Dodge Charger R/T V8 1976 Um Verdadeiro Muscle Car

A fera da Dodge Chrysler no Brasil, naturalmente impunha respeito, mas na cor preto com detalhes dourados, completava seu jeitão de Bad Boy

É difícil até de imaginar durante a década de 1970, o frisson que causava, chegar em uma roda de amigos dirigindo um Dodge Charger R/T V8 1976, na cor preto e dourado, mas com toda a certeza, nos dias de hoje, mais de 40 anos depois, a sensação seria a mesma.

O Bad Boy V8 da década de 1970, foi de esportivo badalado e glamouroso, a sinônimo de sucada durante a década de 1980 e início da década de 1990, era encontrado em desmanches e terrenos baldios, hoje um verdadeiro Muscle Car, extremamente desejado e colecionável.

Os esportivos das décadas de 1980 e 1990, com seus motores 1.6, 1.8 e 2.0, principalmente os modelos Chevrolet, Volkswagen e Fiat, eram bastante equilibrados e fáceis de dirigir, além dos modelos atuais que contam até com suspensão ativa e freios ABS, assim fica muito fácil entrar em uma curva, o Dodge Cherger V8, tinha uma suspensão macia, uma direção hidráulica não muito precisa, e um monstro V8 Carburado, que entregava mais de 215 CV de força bruta, esse sim, era carro para macho de verdade encarar uma curva de alta com piso molhado, e quando você pisa no freio no meio da curva, tem que mostrar muita coordenação motora e força, para segurar todo o peso da carroceria.

Desempenho

O poderoso motor Dodge LA 318 – 5.2 V8, conseguia deixar o carro ágil e gostoso de dirigir, era um verdadeiro navegador silencioso, indo de 0 a 100 em ótimos 9,5 Segundos, e velocidade final de 180 KM/h reais, bons números um modelo esportivo na década de 1970.

Na cidade quase dava para esquecer que estava dirigindo um carro com com mais de 5 metros, era ágil e macio para dirigir.

Na estrada era preciso em retomadas e muito seguro em ultrapassagens, mas em curvas de alta era bom ficar atento, suspensão macia + direção hidráulica pouco precisa + muita potência, você poderia acabar vendo o mundo girar.

Os ponto negativo ficava para o consumo, o carro era um beberrão compulsivo, se estivesse muito bem regulado, e com as manutenções em dia, fazia no máximo 5 Km/L na cidade, mas existem registros de modelos semi novos nos anos 1970 que chegavam a fazer 2 Km/L na cidade.

A versão Dodge Charge R/T V8 1976, já era equipado com sistema de freios a disco ventilado nas rodas dianteiras, deixando para trás a falta de equilíbrio e pouca eficiência nas frenagens.

Acabamento Externo

Frente com grade de ar do motor bipartida, com faróis duplos de lentes redondos, boleadas e seta no meio.

Largos para – choques em aço carbono cromados.

Entradas de ar, nas extremidades do capô.

Faixa adesiva dourada, em toda a extensão lateral do carro, com o logo ” Charge R/T”.

Teto em vinil preto.

Maçanetas cromadas.

Rodas de aço pretas e com detalhes na cor prata, tradicionais Dodge R/T.

Retrovisor redondo, cromado, muito pequeno para um carro tão grande e com tanta potência.

Lanterna traseira bicolor com luz de ré.

Logo “Charge R/T” na tampa do porta – malas.

Acabamento Interno

Painel com acabamento em madeira estilo mogno.

Mostradores em escala circular + conta – giros.

Volante esportivo de três raios, em couro costurado a mão.

Ventilador de três velocidades.

Ar – quente.

Ar – condicionado.

Rádio AM.

Console da alavanca do câmbio de marchas em madeira.

Acendedor de cigarros e cinzeiro embutidos no painel, nas portas cinzeiros cromados.

Acionamento dos vidros manual basculante.

Ajuste interno mecânico do retrovisor, um verdadeiro luxo para a época.

Acabamento dos bancos e portas em couro, com encosto de cabeça embutidos.

Assoalho acarpetado.

Porta – malas com forração em feltro preto.

Ficha Técnica – Dodge Charger R/T V8 1976

Carroceria Cupé.

Porte Grande.

2 portas.

Motor LA 318 – 5.2.

Cilindros 8 em V.

Longitudinal.

Tuchos Hidráulicos.

Tração Traseira;

Combustível Gasolina;

Carburador.

Direção Hidráulica.

Câmbio manual de 4 marchas.

Embreagem monodisco a seco.

Freios a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras.

Peso 1525 KG;

Potência 215 CV.

42,9 kgfm a 2400 rpm.

Potência Máxima 4400 RPM.

De 0 a 100 – 9,5 Segundos.

Velocidade máxima 180 KM/h.

Consumo na Cidade 5 KM/L – Estrada 8 KM/L.

Autonomia: Cidade 310 KM – Estrada 496 KM.

Porta malas 436 Litros.

Carga útil 400 KG.

Tanque de combustível 62 Litros.

Motor Tudo – Dodge Charger R/T V8 1976

Carros Clássicos Brasil – Dodge

Um comentário sobre “Dodge Charger R/T V8 1976 Um Verdadeiro Muscle Car”

  1. Demais o magnifico Dodge Charger R/T. Conheci duas lojas de carros clássicos, pela internet. Os carros e os preços são de chorar, os primeiros pela beleza e esmero de proprietários em restaurar e por vezes, adaptar motores modernos e bancos atuais, além de outros detalhes, já os segundos, porque são acessíveis apenas para quem tem muito dinheiro. Se puder publicar aqui, são a GT40 e a Zaffira Multimarcas, a segunda localizada em Santo André – SP, onde moro. Trata-se de um negócio que movimenta muito dinheiro. Sonho, há muito em ter um carro clássico.

Deixe uma resposta