Dodge Charger R/T 1973 215 cv 190 km/h de velocidade final real

A fera de Chrysler mesmo pesando 1525 kg conseguia a incrível marca de 9,5 segundos de 0 a 100, na versão Dodge Charger R/T 1973 V8, e ainda oferecia ar – condicionado.

No início da década de 1970 os modelos Dodge Chrysler no Brasil, ainda eram de alto custo, a versão Chager R/T com todos os opcionais chegava a custar mais caro que algumas versões da família Ford Galaxie.

O Bad Boy V8 da década de 1970, foi de esportivo badalado e glamouroso, a sinônimo de sucada durante a década de 1980 e início da década de 1990, era encontrado em desmanches e terrenos baldios, hoje um dos modelos mais caros e colecionáveis do Brasil.

Desempenho

Estabilidade –  O conjunto, carroceria, chassi e suspensão, dava ao carro uma boa estabilidade, mesmo sendo um projeto desenvolvido no final da década de 1960, ainda era considerado atualizado para o início década de 1970, mas com um V8 em baixo do capô, somado a uma direção hidráulica pouco precisa e uma suspensão muito macia, era sempre bom o motorista ficar atento em curvas de alta.

Motor –  Utilizando o motor Dodge V8 LA 318 de 215 cv, era robusto, e com um giro bastante estável em altas rotações, confiável, mas o custo das manutenções preventivas e corretivas de um modelo 0 km, estavam apenas ao alcance da classe alta.

Câmbio –  O câmbio manual de 4 velocidades, exigia pouca manutenção e cumpria seu papel para um esportivo da época.

Retomadas e ultrapassagens – Com um motor bastante saudável, que respondia muito bem ao pedal do acelerador, mesmo com 5 adultos e porta malas cheio, era eficiente e seguro.

Consumo –  Para um V8 de 215 cv, fazer 5 km/l na cidade esta dentro do esperado para a época, mais detalhes na ficha técnica no final do post.

Acabamento Externo

Faróis –  Redondos duplos na horizontal de lentes boleadas, embutidos atrás da grade de ar do motor;

Setas dianteiras – Embutidas atrás da grade de ar do motor, repetidor de setas na parte superior dos para – lamas;

Para – choques –  Em largas lâminas de aço carbono cromados;

Faróis de neblina – Não;

Grade de ar do motor – Bipartida cromada embutida com recuo;

Retrovisores Externos – Redondos cromados, com ajuste interno;

Frisos – Adesivo em toda a extensão lateral e o logo “Charger R/T”;

Rodas – De aço tradicionais da família Dodge;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “DODGE”, na tampa do porta malas;

Lanterna Traseira – bicolor com luz de ré;

Bagageiro – Não;

Teto Solar – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com mostradores em escala circular;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil preto e aplique imitação de madeira Jacarandá;

Volante – De três raios com acabamento em couro costurado a mão;

Sistema de som – Sim;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Opcional;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Ajuste mecânico interno;

Acabamento dos bancos – Em vinil;

Acabamento das portas – Em vinil com detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Dodge Charger R/T 1973

Carroceria – Cupé;

Porte – Grande;

Portas – 2;

Motor –  LA 318 5.2;

Cilindros – 8 em V;

Posição – Longitudinal;

Combustível – Gasolina;

Potência – 215 cv;

Peso Torque – 35,55 kg/kgfm;

Cilindrada – 5212 cm³;

Torque máximo – 42,9 kgfm a 2400 rpm;

Potência Máxima – 4400 rpm;

Tração – Traseira;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Hidráulica;

Câmbio – Manual de 4 velocidades com alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1525 kg;

Suspensão dianteira – Independente, Braços sobrepostos – Barra de torção;

Suspensão traseira – Eixo rígido – Feixe de mola semielipticas;

Comprimento – 4960 mm;

Distância entre-eixos – 2820 mm;

Largura – 1810 mm;

Altura – 1390 mm;

Aceleração de 0 a 100 – 9,5 Segundos;

Velocidade máxima – 190 km/h;

Consumo: Cidade 5 km/l – Estrada 8 km/l;

Autonomia: Cidade 310 km – Estrada 496 km;

Porta malas – 436 Litros;

Carga útil – 400 kg;

Tanque de combustível – 62 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 185.733,00;

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

Please follow and like us:

5 comentários sobre “Dodge Charger R/T 1973 215 cv 190 km/h de velocidade final real”

  1. Tinha um desses, a direçao hidraulica nao era progressiva, era hidraulica o tempo todo,criminosa.

  2. Mercedes.era outro mundo…cara era outra época…aqui se achava fuca.chevete .passat..de carro…V8 e V8. só quem teve e conhece sabe.. abraço..

  3. Carrão na época ele eo Maverick V8 na época era os carros…só o preço acho exagerado…mas não sei quando tive na época eram baratos ele eo Maverick..mas eram usados..ex.8anos de uso.eram baratisimos…tive vários .época boa.sem multa litrão de uiski do lado não dava nada…

  4. Enqto aqui no Brasil isso era o top que o dinheiro comprava, uma Mercedes 280 sedan era mais rápida,mais veloz, freiava melhor ,tinha uma estabilidade anos luz a frente,freios melhores tbm com um motorzinho 6 bocas 2.8 carburado de 156 CV DiN, norma SAE uns 180cv e pior, não era o top……ah,esqueci, gasta a metade em consumo de gasolina..

Deixe uma resposta