uma marca registrada dos modelos V8 de grande porte até os dias de hoje, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos duplos na horizontal de lentes boleadas, embutidos com recuo atrás da lente refletora, acompanhando as linhas da carroceria;

Setas dianteiras – Embutidas no mesmo conjunto dos faróis;

Para – choques –  Envolventes na cor da carroceria;

Faróis de neblina – Sim;

Grade de ar do motor – Bipartida, com grade estilo colmeia;

Retrovisores Externos – Estilo panorâmicos na cor da carroceria, com ajuste elétrico interno;

Frisos – Faixas laterais cinza, em toda a extensão do carro, com o logo “Charger SRT”;

Rodas – De liga-leve 275/40 R20;

Maçanetas –Embutidas nas portas;

Logo – “Charger”, na tampa do porta-malas;

Lanterna Traseira – Bicolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Sim;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular + computador do bordo;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Metal, couro e vinil;

Volante – De quatro raios com acabamento em couro e comandos do som;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Sim;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Sim;

Relógio – Digital;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Elétrico;

Sistema de travamento das portas – Elétrico central;

Ajuste dos retrovisores externos – Elétrico;

Acabamento dos bancos – Em couro;

Acabamento das portas – Em vinil e detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Com cinto de segurança de três pontos para três passageiros, encosto de cabeça e apoio para o braço;

Encosto de cabeça – Para quatro passageiros;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Sim;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Dodge Charger SRT8 V8 HEMI 2008

Carroceria – Sedã;

Porte – Grande;

Portas – 4;

Motor –  6.1 HEMI;

Cilindros – 8 em V;

Válvulas por cilindro – 2;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 431 cv;

Peso Torque – N/D kg/kgfm;

Cilindrada – 6166 cm³;

Torque máximo – 58 kgfm a 4600 rpm;

Potência Máxima – 6000 rpm;

Tração – Traseira – Com controle de tração;

Alimentação –  Injeção Multipoint Indirect Injection;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Automático de 5 velocidades, com alavanca no assoalho;

Embreagem – Conversor de torque;

Freios – Freio a disco ventilado nas rodas quatro rodas com com ABS + EBD + BAS;

Peso – 2075 kg;

Suspensão dianteira – Independent SLA with high upper “A” arm, coil spring over gas-charged monotube shock absorbers and stabilizer bar;

Suspensão traseira – Five-link independent with coil springs, gas-charged monotube shock absorbers, stabilizer bar and isolated suspension cradle;

Comprimento – 5077 mm;

Distância entre-eixos – 3050 mm;

Largura – 1095 mm;

Altura – 1483 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 5 Segundos;

Velocidade máxima – 274 km/h;

Consumo: Cidade 4,5 km/l – Estrada 8 km/l;

Autonomia: Cidade N/D km – Estrada N/D km;

Porta malas – N/D Litros;

Carga útil – N/D kg;

Tanque de combustível – 70 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 402.932,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.joi

Deixe um comentário