Como seria o GOL e o Voyage projeto BY

Compartilhe

Antes da montadora decidir criar o projeto BX que daria vida ao nosso GOL, Voyage e Parati, existia o projeto BY derivado do Polo alemão.


O projeto BY, Polo hatch, Polo sedã o Derby, e a Perua Polo Breadvan, que já eram projetos prontos e testados, bastava fazer algumas adaptações para o nosso mercado e colocar os modelos para vender, mas na hora de fazer as contas as coisas saíram da linha.


A versão SW Breadvan, só chegou no mercado em 1981.

Quando o projeto começou a ser cogitado para vir para o Brasil, a montadora começou a fazer os cálculos para trazer a família BY, o problema era que, o carro tinha uma estrutura mecânica e uma tecnologia que sofreria tantas mudanças para vir para o nosso pais que no final das contas, o Polo na versão hatch teria o mesmo preço do Passat e a versão sedã o Derbym sairia mais caro que o Passat.

Dai veio a solução caseira de fazer um upgrade na Brasilia e lançar seus derivados, nasce o projeto BX o nosso GOL.

Mas algumas perguntas ficaram sem respostas, por que o painel do GOL, Voyage, Parati e Saveiro nasceu quadrado?

Se o GOL foi um Upgrade da Brasilia, e se a Brasilia antes de sair de linha possuía um bom painel com os mesmos mostradores do Polo alemão, bonito e eficiente, por que insistir no defasado e ineficiente painel quadrado?

Painel do Polo alemão 1975 o mesmos mostradores da nossa Brasilia.


Outro detalhe que impossibilitou a vinda do projeto BY para o Brasil foi que o regime militar que era nosso governo na época, entendia que o carro era mais uma versão importada, e taxaria com impostos faraônicos. 

Motor tudo Polo 1975/1981

Projeto BY

Um comentário sobre “Como seria o GOL e o Voyage projeto BY”

  1. Porque o painel quadrado já existia na Variant II, lançada em 1977. Era só reaproveitar – o que eles fizeram, só alterando um pouco a moldura e a fonte dos números e letras.

Deixe um comentário