Corcel GT XP o Esportivo Ford no início da década de 1970

Compartilhe

Em 1971, o modelo da Ford ganha seu primeiro upgrade de motor, na nova versão esportiva Corcel GT XP 1.4, o modelo entregava agilidade, confiança, um um visual interno e externo arrasador, e se tornou o carro nacional mais valorizado entre os anos de 1971 e 1973

Mas não era apenas o acabamento e a boa valorização que destacavam o GT XP, ele atingia velocidade final real de 150 km/h, aceleração de 0 a 100 em 16,6 segundos, e ainda mantinha um baixo consumo de combustível, 9,8 km/l na cidade e 12 km/l na estrada.

A versão esportiva GT XP, nos dias de hoje se tornou um dos colecionáveis mais raros e procurados do país, o modelo Corcel I, acada dia se torna mais raro, o esportivo GT, mais raro ainda, imaginem a versão XP.

Em 1971 ao ser apresentado ao público a montadora fez um marketing muito forte, revistas automotivas, TV e rádio, sempre utilizando atores e celebridades famosos da época.

Desempenho

Estabilidade – O conjunto carroceria, chassi e suspensão, era bastante equilibrado, oferecendo segurança e eficiência em curvas de alta, e em altas velocidades em retas, chegou a ser utilizado em alguns ralis em diferentes países da América do Sul.

Motor – Entre os anos de 1968 e 1972 era o motor nacional de melhor relação custo benefício, ao lado dos VW refrigerados a ar, sendo que o modelo Ford, levava a vantagem de ter um torque mais firme e suave, e entregar melhor potência.

Câmbio – Era macio e eficiente, mas o engate da ré fazia muito barulho, nada muito anormal para a década de 1970.

Retomadas e ultrapassagens –  Seguro e muito eficiente, ficava entre os melhores do mercado, no segmento dos médios e compactos.

Consumo – Mesmo com o motor 1.4 de 85 cv bruto, ainda entregava um bom desempenho com economia, fazendo 9,8 km/l na cidade, conforme ficha técnica no final da matéria.

Acabamento Externo

Faróis – Redondos de lentes boleadas, embutidos com recuo;

Setas dianteiras – Embutida abaixo do para – choque;

Para – choques – Em aço carbono, cromados;

Faróis de neblina – Luz de longo alcance embutidas na grade de ar do motor:

Grade de ar do motor – Com desenho retangular, e frisos com detalhes metálicos;

Retrovisores Externos – Redondo na cor grafite;

Frisos – Faixa adesiva preta em toda a extensão lateral do carro;

Rodas – De aço, tradicionais família Corcel, nas cores cinza e preto, com pequena calota ao centro estilo GT;

Maçanetas – Cromadas;

Logo – “Ford” “Corcel”, na tampa do porta malas;

Lanterna Traseira – Bipartida em cor única;

Teto Solar – Não;

Bagageiro – Não;

Limpador do vidro traseiro – Não;

Acabamento Interno e Instrumentos

Painel – Com diversos mostradores em escala circular, posicionados atrás do volante e no console da alavanca de marchas;

Conta – giros – Sim;

Acabamento do painel – Em vinil e aço preto, com detalhes cromados;

Volante – De plástico injetado de dois raios, e brasão GT ao centro;

Sistema de som – Ford Philco;

Ventilador – Sim;

Ar – condicionado – Não;

Ar –  quente – Sim;

Luz de leitura – Não;

Relógio – Não;

Acendedor de cigarros – Sim;

Cinzeiro – Sim;

Acionamento dos vidros – Manual basculante;

Sistema de travamento das portas – Mecânico;

Ajuste dos retrovisores externos – Manual;

Acabamento dos bancos – Em Vinil;

Acabamento das portas – Em vinil, com detalhes cromados;

Luz de Sinalização no rodapé das portas – Não;

Banco traseiro – Sem acessórios;

Encosto de cabeça – Não;

Desembaçador elétrico do vidro traseiro – Não;

Assoalho – Acarpetado;

Porta-malas – Acarpetado;

Ficha Técnica – Corcel GT XP

Carroceria – Cupê;

Porte – Compacto – Reposicionado pela montadora como porte médio no final de 1972 já como modelo 1973;

Portas – 2;

Motor – Cléon Fonte 1.4;

Cilindros – 4 em linha;

Posição – Longitudinal;

Peso/Torque – 82,93 kg/kgfm;

Tração – Dianteira;

Combustível – Gasolina;

Alimentação –  Carburador;

Direção – Simples;

Câmbio – Manual de 4 velocidades, alavanca no assoalho;

Embreagem – Monodisco a seco;

Freios – Freio a disco sólido nas rodas dianteiras e tambor nas rodas traseiras;

Peso – 962 kg;

Comprimento – 4471 mm;

Distância entre-eixos – 2438 mm;

Potência – 85 cv;

Cilindrada – 1372 cm³;

Torque máximo – 11,6 kgfm a 3600 rpm;

Potência Máxima – 5400 rpm;

Aceleração de 0 a 100 – 16,6 Segundos;

Velocidade máxima – 150 km/h;

Consumo: Cidade 9,8 km/l – Estrada 12 km/l;

Autonomia: Cidade 499,8 km – Estrada 612 km;

Porta malas – 380 Litros;

Carga útil – Não Informado;

Tanque de combustível – 51 Litros;

Valor atualizado Aproximado – R$ 115.792,00.

Valor atualizado aproximado se refere apenas a uma estimativa de quanto o carro custaria hoje Zero Km na concessionária – Não possui nenhum parâmetro real do mercado atual.

O Motor Tudo, NÃO trabalha com nenhum tipo de comércio de carros, apenas faz matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros.

4 comentários sobre “Corcel GT XP o Esportivo Ford no início da década de 1970”

  1. Sou proprietário de um GT XP e afirmo:
    Não tinha ar quente, e o porta malas vinha com tapete de borracha.
    Carburador dele era corpo duplo Solex DIDS 2 com acionamento do segundo a vácuo, tambem faltou falar do charme que era o teto de vinil, que era de serie!
    No mais tudo muito correto e super bem explicado!
    Parabéns Motor Tudo!

  2. Eu fico imaginando na época eu era criancinha. e imagino que deveria se uma baita carro e cobiçado, pra achar algum próximo a esse estado de conservação, só vindo de colecionadores.

    1. NÃO trabalho com vendas ou qualquer outro tipo de comércio de carros, apenas faço matérias sobre a história de carros clássicos brasileiros, leia a matéria na integra com atenção que entenderá.

Deixe um comentário