Corcel II GL 1986 com cara de Del Rey

Compartilhe

Corcel II 1986 em seu ultimo ano ganhou painel e acabamento de Del Rey,

Imagem Reginaldo Campinas 


Na verdade nunca se entendeu exatamente o por que da Ford Brasil ter descontinuado o Corcel II em 1986, estávamos no auge da guerra dos pequenos e médios coupés e sedãs, Voyage, Chevette, Prêmio e Corcel II, e tirar seu time de campo em meio a batalha é no mínimo estranho.

Se o carro já estava ficando ultrapassado bastava fazer um upgrade e transforma-lo na versão mais atualizada, como a VW fez com tantas versões do Gol.

Mas entre os anos de 1987 e 1988 a Ford aqui no Brasil simplesmente parou no tempo, não houve upgrade de seus motores nem lançamento de novas versões de seus modelos, enquanto isso a Volkswagen lançou dois upgrades de motores e atualizou toda sua frota, a Ford só voltou a evoluir em 1989 com o lançamento do Verona e a utilização dos motores Volkswagen em sua linha  com a criação da Autolatina.

Voltando a falar do Corcel II.

Em 1986 a Ford resolveu literalmente transformar o Corcel em carro de ponta, já equipado com o eficiente motor CHT 1.6 que na prática podia chegar até 75 CV de força, montado na posição longitudinal, diferente da linha Escort que era montado na posição transversal, o carro passou a ter um nível de ruido externo e interno mais baixo, suspensão macia e segura.

Mas a grande novidade estava dentro do carro, bancos e painel do Del Rey, que deixou o a versão coupé com cara de três volumes médio de luxo.

Imagem Reginaldo Campinas 

Mas todo o luxo, conforto e beleza do Corcel II 1986 trouxe um problema para a montadora americana, uma briga em família, o Corcel II passaria a concorrer diretamente com o Del Rey, até porque ambos tinham acabamento interno e externo muito parecidos e também dimensões muito próximas, mesmo um sendo sedã e o outro coupé.

O fato foi que a montadora não tomou conhecimento e descontinuou o Corcel II em 1986.

Ficha Técnica – Corcel 2 1986

Carroceria – Coupé;

Porte – Médio;

Portas – 2;

Motor – CHT 1.6;

Cilindros – 4 Em linha;

Posição – Longitudinal;

Tuchos – Mecânicos;

Tração – Dianteira;

Combustível – Álcool;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 5 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 1006 KG;

Comprimento – 4498 mm;

Distância entre-eixos – 2438 mm;

Potência – 71,6 CV;

Cilindrada – 1555 cm³;

Torque máximo – 11,9 kgfm a 2400 rpm;

Potência Máxima – 5000 RPM;

Aceleração de 0 a 100 – 16 Segundos;

Velocidade máxima – 155,8 km/h;

Consumo: Cidade 8,3 KM/L – Estrada 13,3 km/l;

Autonomia: Cidade 473,1, km – Estrada 758,1 km;

Porta malas – 380 Litros;

Carga útil – Não Informado;

Tanque de combustível – 57 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 75.165,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

Carros dos anos 80

2 comentários sobre “Corcel II GL 1986 com cara de Del Rey”

  1. Arrisco-me a dizer que o Corcel saiu de linha porque os modelos cupês já não estavam tão ao gosto do público como antes (nem os cupês, nem os hatches médios) e porque havia forte concorrência interna, contra o Escort e o Del Rey, e externa, de carros de outras marcas que tinham um projeto mais atual. Pena, porque era um carro bacana, mas isso é coisa que eu suponho.

  2. Esse último Ford Corcel é uma das maiores raridades da história automotiva do Brasil.

    Seu porte elegante, no estilo coupé, casou muito bem com a frente reestilizada dos del rey, modelo com o qual compartilhava plataforma, e em 85, ganhou aquele reloginho digital e direção hidráulica como opcionais na sua versão GL.

    Infelizmente, junto do seus rivais Monza fast-back e Passat e com a concorrência interna do Escort, saiu de linha prematuramente.

Deixe um comentário